Direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2338 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade Anhanguera


Trabalho
De
Psicologia Jurídica

NOME: Lucas Henrique Mascarenhas – 3730719487

SÉRIE: 1° Semestre / Direito “B”

PROFESSOR: Leonso Costa Filho



16/04/2012, Rondonópolis - MT





Faculdade Anhanguera



A Psicologia noDireito


NOME: Lucas Henrique Mascarenhas – 3730719487
PROFESSOR: Leonso Costa Filho
SÉRIE: 1 Semestre / Direito “B”


Rondonópolis - MT


SUMÁRIO:

• Psicologia e Justiça.
• Processos mentais e Psicologia jurídica.
• Saúde mental, transtornos mentais, imputabilidade, semi-imputabilidade,inimputabilidade no uso jurídico com o apoio da psicologia jurídica.















A Prática da Psicologia Jurídica


Quando se fala de psicologia jurídica a primeira imagem que vem em nossas mentes é a do “doutor” que tenta entender uma mente criminosa, ou que atue apenas junto aos presos, porém a psicologia jurídica vai, além disso. Ela é a área dapsicologia que está em correlação com Direito, tanto nas questões teóricas como práticas. A atuação da Psicologia Jurídica em relação à perícia psicológica no campo do Direito é um serviço prestado à Justiça, pelo qual é realizado um trabalho técnico para apurar as condições psicológicas do examinando.
Esse trabalho é o foco para a Psicologia Jurídica e/ou da Psicologia Forense.Ao iniciar uma investigação psicológica relativa à perícia é necessário adotar alguns procedimentos e forma de trabalho que permita uma avaliação diagnóstica dos fatos e da pessoa (periciando) para que seja possível um laudo técnico e fiel na contribuição da Psicologia Jurídica ao magistrado.

No Brasil, o termo Psicologia Jurídica é o mais adotado. Entretanto há profissionais quepreferem a denominação Psicologia Forenses. O termo forense nos leva a idéia de fórum, tribunal, já a palavra “jurídica” da um sentindo mais amplo e abarca os conhecimentos do Direito. Assim, a palavra “jurídica” torna-se mais abrangente por referir-se tanto aos procedimentos ocorridos nos tribunais, quanto àqueles que são frutos da decisão judicial ou ainda àqueles que são de interesse dojurídico ou do Direito.





























No princípio o psicólogo jurídico apenas servia para formular laudos baseado em diagnostico e testes psicológicos para ajudar a instituição judiciária a tomar uma decisão. Porém no decorrer do tempo surgiu a necessidade de mudar este modelo de atuação, dessa forma buscou-se novas formas de intervenção, visandoo bem estar do individuo, focando a preservação da sua cidadania.

O objeto de estudo da psicologia jurídica, assim como toda a psicologia, são os comportamentos que ocorrem ou que possam vir a ocorrer, porém não é todo e qualquer tipo de comportamento.


Ela atua apenas nos casos onde se faz necessário um inter-relação entre o Direito e a Psicologia, como no casode adoções, violência doméstica, novas maneiras de atuar em instituições penitenciarias, entre outros.


A Psicologia Jurídica tem que ver tudo de um ponto de vista jurídico? Não, ao contrário, ela tem que transcender tal visão e observar o problema por um ponto de vista psicológico. Não se pode haver uma estagnação neste tipo de relação. Deve repensar se é possível responder,sob o ponto de vista psicológico, a todas as perguntas que lhe são lançadas. Nesses termos, a questão a ser considerada diz respeito à correspondência entre prática submetida e conhecimento submetido. Um se traduz no outro.


Segundo França (2004), a outra forma de relação entre Psicologia Jurídica e Direito é a complementaridade. A Psicologia Jurídica, como ciência autônoma,...
tracking img