Ditadura militar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1725 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL



DITADURA MILITAR

Jacobina
2010


DITADURA MILITAR

Trabalho apresentado ao Curso ( Serviço Social ) da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para adisciplina [ Fundamentos Históricos, Teóricos e Metodologicos do Serviço Social III ].

Prof. Claudia Maria Ferreira

JacobinaCidade
2010

DITADURA MILITAR

Ditadura é uma forma de governo em que o governante (presidente, rei, primeiro ministro) exerce seu poder sem respeitar a democracia, ou seja, governa de acordo com suas vontades ou com as do grupo político ao qual pertence. Na ditadura não a respeito à divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário). O ditador costuma exercer os três poderes.

Para evitar oposição, as ditaduras costumam proibir ou controlar os partidos políticos. Outras táticas ditatoriais envolvem a prisão de opositores políticos, censura aos meios de comunicação, controle dos sindicatos, proibição de manifestações públicasde oposição e supressão dos direitos civis. 

Os governos ditatoriais costumam apoiar seu poder no uso das forças armadas.
Entre os anos de 1964 e 1985, o Brasil foi governado por uma forma de governo deste tipo. Sem eleições diretas para presidente da república, vários militares se alternaram no poder.
O regime militar no Brasil foi um período iniciado em abril de 1964, após umgolpe militar, chamado pelo seus autores de "Revolução de 31 de março" articulado pelas Forças Armadas, em 31 de março do mesmo ano, contra o governo do presidente João Goulart. Por trás da revolta militar, apareciam as figuras dos governadores Magalhães Pinto (Minas Gerais), Adhemar de Barros (São Paulo) e Carlos Lacerda (Rio de Janeiro), opositores ferrenhos do presidente João Goulart.

O Golpede Estado no Brasil em 1964 teve origem, na "conspiração antivargas",[nota 1] que incluía os militares, porém os principais líderes militares do movimento de 1964, (Humberto de Alencar Castelo Branco, Juarez Távora, Médici, Juraci Magalhães e Ernesto Geisel), foram ex-tenentes que apoiaram Getúlio Vargas na Revolução de 1930 que levou Getúlio ao poder. Getúlio Vargas era alvo de deliberadascríticas dos seus opositores, principalmente do jornalista Carlos Lacerda (UDN), que achavam demasiado esquerdista sua política sócio-econômica.[1]Segundo os partícipes do golpe, o golpe de 1964 foi uma "contra revolução" para impedir a tomada do poder no Brasil pelos comunistas.
Bem que Leonel Brizola propôs ao presidente Jango resistir ao golpe de 1964 com armas na mão, a partir do Rio Grande do Sul.Mas o presidente, muito deprimido, não queria derramamento de sangue. Como milhares de brasileiros, os dois também se exilaram no estrangeiro.

Enquanto isso, no Rio de Janeiro - Copacabana e Ipanema -, a classe média se confraternizava com a burguesia. Chuva de papel picado, toalhas nas janelas, buzinaço, banda e chope. Abraços, choros de alegria, alívio pelo fim da desordem. O Brasil estavasalvo do comunismo! Os crioulos não invadiriam mais as casas das pessoas de bem! As empregadinhas voltariam a ficar de cabeça baixa!
Mas nos subúrbios o medo substituía o chope. Ali, a revolução iria procurar os "inimigos do Brasil". E quem seriam esses monstros? Pessoas simples, enrugadas pelo trabalho duro, mas que tinham ousado não se curvar; operários, camponeses, sindicalistas.

Nenhumbanqueiro, nenhum megaempresário, nenhum tubarão foi sequer chamado para depor numa delegacia, Eram todos homens de bem, pessoas que amavam o próximo... principalmente se o próximo fosse um bom parceiro de negócios.

Os soldados armados de fuzis prendiam milhares de pessoas: dirigentes populares, intelectuais, políticos democratas. A UNE foi proibida e seu prédio, incendiado. A CGT, fechada....
tracking img