Com o olhar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3535 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
r
Com o olhar nos professores: Desafios para o enfrentamento das realidades escolares
Alda Junqueira Marin*
 Marin, Alda Junqueira. Com o olhar nos professores: Desafios para o enfrentamento das realidades escolares. Cad. CEDES, Abr 1998, vol.19, no.44, p.8-18. ISSN 0101-3262
 
RESUMO: A escola tem sido crescentemente focalizada, não só no Brasil, mas em outros países, constituindoimportante fonte para a compreensão das realidades vividas e sofridas pela grande maioria das populações mais privilegiadas econômica, social e culturalmente. A bibliografia produzida pelos autores de tais estudos denuncia, de maneira contundente, a baixa qualidade educacional em vários países, expressa por problemas como indisciplina na sala de aula, precárias condições para o trabalho educativo,despreparo dos professores para realizar adequadamente seu trabalho, baixo status profissional e baixa remuneração, agravados no Brasil pelos alarmantes índices de evasão e repetência. Com o olhar nos professores, como comprometimento político e preocupação de pesquisa, desde o ano de 1984, nossos estudos permitem dizer que esse quadro de problemas não constitui um insucesso generalizado, mas representa,sobretudo, desafios a enfrentar.
Palavras-chave: Realidade escolar, desafios educacionais, professor


Introdução
Este texto tem a intenção de trazer alguns dados e algumas reflexões relativos às condições do trabalho educativo realizado por professores no interior de escolas, sobretudo de escolas públicas.
Este locus de trabalho tem sido crescentemente focalizado nas duas últimas décadas,não só no Brasil, mas em outros países, constituindo importante fonte para a compreensão da realidade educacional vivida e sofrida pela grande maioria das populações mais desprivilegiadas econômica, social e culturalmente.

As condições do trabalho educativo e as realidades escolares
A bibliografia produzida, nos últimos anos, sobre os problemas em vários países e também no Brasil é extensa edenuncia de maneira contundente a baixa qualidade educacional oferecida pelos sistemas escolares. Há grande número de pesquisas demonstrando que a indisciplina em sala de aula, as precárias condições de trabalho do professor - que assumem também a forma de despreparo profissional para a organização do conteúdo escolar e dos procedimentos didáticos -, o baixo status profissional, a baixa remuneraçãodo serviço prestado e as dificuldades para enfrentar eficazmente as características apresentadas pelo corpo discente significam entraves à realização dos ideais propostos para a escola, sobretudo para a escola pública. Todos esses fatores contribuem para a produção do fracasso escolar e da baixa qualidade do ensino, agravados, no Brasil, pelos alarmantes índices de evasão e repetência.Procurando especificar um pouco mais tais aspectos, com o olhar mais enfático na relação das condições de trabalho, as realidades escolares e os professores, este item procura analisar alguns dados em função das condições físicas, materiais e humanas para tal trabalho a partir de referencial bibliográfico e de material obtido em pesquisas da equipe que aqui se apresenta.
Na década de 1970 a bibliografiaaponta, por exemplo, que as dificuldades vividas pelo sistema escolar brasileiro, quer no primeiro quer no segundo grau, decorrem fundamentalmente da ausência de condições para enfrentar a demanda por vagas. Cunha (1980) apresenta o alto índice de analfabetos no início da década de 1970, apontando, também, as taxas de evasão e reprovação em ambos os graus de ensino. A análise feita por esse autor,referindo-se às causas de tal situação no âmbito do país contém dados negativos internos à escola, ou seja, às precárias condições físicas das escolas e dos materiais pedagógicos, ao problemático desempenho dos professores e sua formação, aliados à condição socioeconômica desfavorável do alunado. Assim o autor aponta para mais de um terço de professores primários do Brasil (37,1%) sem formação...
tracking img