Conceitos de semiotica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3137 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal do Tocantins - Campus de Palmas
Curso de Comunicação Social - Jornalismo


Alynne Grasielle Pereira Mendonça
Djavan da Costa Barbosa








Conteúdo








Conteúdo da proposta de releitura da canção: Pra não dizer que não falei das flores, de Geraldo Vandré, solicitado pela professora Daniela Soares Pereira, dadisciplina de Estética e Comunicação - curso de Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, da Universidade Federal do Tocantins/UFT.











Palmas/TO
2012
Canção: Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores
Intérprete – Geraldo Vandré
[pic]
Geraldo Vandré no festival da canção


Compositor – Geraldo Vandré
Ano de divulgação – 1968

Caminhando e cantando
E seguindo acanção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhãoRefrão:
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição:
De morrer pela pátria
E viver sem razão

Refrão

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a cançãoSomos todos iguais
Braços dados ou não

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição

Refrão



Quem foi Geraldo Vandré?
Geraldo Pedrosa de Araújo Dias nasceu em Pessoa PB em 12 de Setembro de 1935, é advogado, hoje e aposentado como servidor publico federal e umdos maiores cantores e compositores brasileiros, reside na cidade de São Paulo, após o exilo ele abandou a vida publica e se afastou do mundo artístico atuando somente como advogado, tais afastamentos estão vinculados às supostas descrença na esquerda, sua mudança ideológica e seu abandono da vida artística aos atos de tortura supostamente sofridos.

Numa entrevista para o jornalista GenetonMoraes Neto, publicada em seu blog no portal G1 ele demonstra descrença pela nossa sociedade, fez critica a cultura e a arte brasileira, ele nega ter feito musicas de protesto, ele fazia musica para o pais há quarenta anos e não para esse de massificação, ele se sente exilado ate hoje, não tem motivos para escrever ou cantar como tinha antes na década de 60.

“Quem sabe faz a hora, nãoespera acontecer”
Esta musica foi lançada no III festival Internacional da canção de 1968, ela ficou em segundo lugar, seu lançamento foi num período conturbado da historia brasileira, o período da ditadura no qual o Brasil era governado pelos militares. Esta época se deu de 1964 ate 1985, caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política erepressão aos que eram contra o regime militar.
O ano de 1968 foi considerado um ano de reações, à sociedade como um todo, incluindo estudantes, artistas, políticos e intelectuais aguardavam angustiadamente solução democrática para o terrível clima político instaurado pelos militares nesse clima o ano foi carregado de manifestações a ditadura.
Esse ano ocorreram vários conflitos e instauradosleis duras contra a democracia, em 13 de dezembro deste ano o governo decretou o Ato Institucional Número 5 ( AI-5 ), mais duro ato do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
Ainda nesse ano ocorreu em 29 de março, um protesto de 50 mil pessoas no centro do Rio, em junho, uma multidão...
tracking img