Drogas no trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1504 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
DROGAS E ÁLCOOL NO
TRABALHO
MBA – FEG – UNESP –
GUARATINGUETÁ – SP
4 DE NOVEMBRO DE 2010

TRABALHO APRESENTADO PELOS
ALUNOS DO COTEL - LORENA
* Este trabalho foi executado pelos alunos do
Colégio Técnico de Lorena – COTEL – valendo
como nota na Avaliação Bimestral, na
Disciplina “Psicologia Aplicada ao Trabalho”,
na turma do 3o. ano, e apresentado em 6 de
novembro de 2009.
* Ogrupo o apresentou com desenvoltura e
conhecimento, o que motivou a professora a
utilizá-lo em suas aulas da Graduação, tanto
na EEL-USP como na FEG-UNESP.

DROGAS
•*

“Droga”, em seu sentido original, é um termo
que abrange uma grande quantidade de
substâncias, que pode ir desde o carvão à
aspirina.
* Contudo, há um uso corrente mais restritivo
do termo (surgido após quase um século derepressão ao uso de certas substâncias),
remetendo a qualquer produto alucinógeno
(ácido lisérgico, heroína etc.) que leve à
dependência química e, por extensão, a
qualquer substância ou produto tóxico (tal como
o fumo, álcool etc.) de uso excessivo, sendo
um sinônimo assim para entorpecentes.

CONSUMO DE DROGAS
* O ser humano sempre procurou fugir de sua
condição natural cotidiana,empregando
substâncias que aliviassem seus males ou
que propiciassem prazer.

TIPOS DE DROGAS
* Depressivas = aumentam a frequência cerebral
e podem dificultar o processamento das
mensagens que são enviadas ao cérebro.
Exemplos: álcool, heroína e maconha.
* Psicodistrópticas ou alucinógenas = têm por
característica principal a despersonalização em
maior ou menor grau. Exemplos: LSD, cháde
cogumelo e DMT.
* Psicotrópicas ou estimulantes = produzem um
aumento da atividade pulmonar, diminuem a
fadiga, aumentam a percepção ficando os demais
sentidos ativados. Exemplos: cocaína, crack,
cafeína, ecstasy e anfetaminas.

AS DROGAS MAIS COMUNS EM
ALGUMAS PROFISSÕES
* Médicos e enfermeiros: Especialmente
anestesistas, cirurgiões e profissionais que
trabalham em UTI tendem aconsumir os
chamados opiáceos, como a morfina e a dolatina.
Após duas ou três vezes de uso, a pessoa pode
tornar-se dependente.
* Caminhoneiros e motoristas de ônibus: As
anfetaminas são as mais utilizadas por esses
profissionais. Como, muitas vezes, são obrigados
a se manter acordados a recorrem à droga. O
efeito cessa abruptamente e o usuário pode
dormir no volante, causando sériosacidentes.

* Operadores da Bolsa de Valores, advogados,
publicitários e jornalistas: A pressão do tempo, o
acúmulo de trabalho e a necessidade de produzir
intensamente levam à escolha da cocaína, droga
altamente estimulante, nesses profissionais; o
álcool também é praxe, principalmente para relaxar.
* Marinheiros e estivadores: Esses profissionais,
como os demais que trabalham em espaçosabertos são propensos a consumir maconha, crack
ou drogas injetáveis.
* Jovens profissionais: Ecstasy e crack, as
drogas da moda, são as que mais atraem o público
jovem, que já começa a semana de trabalho
baqueado pelos excessos cometidos nas baladas
de final de semana.

Como cada droga interfere na rotina do
trabalhador
Álcool
Os efeitos físicos são:
sensação de moleza,
cansaço,dificuldade para se
concentrar a dor de cabeça e
enjoo, entre outros. Há
desconforto também para
quem trabalha ao lado. Ele é
responsável por grande parte
dos acidentes de trabalho
que ocorrem após o almoço.

São inquietos, ansiosos
e, às vezes, agressivos
quando querem beber e
não podem.

Cigarro:
Aproximadamente a cada
30 minutos, o fumante
começa a apresentar
sintomas sutis deabstinência, como
irritabilidade, inquietação,
ansiedade e queda na
concentração.
É comum que ele conviva
com esses sintomas o dia
todo, livrando-se deles só
ao acender um cigarro.

Outra decorrência do
abuso é a queda na
produtividade.

Maconha:
Quando retoma as suas
atividades, quem usa
maconha tende a ficar
desatento, disperso e com
dificuldade para realizar
tarefas mais...
tracking img