Duas faces da mesma moeda

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1218 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRA E ARTES

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

DISCIPLINA: TEORIA E CIÊNCIA POLÍTICA

PROFESSOR: PABLO THIAGO CORREIA DE MOURA

CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

ALUNA; JACIARA DE LIMA SANTOS











TÍTULO DA RESENHA: AS DUAS FACES DE UMA MESMA MOEDA

LIVRO: A POLÍTICA SOCIAL DO ESTADO CAPITALISTA(De Vicente de Paula Faleiros, Editora Cortez, 2008)















JOÃO PESSOA

OUTUBRO, 2012

O autor Vicente de Paula Faleiros, em seu livro: A política social do Estado Capitalista, Cortez, 2008, mais precisamente no capitulo IV; Faz uma analise crítica-teórica de como se dar as funções da Política Social no Capitalismo, onde em nota o autor enfatiza que a palavrafunção tem um significado histórico-estrutural no processo de relação Estado/sociedade/mercado.

É crucial deixar claro que as Políticas Sociais surgem juntamente com a necessidade dos capitalistas de está no controle da sociedade, uma vez que é necessário o antagonismo das classes (burguesia e proletariado), para que este modelo de sociedade possa existir e/ou permanecer, pois segundo KarlMarx (1848), A história de todas as sociedades que existiram até hoje á história da luta de classes. E na sociedade capitalista não é diferente, inclusive se o leitor observar a nossa realidade irá concorda que este conceito ainda permanece atual.
O autor ainda nos primeiros parágrafos vai nos falar que as políticas sociais não são um bem-estar como os capitalistas querem “pintar” para asociedade, porém não são também tão maquiavélicas, tampouco não tentam furtar a realidade exploratória do trabalhador, cabe então buscar-se as características e a relação entre o sistema vigente e as políticas sociais.
Mas adiante na Classificação Empírica das Políticas Sociais Faleiros vai nos dizer o seguinte:
A natureza da intervenção do Estado, em termos bastanteempíricos, considerando-se o que se chama comumente “medida de política social”, consiste na implantação de assistência, de previdência social, de prestação de serviços, de proteção jurídica, de construção de equipamentos sociais e de subsídios. (FALEIROS, 2008, p.60).


É neste momento do texto que o autor vai explanar a assistência pública nos países latino-americanos fazendo um esboço decomo se dar a assistência nesses países, Compactuei da objetividade do autor em fazer um retrocesso de todo esse processo de políticas sociais no Brasil especificamente, iniciando seus comentários com a LBA, que foi extinta em 1995, passando pelas LOAS, pelo SUS, Seguros Sociais, Assistência Privada, seguro, entre outros.
Seria interessante ressaltar que na década de 90, mais precisamente em 1de janeiro de 1995, toma posse como presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso ( FHC), foi ele que efetivou o Plano Real, e promoveu o desenvolvimento do neoliberalismo, privatizando diversas estatais brasileiras, a exemplo Companhia Vale do Rio Doce (empresa do setor de mineração e siderurgia), a Telebrás (empresa de telecomunicações) e o Banespa (banco pertencente ao governo do estadode São Paulo). Tornando por assim dizer majoritários os grupos estrangeiros que compraram ações nessas estatais.
O Estado Capitalista tem grande multiplicidade de intervenção nas Políticas Sociais, podendo tomar providências no âmbito da educação, habitação, saúde, serviços sociais, etc., mas obviamente por ser um Estado Capitalista ele não investe o suficiente na educação, (ressaltocomo Pedagoga que sou, e estudante de Serviço Social, que sou altamente favorável a distribuição de 10% do PIB ( Produto Interno Bruto) para a Educação), pois se ele investe na educação aquele estudante, mas na frente se tornará um trabalhador, sendo assim, o capitalista estaria investindo no capital variável (força de trabalho) e deixando assim o capital constante em baixa, diminuindo a taxa...
tracking img