Coesao e coerencia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2858 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Coesão e coerência Textuais Apostila 2 – p.1

❖ Coerência deve ser entendida como unidade do texto. No texto coerente, não há nenhuma parte que não se solidarize com as demais. Coerência é um princípio textual que lida com as idéias.

❖ Coesão textual é a ligação entre os elementos de um texto, ou seja, qualquer vínculo estabelecido entre as palavras, entre as orações,entre os períodos ou entre os parágrafos. Portanto, pode-se dizer que um texto é coeso quando seus elementos são empregados com correção.

1. Coesão como recurso de associação de termos
Ex.: Ana abraçou a criança e encostou-a em seu peito.
(Criança = a)

2. Coesão como recurso de articulação de sentenças
Ex.: [Estudei pouco,] [maspassei.] mas = conjunção coord. adversativa (oposição de idéias)

[pic]
O MENINO DA FEBEM
História contada por Roberto Carlos Ramos sobre sua vida ( J.B. 23/04/98)

“O menino acabara de chegar na Febem dentro de um camburão. Depois do susto, uma senhora se aproximou dele. Pela primeira vez na vida um adulto colocava a mão no joelho daquela criança e pedia licençapara falar com ela. Na Febem, isso não acontecia. Logo, o menino pensou: ih, esta mulher quer me bater. Mas ela disse, com sotaque carregado: eu gostarria de falarr com você. Ele ficou penalizado e disse que morria de pena, pois ela falava tudo errado, certamente tinha a língua presa. Ela riu e disse que onde morava todos falavam assim. Imediatamente o menino retrucou: ah, sei, como osleprosos! E ela disse que não, que morava do outro lado do planeta, que a terra era redonda, que enquanto aqui era de dia, lá na França era noite. O menino pensou que ela era doida mesmo e fugiu. Três dias depois se reencontraram em uma rua de Belo Horizonte. Ela gritava: Robertô, Robertô!. E ele, pensou: meu Deus, lá vem a doida francesa. Mas viu que ela tinha um relógio de ouro e decidiuassaltá-la. Mas ela pediu que ele ficasse uma semana em sua casa, pois ela precisava gravar uma entrevista. Imediatamente o menino pensou que poderia roubar outras coisas: videocassete, televisão e dinheiro. E começou a aprender francês, enquanto ensinava para ela a língua dos meninos de rua, algo assim como a língua do pê. Pela primeira vez, alguém pedia que o menino, que tinha 13 anos, ensinasse algo.As conversas eram mais ou menos assim: vopêcêpê espêtápê bem pê? e ele respondia Oui, madamme!. Os dias foram passando e ele decidiu que roubaria só a televisão e o dinheiro. Depois, só o dinheiro. E ela, que era casada e voltaria à França em uma semana, ia se esquecendo da viagem de volta. Marguerite – este era seu nome- renovou o visto de permanência no Brasil por duas vezes e, uma anodepois de encontrar o menino, ela conseguiu sua guarda oficialmente. E alguns anos depois, o menino irrecuperável que chegava à Febem se transformou em um professor. Este menino sou eu.”
Apostila 2 – p.2

Coerência deve ser entendida como unidade do texto. Um texto coerente é um conjunto harmônico em que todas as partes se encaixam de maneira complementar, de modo que não haja nada destoante,nada ilógico, nada contraditório, nada desconexo. No texto coerente, não há nenhuma parte que não se solidarize com as demais.
(Platão e Fiorin. Para entender o texto. SP:Ática, 2002, p.261)

Leia, atentamente, o textos abaixo e justifique a falta de coerência existente.

Era meia-noite. Oswaldo preparou o despertador para acordar às seis da manhã e encarar mais um dia de trabalho.Ouvindo o rádio, deu conta de que fizera sozinho a quina da loto. Fora de si, acordou toda a família e bebeu durante a noite inteira. As quinze para as seis, sem forças sequer para erguer-se da cadeira, o filho mais velho teve de carregá-lo para a cama. Não tinha mais força nem para erguer o braço.

Quando o despertador tocou, Oswaldo , esquecido da loteria, pôs-se imediatamente de pé e ia...
tracking img