Concurso

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (308 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
PRIMAVERA ÁRABE
 Onda de protestos, revoltas e revoluções populares contra governos do mundo árabe desde 2010, 2011 e 2012, pedindo democracia e melhor qualidade de vida.  Revoluções na Tunísia eno Egito, guerra civil na Líbia e na Síria; grandes protestos na Argélia, Bahrein, Djibuti, Iraque, Jordânia, Omã e Iêmen e protestos menores no Kuwait, Líbano, Mauritânia, Marrocos, Arábia Saudita,Sudão e Saara Ocidental.

PRIMAVERA ÁRABE
 Os

protestos teve compartilhado técnicas de resistência civil em campanhas sustentadas envolvendo greves, manifestações, passeatas e comícios, bemcomo o uso das mídias sociais, como Facebook, Twitter e Youtube, para organizar, comunicar e sensibilizar a população e a comunidade internacional em face de tentativas de repressão e censura naInternet por partes dos Estados.

Revoltas árabes

TUNÍSIA
 Dez/2010:

suicídio de Mohamed Bouazizi.
 Renúncia de Zine Ben Ali (23 anos no poder) – Revolução de Jasmin.

EGITO
 18 dias deprotestos e a renúncia de Hosni Mubarack (29 anos no poder). Mubarack foi condenado por conivência nas mortes de mais de 800 manifestantes durante a revolta popular contra o seu governo.

LÍBIA
Osprotestos degeneraram em guerra civil, opondo forças do coronel Muammar Kadafi a um movimento rebelde, apoiado pelos países ocidentais.  Para proteger os civis a OTAN realizaram ataques aéreos contrao país. Os rebeldes tomaram o poder. Cerca de 30 mil mortos na guerra na Líbia.  07/07/12 – Eleições legislativas após 48 anos.


IÊMEN
 Ali Abdulah Salem – 33 anos no

poder, fez umacordo com a oposição e passou o governo em fevereiro / 2012 para Abd Rabbo Mansur Hadi.

SÍRIA
Março / 2011 – movimentos para pedir reformas políticas e mesmo a renúncia do presidente Bashar alAssad(12 anos no poder).  Trégua assinada em 12 de abril, violada sistematicamente desde então.  Estima-se que mais de 22 mil pessoas, em sua maioria civis, morreram em confrontos desde março de 2011....
tracking img