Dicotomia paraolimpica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3902 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
DICOTOMIA PARAOLÍMPICA
Castro, Sérgio Jose
Prof. MSc. Ed Física
Universidade Estácio de Sá, Universidade Castelo Branco; Presidente da Federação de Basquetebol em Cadeira de rodas do Estado do Rio de Janeiro; Diretor de Tiro Adaptado da Associação Brasileira de Desporto em Cadeira de Rodas; Responsável pelo Projeto DOWN da Universidade Estácio de Sá. Mestrando em Ciências da MotricidadeHumana da Universidade Castelo Branco. Consultor do CDOF. Consultor do ILAFIT.

Resumo

O objetivo deste artigo é o de possibilitar ao leitor a identificação do processo através do qual as diversas deficiências tem viabilizadas suas participações no Paraesporte Brasileiro, uma vez que diferem totalmente do sistema adotado pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro (COB) no qual cadamodalidade possui a sua própria Federação ou Confederação Nacional ou Internacional . o Atual Artigo visa propiciar uma visão atualizada da dicotomia existente entre as diversas deficiências e a forma através da qual tem suas participações asseguradas como foco no princípio citado no Manifesto Mundial da FIEP 2000 que prevê em seu capítulo XV o ...

Palavras-chave: Paraesporte, deficiência,Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Introdução

Tradicionalmente, o Paraesporte nacional pode ser caracterizado como a forma mais abrangente de poder reintegrar à sociedade, indivíduos que tenham sofrido um processo de perda de sua identidade através de mutilações ou até mesmo de ausência de movimentos causados por causas ainda desconhecidas pela ciência atual e que, mesmoassim , o paraesporte consegue contemplar com modalidades paraesportivas que certamente o conduzirão a um patamar de reintegração social e , naturalmente , de superação social através desta prática, a qual certamente irá causar uma satisfação pessoal exacerbada.

Contudo, essa prática, embora pautada em princípios internacionais de igualdade, tem demonstrado ao longo dos tempos, umadicotomia paraesportiva marcante. Por exemplo, os Deficientes auditivos , que foram , através da história classificados como os primeiros a fazerem o esporte adaptado através do mundo, no ano de 1888, com o Futebol de Surdos, na Alemanha, até hoje, não participam das Paraolimpíadas ou Jogos Paraolímpicos, que são consideradas a maior competição paraesportiva mundial, da qual somenteparticipam Deficientes Visuais, Amputados , Anões , Les Autres, Deficientes Físicos). Eles participam de Campeonatos Mundiais, através de sua Associação Internacional, o Comitê International de Sports de Sourds ( CISS) Já os indivíduos com Síndrome de Down, também tem as suas próprias competições conhecidas como Olimpíadas Especiais (Esportes de Inverno e Verão), da qual participam Atletas comSíndrome de Down, Deficientes Intelectivos, Retardados Mentais, Deficientes Mentais e também pessoas ditas “normais”, através de um processo denominado “esportes Unificados”, onde atletas sem deficiência participam com atletas deficientes é importante ressaltar que estes também não participam do Processo paraolímpico. Os Deficientes Mentais também tem os seus próprios campeonatos Mundiais,realizados através da Associação Brasileira de Desportos de Deficientes Mentais (ABDEM). Com o pode ser visto, existe uma discriminação dentro da discriminação, onde pessoas com deficiência não tem o direito de participar em uma competição como as Paraolimpíadas.

HISTORICO DO PARAESPORTE NO BRASIL E NO MUNDO
Foi após a I Guerra Mundial que o esporte começou a ser utilizado como ferramenta parareabilitação e inserção social da pessoa portadora de deficiência. Primeiramente, a intenção era oferecer uma alternativa de tratamento aos indivíduos que sofreram traumas medulares durante o conflito. Entretanto, em 1944, por meio de um convite do Governo Britânico, Dr. Ludwig Guttmann inaugura um centro de traumas medulares dentro do Hospital de Stoke Mandeville. É exatamente neste ponto da história...
tracking img