Cristo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5891 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
SETECERJ

Apostila Introdutória de Exegese do Novo Testamento

Pr. Deivinson Gomes Bignon

www.voltandoparabiblia.com.br
prdeivinson@voltandoparabiblia.com.br




I - A Formação do Cânon do Novo Testamento
Os vinte e sete livros do Novo Testamento provavelmente só foram preservados por se acharem em conexão com as coleções eclesiásticas, e não por terem sido copiadosdiretamente de originais isolados. A história do cânon tenta entender de que modo tais coleções e, finalmente a coleção do Novo Testamento tomaram a forma que possuem. Embora os livros do Novo Testamento só tenham chegado até nós como parte de uma coleção aprovada pela igreja, nenhum deles foi incorporado a tal coleção. "Mesmo que já houvesse uma coleção das epístolas paulinas no fim do I século,ela não era encarada como ‘’Sagrada Escritura’". Mas Jesus e o cristianismo primitivo nunca dispensaram a Sagrada Escritura: eles consideravam o Antigo Testamento como as "escrituras", que provinham do judaísmo e que eram citadas em todas as partes do Cânon Vetero-Testamentário. A revelação de Deus fora conservada de forma escrita, como se mostrava evidente para a igreja primitiva bem no início desua existência.
A história da formação daquilo que é conhecido como o cânon do Novo Testamento é a história da exigência de uma autoridade. No final do século I os livros já haviam chegado ao seu destino. Nem todos se tornaram conhecidos por todos os cristãos logo de início. Pelo contrário, é muito provável que alguns dos cristãos primitivos não tivessem visto todos os evangelhos, nemtodas as epístolas antes do fim do século. Além disso, muitos evangelhos, atos e epístolas apócrifas circulavam durante o segundo século e foram aceitos por alguns grupos, senão não teriam sequer sobrevivido. A valiosa literatura dos cristãos primitivos que expressavam sua fé e dedicação era preservada pelas congregações em todo o império romano. Esta autoridade canônica repousava sobre o testemunhoocular de doze homens.
Para o homem do século vinte, o processo de canonização poderá parecer de lenta evolução; todavia, levando em consideração a dificuldade de se conseguir livros feitos com cópias manuscritas e também a morosidade em se fazer viagens, tal processo foi rápido e extraordinário. O valor, a divina inspiração, a morte das testemunhas oculares, os ensinos de Jesus,tornaram o processo de preservação dos livros mais importante. É neste prisma que desejo esboçar algumas idéias a respeito da formação do cânon do Novo Testamento, não quero promover um tratado sobre o assunto, e por isso procurarei ser breve e objetivo nas abordagens e considerações que visam pesquisá-lo histórica e criticamente.
1.1 - Definição
A palavra κανων, significavaprimitivamente vara ou régua de uma maneira especial era usada para medir algo em linha reta, à semelhança da linha ou régua dos pedreiros e carpinteiros. Passou a significar metaforicamente um padrão. Em gramática significava uma regra; em cronologia, uma tabela de datas; em literatura uma lista de obras que podiam ser corretamente atribuídas a um determinado autor. Assim o cânon de Platão refere-se à listade tratados que podem ser atribuídos à Platão como genuinamente de sua autoria. O processo bíblico pelo qual os livros foram escolhidos é então chamado de canonização.
Os cânones literários são importantes, porque só as obras literárias genuínas de um autor podem revelar o seu pensamento. Num embate entre as heresias, as literaturas pagãs e as doutrinas defendidas pela igreja surge entãoa necessidade de serem avaliados os livros ou escritos que circulavam no contexto clerical. Sendo assim a palavra cânon passou a denotar o conteúdo das escrituras. "Cânon, finalmente, é o corpo de escritos havidos por únicos possuídos de autoridade normativa para a fé cristã, em contraste com escritos que não o são ainda que contemporâneos".
1.2 - O Critério Canônico
Moule nos...
tracking img