Contabilidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4707 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de fevereiro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Depreciações e amortizações

Inicio da depreciação
– A depreciação de um AFT inicia quando este está disponível para uso.
– No caso dos terrenos, tendo estes uma vida útil ilimitada não são, regra geral, sujeitos a depreciação.

Exemplo de quantia depreciável:

Questão: Aquisição de uma viatura no valor de € 25.000,00. O seu valor residual estimado é de €3.000,00.
Resposta: A quantiadepreciável é o valor de €22.000,00 (25.000,00 – 3.000,00)
• o valor residual é muitas vezes insignificante ou de difícil quantificação, por isso, normalmente considera-se que é igual a zero.

• Vida útil

– É o período durante o qual uma entidade espera que um activo esteja disponível para o uso ou o número de unidades de produção ou similares que uma entidade espera obter do activo
– É umaestimativa efectuada pela entidade fundamentada por um juízo de valor baseado na experiência da entidade com activos semelhantes

• Período de vida útil

– Os bens do activo fixo tangível têm, normalmente uma vida útil limitada, por isso devem ser depreciados em função da sua utilização. A depreciação de um AFT inicia quando este está disponível para uso. No caso dos terrenos, tendo estes umavida útil ilimitada não são, regra geral, sujeitos a
depreciação.

• Como se estima a vida útil de um bem do activo fixo tangível?

- Através da experiência da empresa com activos semelhantes
- Na estimativa da vida útil devem ser considerados:
- O uso esperado do activo (capacidade esperada);
- O desgaste normal e ruptura físicos esperados (v.g. n.º de turnos);
- A obsolescência técnica(v.g. avanços tecnológicos);
- Limites legais ou semelhantes sobre o uso do activo (v.g. datas de extinção de locações).

• O valor residual e a vida útil devem ser revistos pelo menos no final de cada ano financeiro.
• Sempre que se entender alterar a vida útil estimada, os gastos de depreciação do período corrente e futuros devem ser estimados com base na estimativa da vida útil remanescente –nunca devem ser feitas as correcções em Capitais Próprios ( Políticas contabilísticas, alterações nas estimativas contabilísticas e erros).

Métodos de cálculo das depreciações

Critérios rígidos: quando todas as quotas de depreciação/amortização são fixadas à data da entrada em funcionamento do bem imobilizado; tem apenas em consideração o factor tempo:

- Método da linha recta ou quotasconstantes – pressupõe que o desgaste é directamente proporcional ao tempo, ou seja, é constante o valor das quotas anuais de depreciação/amortização
Qt = quota de depreciação/amortização do período t
R = Valor residual (valor atribuído ao bem no fim da vida útil)
A = Valor a amortizar/depreciar
Va = Custo de aquisição do bem de investimento
n = anos de vida útil esperados

– Método dosaldo decrescente (ou da soma
dos dígitos dos anos);

Critérios elásticos: quando a fixação das quotas de depreciação se efectua no fim de cada período a que respeitam e em função de determinados acontecimentos (grau de utilização, Kms percorridos, peças produzidas, etc.)

– Método das unidades de produção

Método da linha recta

• Este método pressupõe que o desgaste é directamenteproporcional ao tempo de vida útil do bem, ou seja, é constante o valor das quotas anuais de depreciação.
Qt = VA – VR
n

Exemplo:

– Um autocarro foi adquirido, em 1 de Janeiro de n, pela empresa “Soares de Pinho, Lda.”, pelo valor de 188.000 €, prevendo-se uma vida útil de 5 anos para o bem e um valor residual de 8.000 €.
• Preço de aquisição (Va) = 188.000 €
• Valor residual(Vr) = 8.000 €
• Vida útil (n) = 5 anos
Quota de depreciação: Qi = Va–Vr = 188.000–8.000 = 36.000
n 5

Quadro de depreciações

[pic]

Método do saldo decrescente

• Este é um método de depreciação acelerada.
• A quota de depreciação é maior nos primeiros anos de vida útil do bem, do que nos últimos. Um dos exemplos do...
tracking img