Crescimento vegetativo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2684 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Crescimento Vegetativo

O crescimento natural ou crescimento vegetativo é a diferença entre os nascimentos e as mortes, ou seja, entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade, geralmente ele é expresso em percentagem. O Crescimento vegetativo pode ser:
• Positivo: Quando o número de nascimentos é maior que o de mortes.
• Negativo: Quando o número de nascimentos é menor que o demortes.
• Nulo: Quando o número de nascimentos é igual ao de mortes.
Então podemos dizer que para o crescimento vegetativo ser positivo, a taxa de fecundidade, ou seja, de natalidade, precisa ser superior a dois filhos por mãe. Leva-se em conta, porém, que o crescimento vegetativo está diretamente ligado à atualidade sócio-econômica do país [1], afinal quanto melhor a infraestrutura, ascondições sociais do país, tende a ser menor o crescimento vegetativo.
Um crescimento vegetativo negativo, típico de países com alto IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), e antiga industrialização não pode ser visto como benéfico. Tal fato, traz conseqüências futuras ruins para o país como previdência social sobrecarregada, afinal a população ativa não é suficiente para "suportar o país" e também ofato dos altos gastos do governo com a terceira idade. Sendo que cada vez mais se percebe o crescimento dessa faixa etária e uma diminuição relativa da faixa mais jovem.
Isso não significa que quanto mais filhos tivermos melhor, pois um crescimento acelerado é muitas vezes sinal de uma má infra-estrutura social.

Taxa de Natalidade e de Mortalidade

Se observarmos os dadospopulacionais brasileiros, poderemos verificar que a taxa de natalidade tem diminuído nas últimas décadas. Isto ocorre, em função de alguns fatores. A adoção de métodos anticoncepcionais mais eficientes tem reduzido o número de gravidez. A entrada da mulher no mercado de trabalho, também contribuiu para a diminuição no número de filhos por casal. Enquanto nas décadas de 1950-60 uma mulher, em média,possuía de 4 a 6 filhos, hoje em dia um casal possui um ou dois filhos, em média.

A taxa de mortalidade também está caindo em nosso país. Com as melhorias na área de medicina, mais informações e melhores condições de vida, as pessoas vivem mais. Enquanto no começo da década de 1990 a expectativa de vida era de 66 anos, em 2005 foi para 71,88% (dados do IBGE).

A diminuição na taxa defecundidade e aumento da expectativa de vida tem provocado mudanças na pirâmide etária brasileira. Há algumas décadas atrás, ela possuía uma base larga e o topo estreito, indicando uma superioridade de crianças e jovens. Atualmente ela apresenta características de equilíbrio. Alguns estudiosos afirmam que, mantendo-se estas características, nas próximas décadas, o Brasil possuirá mais adultos eidosos do que crianças e jovens. Um problema que já é enfrentado por países desenvolvidos, principalmente na Europa.


Mortalidade Infantil

Embora ainda seja alto, o índice de mortalidade infantil diminui a cada ano no Brasil. Em 1995, a taxa de mortalidade infantil era de 66 por mil. Em 2005, este índice caiu para 25,8 por mil. Para termos uma base de comparação, em paísesdesenvolvidos a taxa de mortalidade infantil é de, aproximadamente, 5 por mil. 

Este índice tem caído no Brasil em função, principalmente, de alguns fatores: melhorias no atendimento à gestante, exames prévios, melhorias nas condições de higiene (saneamento básico), uso de água tratada, utilização de recursos médicos mais avançados, etc.

Outros dados da População brasileira 
-Crescimento demográfico: 1,17% ao ano (2000 a 2010) **
- Expectativa de vida: 73,5 anos **
- Taxa de natalidade (por mil habitantes): 20,40 *
- Taxa de mortalidade (por mil habitantes): 6,31 *
- Taxa de fecundidade total: 1,86 **
- Estrangeiros no Brasil: 0,23% **
- Estados mais populosos: São Paulo (41,2 milhões), Minas Gerais (19,5 milhões), Rio de...
tracking img