Convite

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3096 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RESUMO DO PENSAMENTO DE THOMAS HOBBES

Estado de natureza A natureza fez os homens iguais e, em sendo iguais, todos podem aspirar a qualquer coisa e se utilizar de quaisquer meios para atingir os seus objetivos. Na medida em que dois homens desejam a mesma coisa, eles passam a ser inimigos e buscam a destruição um do outro. O estado de natureza ou direito de natureza (jus naturale ) é definidopor Hobbes como ³a liberdade que cada homem possui de usar o seu próprio poder, da maneira que quiser, para a preservação da sua própria natureza, ou seja, da sua vida; e consequentement e de fazer tudo aquilo que o seu próprio julgamento e a razão lhe indiquem como meios mais adequados a esse fim´. Na ausência de um poder que limite as suas ambições, os homens vivem em permanente estado deguerra, que é motivado por três causas principa is de discórdia: a competição ± os ataques visam o lucro; a desconfiança ± defesa das pessoas e das propriedades; e a glória ± luta pela reputação ou por uma ofensa qualquer. Nessas condições, o homem não consegue desenvolver atividades voltadas para a melhoria de suas condições de vida, como o trabalho, cultivo de terra, navegação, artes e outras. Tudocausado pelo medo contínuo e perigo de morte violenta. Assim, a sua vida é solitária, miserável, sórd ida, brutal e curta. Como resultado das assertivas anteriores, Hobbes conclui que n ão existe a noção de certo e errado, de justiça e injustiç a, uma vez que não há poder comum. Portanto, não há lei e onde não há l ei não há justiça. A força e a fraude são cultuadas, na guerra, como as duas virtudescardeais. Também não há propriedade, já que o homem é dono apenas daquilo que é capaz de conseguir e conservar. Como sair dessa situação miserável? Por intermédio das paixões e da razão. O medo da morte e o desejo de uma vida confortável são paixões que fazem os hom ens tender para a paz, cuja obtenção é guiada pela razão e materializada pelo estabelecimento de normas, que refletem um acordoentre eles. Hobbes afirma que algumas pessoas podem não concordar com as suas inferências , pois apresenta os homens como sendo c apazes de se destruírem uns aos outros. Entretanto, lembra que quando alguém empreende uma viagem, procura se armar; quando vai dormir, fecha as portas; quando está em casa, fecha seus cofres . Tudo isto pode representar, em atos, uma acusação contra a humanidade, da mesmaforma que ele o faz com as suas palavras.

A filosofia moral de Hobbes admite como ponto de partida uma descrição comumente aceita de algum estado de coisas. Em Leviatã, esta descrição corresponde ao estado de natureza, base para a sequência da sua argumentação , qual seja, o homem, as leis de natureza, o poder, o soberano e a república.

Lei de natureza Para Hobbes, o homem é o individuo quenão almeja tanto os bens, mas a honra, que é o valor dado a alguém em função das aparências e xternas. O homem vive basicamente da imaginação. Imagina ter um poder, imagina ser respeitado ou ofendido pelos semelhantes. Concordando com os pensadores do séc. XVII e XVIII, Hobbes dizia que da imaginação decorrem perigos, pois se fantasia o irreal. Enquanto perdurar o estado de natureza, os homensnão têm segurança para viver. Hobbes, então, prosseguindo na sua argumentação, afirma que o término desse conflito pode ser estabelecido pela lei de natureza, uma espécie de base jurídica que impede os homens de se destruírem uns aos outros. Interessante notar a diferença entre direito e lei apontada por Hobbes: ³o Direito consiste na liberdade de fazer ou de omitir, ao passo que a Lei determina ouobriga a uma dessas duas coisas´. Em conseqüência, manda a raz ão que o homem se esforce para alcançar a paz. Daí resulta a primeira e fundamental lei de natureza, que é procurar a paz e segui -la. Desta lei fundamental, deriva -se a segunda lei: contratar para obter a paz. A lei do evangelho pode ser usada para resumir as dezenove leis de natureza concebidas por Hobbes ± faz aos outros o que...
tracking img