Desigualdade sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1137 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TOMÁS DE AQUINO

Em 1225, nasceu Tomás de Aquino em Campânia (Itália) numa das mais ilustres e antigas famílias de reino de Nápoles. Recebeu sua primeira educação no mosteiro dos Beneditinos de Montecassino, passando logo depois sua adolescência em Nápoles, onde cursa a universidade.
Em l244, contra a vontade da família, veste o hábito dos Dominicanos, renunciando a todos os seus bens etítulos. Neste mesmo ano, vai com seu mestre Alberto Magno, da mesma Ordem, para Paris onde moram no convento Saint Jacques.
Depois vão para Colômbia, onde havia sido fundado um ?studium generale?, e Alberto fica como Regente e Tomás como leitor. A permanência de quatro anos aí lhe permite
escrever suas primeiras obras: De ente et essentia e De princípios naturae.
Em 1251, encontra-se novamenteem Paris, onde explica as ?Sentenças?, fundamentais na época e cujas as lições redigidas constituem os Comentários às Sentenças de Pedro Lombardo. Seis anos depois recebe o título de Mestre.
Em 1259 leciona em Anagni; em 1261 Orviedo; em 1265 Roma e 1267 Viterbo.
Em 1265 começa a redação da sua grande obra Summa Theologica .
Em 1269 regressa a Paris para assumir as funções de Regente. Escreveentão, entre outras obras: De Virtutibus; Comentários ao Evangelho de São João; Comentários de Epistola de São Paulo; De unitate intellectus; De aeternitate mundi; Quaestiones Disputatae; e Quaestiones Quodlibetales.
Em 1273 leciona Teologia em Nápoles a pedido do rei das Duas-Sicilias. Continua a redação da sua obra começada em 1265 e cuja a terceira parte ficou inacabada, e publica: ParvaNaturalia; De memória et reminiscentia.
Em 1274 viajando para tomar parte no Concílio de Lião , por ordem de Gregório X, faleceu no Mosteiro de Fossanova, entre Nápoles e Roma.
Bia Braz.
PECADO ORIGINAL

O termo não é bíblico. Foi uma invenção de Tertuliano (160-200), um dos primeiros Padres da Igreja, e alude à maldade universal da espécie humana, aditada pela tradição ao primeiro pecadocometido por Adão. Mas quem o elevou duzentos anos mais tarde ao nível de doutrina foi Santo Agostinho aportando, como se fora pouco, uma idéia horrenda: a noção de que a mancha do pecado se transmite de geração em geração mediante o acto da procriação. Agostinho de Hipona, (354-430), considerado o maior dos padres da Igreja e um dos mais eminentes doutores da Igreja ocidental, foi um personagemestranho e um caso clínico de neurose obsessivo-compulsiva. Na sua juventude viveu uma vida dissoluta e libertina, entregue a todos os vícios inimagináveis, e, por "méritos" próprios, foi apodado de "o grande pecador" e "o maior ?putanheiro? de Mauritânia". Mais tarde desenvolveu um sentimento obsessivo de culpa e se converteu durante nove anos ao maniqueísmo, uma religião dualista baseada na lutaentre o corpo material (carnal e perverso) e a alma espiritual, com a crença de que a salvação da maldade apenas se podia lograr dominando os desejos carnais. Aos iniciados era-lhes exigida castidade total e uma vida dedicada à oração; não se chegava a tanto com os meros aspirantes (de nível espiritual inferior) que não obstante eram proibidos de ter relações sexuais durante o período fértil de suasmulheres e, portanto, procriar. Já com trinta anos Agostinho se converteu ao cristianismo e além de demonstrar, como quase todos os conversos, atitudes bastante fanáticas a favor de sua nova religião e contrárias à antiga, absorveu desta (maniqueísmo) conceitos totalmente estranhos àquela. Tanto o pecado original como o conceito da predestinação dupla (segundo a qual e devido a que a salvação e aglória estão predestinadas, a condenação e a destruição também serão predestinadas) inventado por Agustinho, são, sem ter sido nunca formulados como tal, inerentes ao maniqueísmo. A predestinação dupla nunca teve êxito dentro do catolicismo e os teólogos católico-romanos rejeitaram a doutrina, insistindo em que não existe nenhuma predestinação para o mal e que aqueles que sofrem condenação são...
tracking img