Dificuldades frequentes na norma culta

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1582 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Dificuldades frequentes na norma culta ( escrita e oral ) da língua portuguesa

1) Uso de mal e mau

* mau – contrário de bom ( Ele estava de mau humor )
* mal _ contrário de bem ( Ele é muito mal-humorado )

2) Uso de porque (e variações)

* por que

a) nas perguntas ( Por que você não veio à festa? )

b) quando se subentende a palavra motivo ( Ele não medisse por que faltou à aula.)

c) quando puder ser substituído por pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais ( Não vou lhe dizer as razões por que deixei de vir à aula.)

d) no final de frase recebe acento circunflexo ( Você não veio à festa por quê ?

* porque

a) quando equivale a pois, uma vez que ( Não vim à aula porque estava doente.)

b) com acento quando ésubstantivo ( Não sei o porquê de sua ausência. )


3).Este, isto/esse, isso/aquele

* este, isto – use para fazer referência a alguma coisa que vai ser ou acaba de ser mencionada.

Ex.: O projeto do governo é este: acabar pouco a pouco com o vestibular.
Acabar com a corrupção e criar mais emprego.Isto é o que todo candidato diz antes de ser eleito.

* esse, isso –refere-se a algojá mencionado

Ex.: como já lhe disse, o projeto do governo era esse.

Não use o demonstrativo sem estar seguro da palavra a que ele se refere. Você estará cometendo um erro de coesão se logo na primeira frase escrever algo como: “O governo não está preocupado com esse problema da educação”. “Esse” refere-se algo já dito: logo, seu emprego está incorreto. Seria melhor escrever. “O governonão está preocupado com a educação”.

Nas indicações de tempo use:
* este, esta- para tempo presente em relação à pessoa que fala.(Tenho pensado muito em você nestes últimos dias.)

* Esse, essa – para tempo passado ou futuro não muito distantes de quem fala.( Você vai ver que esse dia há de chegar.) / ( Nessas horas ninguém aparece para dar uma ajuda.)

* Esse (esuas variantes) – em referência a uma data recém-enunciada. (Ele mudou-se para o Rio de Janeiro em 1940. Nesse ano, iria nascer seu quinto filho.)

* Aquele, aquela – para tempo indefinido,distante, em relação a quem fala. (Naquela época nem se falava em televisão.)

4) Junto a

“Junto a” siginifica “ adido a”. Leia este exemplo: Ele é nosso representante junto à FIFA.

Já esta frasenão está correta: Você tem de se explicar junto ao banco.

O certo é abandonar a palavra “junto” e usar a preposição exigida pelo verbo: Você tem de se explicar ao banco.

5) À medida que/na medida em que

Não confunda “à medida que” com “na medida em que”. A primeira locução dá idéia de proporção e a segunda de causa.

Você vai melhorar à medida que (à proporção que) for tomando esseremédio.

Vamos seguir o regulamento na medida em que (uma vez) ele foi aprovado.

Observação: Não existe a forma “à medida em que”

6) Acerca de/ a cerca de / há cerca de

* Acerca de = sobre (Não disse nada acerca do plano que elaborou.)

* A cerca de = aproximadamente (Minha casa fica a cerca de cem metros da praia.)

* Há cerca de = faz aproximadamente ( Há cerca dedez anos que eles estudam esse assunto.)

7) Há/a

Não troque “a” por “há” e vice-versa.

Use “a” para exprimir distância ou tempo futuro: Daqui a cinco anos estarei formado./ Minha escola fica a duzentos metros de casa.

Use “há”para tempo passado. Para saber se seu emprego está correto, substitua o verbo haver por fazer : Há (faz) oito anos que não o vejo.

Veja a diferença entre atempo e há tempo: Chegou a tempo de fazer as malas./ Ele está na Austrália há (faz) tempo.

8) Para mim/ Para eu

Observe:
Lamento, mas o prazo não foi suficiente para eu terminar o relatório.
* O pronome eu é um pronome reto, adequado para exercer a função de sujeito ( no caso, do verbo terminar).

Por favor, dê o livro para mim agora!
* O pronome mim é oblíquo e só pode...
tracking img