Direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1372 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Bullying, estereótipos e preconceitos nas salas de aula[1]


BATISTA, Lúcio José Carlos[2]
SANTOS, Adeilson Ferreira dos[3]


Pesquisa do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, realizada em 2009, anunciou resultados sobre hábitos, costumes e riscos vividos pelos estudantes das capitais brasileiras. A pesquisa envolveu 618.555 estudantes, de escolas públicas eparticulares, cursando o 9º ano, na faixa etária de 13 a 15 anos, de capitais de todo o país.
A pesquisa, chamada Pense – pesquisa nacional de saúde escolar -, aborda variados aspectos relativos aos estudantes, como: uso de álcool, cigarros, relacionamentos sexuais, tipo de alimentação, se faltam, ou não, aulas sem autorização dos responsáveis, se residem com os pais etc., mas aqui destacaremos os dadosrelacionados ao Bullying.
Para discutirmos o assunto, adotaremos o mesmo conceito divulgado pelo sítio do IBGE, para o levantamento de dados:
O bullying (do inglês bully = valentão, brigão) compreende comportamentos com diversos níveis de violência que vão desde chateações inoportunas ou hostis até fatos francamente agressivos, sob forma verbal ou não, intencionais e repetidas,sem motivação aparente, provocado por um ou mais alunos em relação a outros, causando dor, angústia, exclusão, humilhação, discriminação, entre outros. Na literatura especializada adota-se também o termo de vitimização. (grifo nosso)

De maneira geral, mesmo com pequenas variações na escrita, os autores concordam com tal definição, sendo que não necessariamente de forma hostilizada, mas muitasvezes tais violências são “escondidas” em formas de brincadeira, como nos alerta Dreyer (s/d), quando nos pergunta: “Quem nunca foi zoado ou zoou alguém na escola? Risadinhas, empurrões, fofocas, apelidos como “bola”, “rolha de poço”, “quatro-olhos”. Todo mundo já testemunhou uma dessas “brincadeirinhas” ou foi vítima delas.”
Brincadeiras aparentemente inocentes que podem repercutir como uma“bomba” na vida de quem sofre tais tratos. O constrangimento pode chegar à mudanças necessárias de escolas, bairros etc. e algumas vezes sem que o feitor da brincadeira tome conhecimento do mal que provocou, pois Dreyer (s/d) apresenta, ainda, relato do presidente da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia) que muitas vezes as conseqüências chegam àdepressão, angústia, baixa auto-estima, estresse, absenteísmo ou evasão escolar, e até mesmo a atentado à própria vida.
Aqui, destacamos o risco que nos levou a destacar do conceito de Bullying do sítio do IBGE o fragmento: sob forma verbal ou não, intencionais e repetidas, sem motivação aparente.
Ora, qual a diferença então entre os estereótipos que construímos em nosso espaço cultural e sob os quaisexercemos nossos preconceitos e o bullying?
Antes de voltarmos a essa questão, vamos buscar construir nossos conceitos de estereótipo e de preconceito.
Segundo o Wikidicionário, estereótipo:
é a imagem preconcebida de determinada pessoa, coisa ou situação. São usados principalmente para definir e limitar pessoas ou grupo de pessoas na sociedade. Sua aceitação é ampla eculturalmente difundida no ocidente, sendo um grande motivador de preconceito e discriminação.

Os estereótipos são o ponto de partida para o preconceito, pois se trata de uma imagem generalizada de determinados grupos, onde se cria uma imagem preconcebida (desconhecida) desse grupo e atribui-se essas características a todas as pessoas pertencentes a esse grupo. Como exemplos de estereótipospreconceituosos, podemos citar: “as loiras são burras”, “os baianos são preguiçosos”, “norte-americano é arrogante”, “mineiro é mão-de-vaca” etc.


Segundo o mesmo dicionário, preconceito:
é um "juízo" preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude "discriminatória" perante pessoas, lugares ou tradições considerados diferentes ou "estranhos". Costuma...
tracking img