Classes sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 26 (6415 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TEORIA SOCIAL, ANTROPOLOGIA E EDUCAÇÃO NATURAL
EM ROUSSEAU
DALBOSCO, Cláudio Almir – UPF
GT: Filosofia da Educação / n. 17
Agência Financiadora: Não contou com financiamento.


Resumo
Educar para a competitividade e/ou educar para a solidariedade constitui, desde os tempos mais remotos, uma das principais tensões das teorias educacionais. Rousseau formula essa questão de modo original pormeio do confronto, na educação do indivíduo, entre os sentimentos de amour de soi-même e amour-propre. Por isso, seu tratamento adequado é visto por ele como condição de possibilidade da formação de um caráter autêntico com o qual se alcança, progressivamente, a meta de uma educação natural.

Palavras-chave:
Amour de soi-même, amour-propre, piedade.

Introdução


A relação entre oestado de natureza e o estado social é um dos aspectos constitutivos da teoria social de Rousseau. Nela repousa também o significado dos conceitos de homem natural, homem social e educação natural. Sendo assim, há uma profunda imbricação entre teoria social, antropologia e teoria educacional que aponta para o fato de que a compreensão adequada de uma só pode ocorrer mediante o esclarecimento dasoutras. Isto é, para o ponto que nos interessa, Rousseau delineia o processo formativo do Emílio, desdobrando-o em diferentes etapas, a começar pelo seu nascimento até atingir a fase adulta, inspirado por conceitos de sociedade e de ser humano. De outra parte, o esboço de suas teorias social e antropológica só pode ser pensado efetivamente em conexão com um processo formativo mais amplo da espécie,capaz de evidenciar traços principais do próprio processo de socialização do ser humano.
Esta constatação, aparentemente trivial, exige a pergunta de saber como Rousseau conecta estes três níveis diferentes de análise que seja capaz de assegurar uma consistência argumentativa para seu conceito de educação natural. Ou seja, pondo o problema de uma forma mais precisa, qual é o conteúdo daeducação natural, considerando o fato de que tal educação só pode ser pensada enquanto um processo de socialização que, por sua vez, não está isento de transformar os próprios envolvidos em seres incapazes de se autodeterminarem por conta própria. Revela-se aqui uma das tensões centrais que é constitutiva de seu pensamento: é impossível pensar um ser humano producente de cultura, que pode agireducada e moralmente, sem pensá-lo como um ser social; mas, ao mesmo tempo, esta indispensabilidade do ser social só pode ser alcançada mediante o risco do indivíduo tornar-se inteiramente estranho a si mesmo. Uma formulação lapidar deste paradoxo oriundo da teoria social de Rousseau pode ser enunciada da seguinte forma: sem seu ingresso na sociedade o homem não pode agir moralmente, mas, ao ingressarele se corrompe.
Não há dúvida de que o estilo de Rousseau também contribuiu para uma interpretação simplista e, ao mesmo tempo, equivocada de seus conceitos centrais. Uma destas simplificações grosseiras consiste em afirmar que Rousseau defendia pura e simplesmente o retorno do homem a um estágio anterior à sociedade e que, portanto, natural significaria tudo aquilo que se opõe àcivilização e ao progresso. Voltaire, um amigo que depois se tornou seu inimigo, foi o primeiro que, ainda no século XVIII, popularizou a imagem de Rousseau como defensor do “bom selvagem”, ao afirmar que aquele sempre se sentia melhor entre seres de “quatro patas”. De acordo com este reducionismo, educar naturalmente o homem significaria o mesmo que educá-lo para viver fora da cidade ou, como isso não seriatotalmente possível, dever-se-ia educá-lo voltado para si mesmo, com um mínimo de contato possível com os bens gerados pelo processo civilizatório, sobretudo, com os bens técnico-científicos. O pensamento de Rousseau fora interpretado de tal forma que pudesse ser vertido reacionariamente contra o desenvolvimento técnico-científico, tornando-se, assim, fonte de inspiração para uma crítica...
tracking img