Direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 37 (9039 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
GETÚLIO VARGAS: O GRANDE ESTADISTA

16
Introdução.

Getulio Vargas foi o grande estadista do Brasil do século vinte. Vindo de uma família de senhores de terra, Getulio Vargas comandou a transição do Brasil de uma economia agrária para uma economia industrial.

Um nacionalista, ele foi capaz de chamar os empresários industriais, a burocracia pública e os trabalhadores urbanos para umpacto político e uma estratégia nacional-desenvolvimentista.

Com um governo autoritário entre 1930 e 1945, ele quebrou a hegemonia das oligarquias agrária e mercantilista que dominavam o Brasil até então.

Um populista, ele foi o primeiro político a estabelecer uma relação com o povo ao invés de apenas com suas elites. Em seu segundo governo, entre 1951 e 1954, ele completou seu projeto nacional.Depois dele e do governo Kubitschek, a revolução industrial e a capitalista do Brasil iniciada em 1940 podia ser considerada completa – o que abriu espaço para uma democracia mais consolidada no país.

Em março de 2007, o jornal Folha de S. Paulo convidou 200 personalidades brasileiras a dizer quem julgavam haver sido o “maior brasileiro de todos os tempos” e Getúlio Vargas foi o escolhido.O resultado não foi surpresa, porque vejo Vargas como o estadista do Brasil no século XX; na nossa história, só a figura de José Bonifácio de Andrade e Silva com a dele se ombreia. O segundo colocado na pesquisa foi Juscelino Kubitschek, o presidente a quem coube completar a tarefa iniciada por Vargas. Ao escolherem os dois grandes presidentes, os pesquisados estavam também reconhecendo que ogrande momento da história brasileira foi de 1930 a 1960.

A figura e a contribuição de Getúlio Vargas já foram analisadas com competência por historiadores e biógrafos, de forma que não cabe fazer uma outra análise histórica de seu governo com fatos e citações.

Não nos é relevante discutir a política econômica de Vargas, porque esta já foi amplamente tratada por outros tantos. Não é, também,nosso objetivo fazer um perfil com a enumeração de suas qualidades e defeitos, de seus muitos acertos e muitos erros. Todavia, há uma abordagem que nos será útil: a do ensaio de teoria política, importa-nos saber como a ação política de Vargas se relacionou com a construção da Nação e do Estado brasileiro, com o desenvolvimento econômico do país e a Revolução Capitalista, e, finalmente, com atransição de um Estado oligárquico para um Estado democrático.

Por que sua figura é tão importante para os brasileiros, apesar de haver governado o Brasil de forma autoritária?

Por que considerá-lo um estadista?

Terá sido porque comandou a industrialização e a Revolução Nacional e Industrial brasileira, ou teria sido ele apenas um político contraditório, como alguns propõem, ou um líderpopulista que enganava o povo, como outros sugerem?

Para respondermos a estas questões neste breve trabalho, iremos discutir a Revolução Capitalista, ou seja, a transição das sociedades agrárias letradas para as sociedades industriais ou capitalistas, essa transição foi constituída de três revoluções menores:

1- A Comercial;
2- A Nacional e
3- A Industrial.
16
As duas últimas geralmentecoincidem, embora uma indique a formação de um Estado-nação efetivamente autônomo e a outra o momento de três temas encadeados, tendo Vargas como referência:
O conceito de estadista e a história, a Revolução Nacional brasileira, e a relação entre o populismo e a democracia.

Em síntese, podemos afirmar que o estadista é o dirigente político que, não obstante suas próprias fraquezas e hesitações,tem a visão antecipada do momento histórico que seu país ou sua nação está vivendo e tem a coragem de enfrentar o velho em nome do novo; segundo, que um momento decisivo na história de um povo – o da Revolução Nacional e Industrial – é aquele no qual esse povo se transforma em uma Nação não apenas formal mas real, ao mesmo tempo em que completa sua transição para o capitalismo; e, terceiro, que...
tracking img