Direitooo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (266 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
6.3. Prazer e Justiça
* O prazer epicurista é ausência de dor.
          - No confronto com o cristianismo, o epicurismo tornou-se sinônimo de perdição, oque é injusto;
          - A consciência da dor e do prazer é o que faculta ao homem escolher causar dor ou prazer;
          - Dentro da filosofiaepicurista há duas formas de prazer:
               a) o primeiro é o prazer estável que é a ausência da dor e da perturbação, o que ele chama de ataraxia e aponia,nessa forma de prazer o homem não sofre e mantêm-se em paz podendo atingir a felicidade;
               b) a segunda forma de prazer,a da alegria e a do gozo, ohomem pode tornar-se escravo do prazer e levar uma vida perturbada, o que não é condizente com a felicidade.
* Da ética individualista do prazer surge umaética social do prazer.
* A felicidade é a base do conhecimento e da justiça.
* A paz de espírito é adquirida com a prática da justiça, enquanto ainjustiça provoca desequilíbrio e perturbação para o individuo:
          - Não causar danos e não sofrê-los é o ideal do direito natural, objetivando o prazergeral da sociedade e a garantia da tranqüilidade e do equilíbrio das relações que envolvem uma pluralidade de indivíduos.
* Se há que se evitar a dor, hátambém que se evitar a injustiça:
          - A justiça não é algo naturalmente instintivo no homem, mas como um pacto útil para a subsistência da sociedade àmedida que evita a causação dos danos mútuos;
          - As leis podem ser injustas ou justas, quando se mostram prejudiciais ou úteis ao convívio social.
tracking img