Clube de exercicios

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2191 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CLUBE DE EXERCÍCIOS – CESPE – PARTE 4
TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL
CARGO : AUDITOR DE CONTROLE EXTERNO CESPE 2012

Texto para os itens de 1 a 10
A T eoria Geral do Estado mostra como surgiu e
se organizou, ao longo do tempo, o Estado. Nas formas
primitivas de organização social, ainda tribais, o poder
era concentrado nas mãos de um único chefe, soberano e
5 absoluto, com poderde vida e morte sobre seus
subordinados, fazendo e executando as leis.
Na Antiguidade Clássica, as civilizações grega e
romana foram as que primeiro fizeram uma tentativa de
compartilhar o poder, criando instituições como a Eclésia
10 e o Senado. Contudo, essa experiência foi p osta de
lado quando as trevas medievais tomaram conta da
Europa, fazendo-a mergulhar em mil anos de estagnação,sob as mãos de senhores feudais, reis e papas, que não
conheciam outro limite senão seu próprio poder.
15
O fim da Idade Média, no século XV, e o
ressurgimento das cidades, no período renascentista,
representaram profundas mudanças para a sociedade da
época, mas, do ponto de vista político, assistiu-se a uma
concentração ainda maior do poder nas mãos dos
20 soberanos, reis absolutos, que,sob o peso de sua
autoridade, unificaram os diversos feudos e formaram
vários dos Estados modernos que hoje conhecemos.
Exceção a essa regra foi a Inglaterra, onde, já em 1215, o
poder do rei passou a ser um tanto limitado pelos nobres,
25 que o obrigaram a pedir autorização a um conselho
constituído por vinte e cinco barões para aumentar os
impostos. A fim de fazer valer essa exigência, foiassinada a Magna Carta. Nascia o embrião do parlamento
moderno, com a finalidade precípua de limitar o poder
30 do rei.
Elton E. Polveiro Júnior. Desafios e perspectivas do poder legislativo no século XXI. Internet:
(com adaptações).

RESUMO TEÓRICO

PONTUAÇÃO DAS ORAÇÕES COORDENADAS
Emprega-se a vírgula para separar as orações
assindéticas e as sindéticas com exceção das introduzidaspela conjunção e.
a) Aditiva – Não só estudava, mas também trabalhava.
b) Adversativa – Queria estudar, porém não havia tempo.
c) Alternativa – Ora estudava, ora trabalhava.
d) Conclusiva – Ficou doente, logo não foi trabalhar.
e) Explicativa – Venha aqui, pois preciso falar com você.

Obs.: Orações coordenadas sindéticas introduzidas pela
conjunção e podem vir separadas por vírgulaquando
possuírem sujeitos diferentes.
Ex.: Aquele rapaz trabalhava, e sua namorada estudava.

Dicas para diferenciar a conjunção porque coordenativa
explicativa da subordinativa adverbial causal.
Ex.:
Aquela pista ficou molhada, porque choveu bastante.

Choveu bastante, porque aquela pista ficou molhada.

O aluno passou no concurso, porque estudou muito.

O aluno estudou muito, porquepassou no concurso.

ORAÇÕES COORDENADAS
Oração Coordenada Assindética – Não há conjunção.
Ex.: Pela manhã bebi um café enjoativo, comi um pedaço
de pão sem manteiga.”
Oração Coordenada Sindética – Apresenta conjunção.
Ex.: Quero comprar um carro, mas não tenho dinheiro.

Com relação a aspectos linguísticos do texto, julgue os
itens que se seguem.
6 (PONTUAÇÃO) Justifica-se o emprego davírgula
logo após “mas” (l.18) para enfatizar o sentido de
contraste introduzido por essa conjunção, razão por que a
supressão desse sinal de pontuação não acarretaria
prejuízo gramatical ao texto.

Site: WWW.deividxavier.com.br / Email: deivid_xavier@yahoo.com.br / Facebook: Deivid Xavier

1

CLUBE DE EXERCÍCIOS – CESPE – PARTE 4
7 (REGÊNCIA E CRASE) No trecho “Exceção a essa
regra”(l.23), é opcional o emprego do sinal indicativo de
crase no “a”.
8 (COESÃO E COERÊNCIA) O pronome “o” (l.25)
retoma, por coesão, a expressão “o poder do rei” (l.24).
9 (CONCORDÂNCIA) A forma verbal “representaram”
(l.17) está no plural para concordar com o sujeito
composto da oração, cujos núcleos são “fim” (l.15) ,
“século” (l.15) e “ressurgimento” (l.16).
RESUMO TEÓRICO
ORTOGRAFIA
Ao...
tracking img