Democracia e autoritarismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1131 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Comunicação Comunitária

Fichamento resumido | Capítulo XVIII - Democracia e Autoritarismo
As Tensões Existentes. Os modelo de democracia. Classificação.
Autoritarismo e Democracia Clássica . Capitalismo Social

As Tensões Existentes

A doutrina classifica normalmente duas tendências opostas de regimes políticos na atualidade , os regimesdemocráticos eregimes autoritários : os autoritários se caracterizam pelo poder político de uma única pessoa .
Há um problema em relação a esta classificação clássica , uma vez que nem todos estão de acordo quanto à conceituação de democracia , uma vez que as democracias ocidentais permanecem fiéis ao individualismo , ao passo que as populares afirmamque tambem asseguram a liberdade mas colocando so determinismos sociais em primeiro lugar.

Os Modelos de Democracia

Podemos dizer que, com a afirmação do Estado Social e Democrático, as democracias ocidentais, com exceções (EUA), vem abandonando o individualismo, ao mesmo tempo que algumas democracias populares européias vêm concedendo ummaior espaço para o campo de ação individual. trata-se de uma revisão crítica do individualismo como também do socialismo estatizante, que levaram a distorções como o Individualismo Egoísta Liberal e o Socialismo Massificador e Estatal.
Para evitar confronto entre o modelo de democracia "ocidental", que pode ser mais individualista ou mais socializante, o modelo de "democracias populares", JuanFernando Badia classifica três grandes sistemas políticos atuais como sendo o democrático, o social-marxista e o autoritarismo.

Autoritarismo e Democracia Clássica

Giuseppe de Vergottini acrescenta que o Estado autoritário surgiu para fazer frente ao comunismo ou às formas estatais progressistas. Sua finalidade será manter situações de desigualdade social e econômica e frear os movimentosde reivindicações de igualdade e as formas difusas de participação política.
O regime autoritário que se firmou nas décadas de 60 e 70, em países latino-americanos como o Brasil, Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, dentre outros, é, sem dúvida, o pior campo para a existência dos Direitos Humanos, pois não existe respeito a nenhum dos grupos de direitos, sejam individuais, sociais, políticos oueconômicos.
Portanto, neste estudo do Estado e dos sistemas políticos, podemos notar que dois modelos apresentam condições para a afirmação dos Direitos Humanos: a) a democracia social, que reúne elementos do liberalismo, ao assegurar as liberdades fundamentais, e do socialismo, ao assegurar os direitos sociais, democracia econômica e política. Será a partir desse modelo que, aperfeiçoando-se,chegaremos a modelos mais democráticos e participativos de sociedades.
A democracia liberal clássica mostrou-se ineficaz, posto que, ao respeitar as liberdades individuais ignorando os direitos sociais, inviabilizou o exercício destas liberdades para grande parte da população. O sistema marxista-social, nos seus dois primeiros estágios de evolução, dá ênfase aos direitos sociais e econômicos, nãohavendo, entretanto, o pleno exercício dos direitos individuais. Sem dúvida que, ao atingir o terceiro estágio, estaríamos diante da realização de todos os direitos da pessoa, o que, entretanto, parece distante no atual estágio da evolução humana.
Retornando à democracia social, vamos recorrer a Juan Ferrando Badia, que ressalta a importância do sistema de democracia social que surge do impactoda crítica marxista ao liberalismo e da pressão operária. Foi a partir desse momento que as democracias sociais se afirmaram, sendo que, em alguns casos, que ainda são poucos, houve também a aceitação de certos princípios de democracia econômica.
Com essas modificações essenciais do capitalismo, surgiu o que se pode chamar de capitalismo social, a fusão de princípios liberais com princípios...
tracking img