Contabilidade de custos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1685 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
macro

Demanda Agregada I
victor@fucape.br

Contexto
introduzimos o modelo de demanda e oferta
agregada.
Longo prazo
– preços flexíveis
– produto determinado pelos fatores de
produção & tecnologia
– desemprego = taxa natural
Curto prazo
– preços fixos
– produto determinado pela demanda agregada
– desemprego é relativamente relacionado ao
produto
AULA 8

Demanda Agregada Islide 1

Contexto
Este capítulo desenvolve o modelo IS-LM, a
teoria que resulta na curva de demanda
agregada.
Nós iremos focar no curto prazo e assumir que
o nível de preços é fixo.
Este capítulo (e o seguinte) focam no caso de
uma economia fechada.

AULA 8

Demanda Agregada I

slide 2

1

A Cruz Keynesiana
Um modelo simples de uma economia fechada
em que a renda é determinadapelo gasto.
(devido a J.M. Keynes)

Notação:
I = investimento planejado
E = C + I + G = despesa planejada
Y = PIB real = gasto corrente
Diferença entre gasto corrente & planejado:
investimento não-planejado em estoques
AULA 8

Demanda Agregada I

slide 3

Elementos da Cruz Keynesiana
C = C ( −T )
Y

função consumo:
variáveis do gov:

G = G , T =T

assuma, investimentoplanejado é exógeno:
gasto planejado:

I =I
E = C ( −T ) + I + G
Y
Y=E

cond. de equilíbrio:

AULA 8

Demanda Agregada I

slide 4

Gasto planejado
E
gasto
planejado

E =C +I +G
1

PMC

renda, produto, Y

AULA 8

Demanda Agregada I

slide 5

2

Condição de equilíbrio
E
E =Y

gasto
planejado

45º
renda, produto Y

AULA 8

Demanda Agregada I

slide 6O valor de equilíbrio da renda
E
E =Y

gasto
planejado

E =C +I +G

renda, produto Y

renda
equilíbrio
AULA 8

Demanda Agregada I

slide 7

Um aumento nos gastos do governo
=

E
E

Em Y1,
existe agora
uma queda no
investimento
não
planejado…

E =C +I +G2
E =C +I +G1

∆G

…então as firmas
aumentam a
produção e a
renda aumenta
para um novo
equilíbrio
AULA8

Y

Y
E1 = Y1

Demanda Agregada I

∆Y

E2 = Y2
slide 8

3

Solucionando para ∆Y
Y =C +I +G

condição equilíbrio

∆Y = ∆C + ∆I + ∆G

em taxas

=

∆C

+ ∆G

= MPC × ∆Y + ∆G
Junte os termos com
∆Y no lado esquerdo:

(1 − MPC) × ∆Y = ∆G
AULA 8

porque I é exógena
porque ∆C = MPC ∆Y
Solucione p/ ∆Y :



1
∆Y = 
 × ∆G
 1 − MPC 

Demanda AgregadaI

slide 9

O multiplicador dos gastos públicos
Definição: o aumento na renda resultante do
aumento de um $1 em G.
Neste modelo, o multiplicador do gasto do
governo é
∆Y
1
=
∆G
1 − MPC
Exemplo: Se MPC = 0.8, então
∆Y
1
=
=5
∆G
1 − 0.8

AULA 8

Um aumento em G
provoca um
aumento de 5 vezes
na renda!

Demanda Agregada I

slide 10

Por que o multiplicador é > 1Inicialmente, o aumento em G provoca um
aumento igual em Y:
∆Y = ∆G.
Mas ↑Y

⇒ ↑C
⇒ novamente ↑Y
⇒ novamente ↑C
⇒ novamente ↑Y

Então o impacto final sobre a renda é muito
maior do que a o movimento inicial ∆G.

AULA 8

Demanda Agregada I

slide 11

4

Um aumento na taxação
=

E
Inicialmente, o
aumento de
tributos reduz o
consumo e
portanto E:

E

E =C 1 +I +G
E =C 2+I +G

Em Y1, existe um
aumento não
planejado nos
estoques…

∆C = −MPC ∆T
…então as firmas
reduzem o
produto, e a renda
cai para o novo
equilíbrio
AULA 8

Y

Y
∆Y

E2 = Y2

E1 = Y1

Demanda Agregada I

slide 12

Solucionando ∆Y
condição de equilíbrio
em taxas

∆Y = ∆C + ∆I + ∆G
= ∆C

I e G exógenos

= MPC × ( ∆Y − ∆T

(1 − MPC) × ∆Y = − MPC × ∆TSolucionando
para ∆Y :

 − MPC 
∆Y = 
 × ∆T
 1 − MPC 

Resultado
final:
AULA 8

)

Demanda Agregada I

slide 13

O multiplicador dos impostos
def: a mudança na renda resultante do
aumento em $1 em T :

∆Y
∆T

=

− MPC
1 − MPC

Se MPC = 0.8, então o multiplicador é

∆Y
∆T

AULA 8

=

− 0.8
− 0.8
=
= −4
1 − 0.8
0.2

Demanda Agregada I

slide 14

5...
tracking img