Contabilidade finnceira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 37 (9219 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CONTABILIDADE FINANCEIRA: Reservas, Provisões e Fundos










Cuiabá – MT,
Setembro, 2012.
















CONTABILIDADE FINANCEIRA: Reservas, Provisões e Fundos



Trabalho acadêmico apresentado ao Professor da disciplina de Contabilidade Financeira do Instituto Cuiabá de Ensino e Cultura – ICEC, como complemento de nota dosemestre. Prof. Anderson da Silva Oliveira.





Cuiabá - MT,
Setembro, 2012.

SUMÁRIO





1 INTRODUÇÃO 03

1.1 Contextualização 03
2 OBJETIVOS 04
2.1 Objetivo Geral 04
2.2 Objetivos Específicos 04
3 CONCEITO DE RESERVAS 05
4 RESERVA VERSUS PROVISÃO PARA CONTINGÊNCIA 07
5 PREVISÕES 08
6 FUNDOS 09
7 APRESENTAÇÃO NO PLANO DE CONTAS 10
8 ESTRUTURA ECODIFICAÇÃO NO PLANO DE CONTAS 10
9 ELENCO DE CONTAS 14
10 FUNÇÃO E FUNCIONAMENTO DAS CONTAS 22
11 CONCLUSÃO 46
12 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 46














1 INTRODUÇÃO

De acordo com Weston e Brigham (2000), a administração financeira tem obtido grande importância nas empresas atualmente, e os controles são essenciais para uma boa administração, sendo que a faltadestes controles pode até mesmo levar a empresa a falência. Sem controle a empresa não sabe quando e quanto entrará de dinheiro em caixa com exatidão, e assim não tem como programar as contas a pagar, correndo o risco de acumular dívidas em uma época em que não haverá entradas suficientes para liquidá-las.
De acordo com Hoji (1999), a função do administrador financeiro de uma empresa alémde tomar decisões de investimentos e de financiamentos, é analisar o controle financeiro, ou seja, coordenar, monitorar e avaliar as atividades da empresa através de dados financeiros.
Entretanto, este trabalho tem por escopo a pesquisa sobre reservas, previsões e fundos buscando a contextualização individual de cada tema proposto.

1.1 Contextualização

A Contabilidade temevoluído ao longo dos anos em função de diversos estudos que possibilitam o surgimento de novas e melhores formas de controlar o patrimônio (muitos teóricos nos confirmam ser este o objeto da Contabilidade).Para isso, o estudo da Contabilidade como o de qualquer outra ciência, necessita ter um foco, uma idéia central, no qual, na Ciência Contábil é conforme disse IUDÍCIBUS (1995:21), “o objetivo básicoda contabilidade, pode ser resumido no fornecimento de informações econômicas para os vários usuários, de forma que propiciem decisões racionais.” O estudo da contabilidade é bastante antigo, pois desde tempos remotos que o homem já se preocupava em controlar sua riqueza, afinal à medida que o homem desenvolvia um patrimônio, era necessário que ele procurasse desenvolver procedimentos paradeterminar as suas posses e avaliar as mesmas. Segundo SÁ (1998:19) “há mais de 6.000 anos o comércio já era intenso, o controle religioso sobre o estado já era grande e poderoso, daí derivando grande quantidade de fatos a registrar, ensejando, também o desenvolvimento da escrita contábil. No Egito há milhares de anos, “o papiro deu origem aos livros contábeis e já se faziam registros sofisticados,inclusive utilizando-se o sistema das matrizes” (como na lógica matemática)”. Um dos grandes mestres da contabilidade ao longo das eras foi frei Luca Pacioli, foi ele quem desenvolveu os primeiros estudos sobre as teorias da Contabilidade e o inventor do método das Partidas Dobradas (para todo débito, há um crédito). Assim, em sua evolução, a Contabilidade percorreu por várias correntes de pensamentodentro do contexto econômico e social do próprio tempo em que foram se desenvolvendo os estudos e ampliando-se o número de estudiosos da ciência contábil, entre as quais se destacam o Contismo, o Personalismo, o Neocontismo, o Controlismo, o Aziendalismo, o Patrimonialismo e o Neopatrimonialismo (áreas não muito estudadas hoje, consideradas já antigas).
Neste trabalho traremos a baila os...
tracking img