Derrame Pleural

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1530 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de maio de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
1. Pneumonia
É uma infecção que se instala nos pulmões, órgãos duplos localizados de cada lado da caixa torácica. Podem acometer a região dos alvéolos pulmonares onde desembocam as ramificações terminais dos brônquios e, às vezes, os interstícios (espaço entre alvéolo e outro).
As pneumonias são basicamente, provocadas pela penetração de um agente infeccioso – bactérias, vírus,fungos ou parasitas – no espaço alveolar, local esse onde ocorre a troca gasosa. Por isso que esse local deve estar livre de substancias que possa impedir o contato do ar com o sangue.

2. Sintomas
Alguns sintomas da pneumonia incluem tosse com expectoração, febre, calafrios, falta de ar, dor no peito quando se respira fundo, vômitos, perda de apetite, prostração e dores pelo corpo. Pode terocorrências de sangue misturado ao escarro; sendo que a febre é uma característica com maior acometimento.
Uma das complicações possíveis da pneumonia é a formação de derrame pleural.

3. Derrame Pleural
A pleura é a serosa que envolve o pulmão, sendo constituída por dois folhetos – parietal e visceral – que são contínuos na região do hilo do pulmão. São formados por mesotelio e uma camada finade tecido conjuntivo que contem fibras colágenas e elásticas.
Derrame pleural é o acumulo excessivo de liquido pleural realizando compressão do pulmão afetado. Quanto maior for o derrame e quanto mais rápido ele se forma, mais sintomas causarão. O sintoma mais comum do derrame pleural é falta de ar, chamada em medicina de dispneia.
Quando o derrame surge subitamente, a falta de ar é maisevidente. Quando ele se forma lentamente, e acaso seja associado a outras doenças que possam causar falta de ar, como o caso da insuficiência cardíaca, o derrame pleural pode passar despercebido por algum tempo. Alguns derrames podem ser tão volumosos (quanto 4 litros) o que é suficiente para comprimir completamente o pulmão afetado.
Outro sintoma bastante comum é a dor torácica que costuma ocorrerquando a pleura está irritada; na maioria das vezes é uma dor em pontada que se agrava todas as vezes que o paciente tenta respirar fundo, recebendo o nome de dor pleurítica. Pode estar ou não associada com uma tosse seca irritativa.
A dor e a falta de ar são em termos básicos os dois sintomas mais característicos do derrame; outros sintomas que acompanham normalmente o quadro costumam ocorrerdevido a doença de base, como febre e tosse na pneumonia, tosse com ocorrência de sangue no câncer de pulmão, ascite na cirrose, pernas inchadas na insuficiência cardíaca e outros.
Existem, basicamente, dois tipos de derrame pleural, sendo que a distinção é importante para o estabelecimento das causas.
Transudato: liquido pleural transudato é claro e transparente, sem células, com baixaconcentração de proteínas, indicando acumulo de liquido semelhante ao liquido pleural normal.
O derrame pleural manifestado pelo liquido tipo é normalmente causado por insuficiência cardíaca, cirrose, síndrome nefrotica, insuficiência renal avançada, hipotireoidismo descompensado e diálise peritonial.
Porem qualquer doença que evolua com ascite pode conduzir a um derrame pleural, pois há comunicaçãoentre a cavidade abdominal e o tórax.
Exsudato: liquido pleural exsudato é rico em proteínas e células inflamatórias, tem aparência mais viscosa e opaca, podendo apresentar sinais de sangue misturado, tal como pode apresentar com manifestação de coleção purulenta, em caso de infecções. O derrame pleural acometido pelo liquido tipo exsudato normalmente é resultado de infecção da pleura, podendo sercausado por vários grupos de doenças, incluindo infecções, doenças sistêmicas e cânceres.
Dentro das doenças que causam derrame pleural exsudativo estão a pneumonia, tuberculose, cânceres com metasteses para a pleura, mesotolioma, linfoma, embolia pulmonar, lúpus, artrite reumatoide, doenças auto-imunes, pancreatites, complicações intra-abdominais, síndrome de hiperestimulação ovariana e...