codigo de etica psicologo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1862 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de setembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Caso 1: A psicóloga (L.M) cometeu um erro ao utilizar de abuso e desvio de função. O CRP diz que o psicólogo não pode propor uma atividade que seja atribuição de outro profissional. ART: 20º O psicólogo, ao promover publicamente seu serviço, por quaisquer meios, individual, ou coletivamente: (letra G) Não proporá atividade que sejam atribuições privativas de outras categorias profissionais.Caso 2: O caso se trata de um menor, uma situação delicada, no caso de a psicóloga não o atendê-lo, poderá causar ao paciente uma situação agravante e uma falta do profissional, porém ao atende-lo sem a autorização de um responsável legal a psicóloga também infringeo Cód. De Ética. Como será feita o atendimento? . ART: 8º Para realizar atendimento não eventual de criança, adolescente ou interdito, o psicólogo deverá obter autorização de ao menos um de seus responsáveis, observadas as determinações da legislação vigente: ( §1° No caso de não se apresentar um responsável legal, o atendimento deverá ser efetuado e comunicado as autoridades competente;). Simdeve atendê-lo, mas não somente isto (§2° O psicólogo responsabilizar-se-á pelos encaminhamentos que se fizerem necessários para garantir a proteção integral do atendido). Caso 3: A psicologia A.V infligiu 2 pontos do Cód. De Ética ao estabelecer acordo de valores a sercobrado, e estabelecer vínculo que prejudica o tratamento de J. Art.: 4 (letra B) Estipulará o valor de acordo com as características da atividade e o comunicará ao usuário ou beneficiário antes do início do trabalho a ser realizado; e o Art:2° (letra J), Estabelecer com a pessoa atendida, familiar ou terceiro, que tenha vínculo com o atendido, relação que possa interferir negativa- mente nos objetivosdo serviço prestado;
CASO 4: A psicóloga I.N infligiu 2 Códs. De Ética ao intervir numa decisão com laudos técnicos fundamentação e ao ser perita e parecista. Art.: 2° (letra G), Emitir documentos sem fundamentação e qualidade técnico- científica; e (letra K) Ser perito, avaliador ou parecista em situações nas quais seus vínculos pessoais ou profissionais, atuais ou anteriores, possam afetar aqualidade do trabalho a ser realizado ou a fidelidade aos resultados da avaliação;
Caso 5: O caso do psicanalista deve ser denunciado ao conceito de Ética do Psicanalista. O CRP é o Conselho Regional de Psicologia para psicólogos
Cabe a responsabilidade e deveres fundamentais do Art.: 1° (letra L) Levar ao conhecimento das instâncias competentes oexercício ilegal ou irregular da profissão, transgressões a princípios e diretrizes deste Código ou da legislação profissional.
Caso 6: A mãe deste aluno fez certo ao informatizar sobre estes testes que ela desconhece por ser psicóloga. A P.C diz ter criado e ainda diz está ensinando, ela infligiu o Art.: 2° (letra F)) Prestar serviços ou vincular o título de psicólogo a serviços de atendimentopsicológico cujos procedimentos, técnicas e meios não estejam regulamentados ou reconhecidos pela profissão.
CASO 7: A psicóloga J.K infligiu o Cód. de Ética profissional, se aproveitou do Sr. P.T por tirar vantagens. O psicólogo é ciente de que um Cód. De Ética profissional ao estabelecer padrões quanto as práticas pela respectivas categorias. O psicólogo é sabedor da lei do Cód. de Ética e é responsávelpor suas ações. A psicóloga será enquadrada no Art. 2° (letra O), que diz Pleitear ou receber comissões, empréstimos, doações ou vantagens outras de qualquer espécie, além dos honorários contratados, assim como intermediar transações financeiras.
CASO 8: Para conservar uma boa imagem da profissão é dever do psicólogo denunciar estes crimes que utilizam o nome da psicologia.
O Sr P.N não...
tracking img