Ciencia politica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4147 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CIÊNCIA POLITICA

Aproximação ao conceito de Política.

Todos nos temos uma noção mais ou menos clara do que quer dizer política, porque vivemos em sociedade e a nossa experiencia regista inúmeros factos e situações que toda a gente considera terem natureza política.

Política É uma actividade ligada ao poder e que tem a ver com o mando. Visa aquilo que diz respeito ao Governo e aoEstado, por oposição às outras formas de vida social. É uma actividade humana de carácter competitivo cujo objectivo é a luta e o exercício pelo poder.

Obs. A expressão “Política” é introduzida no mundo por Aristóteles.

O objecto da política é o Poder político.

Poder político – Capacidade de comandar com efeitos vasculantes, de legislar normas válidas no território, emque todos são obrigados a cumpri-la (universalidade), de ter a capacidade de julgar e usar a força para fazer valer os seus intentos (exclusividade) e de pegar nos recursos do território e distribui-los segundo o seu critério (inclusividade).

Obs. O monopólio do poder político é exclusividade do Estado, e é detido pelo Governo em exercício no país.

Características intrínsecas do poderpolítico

O que diferencia o poder político de outros poderes são as seguintes características:
Universalidade – Capacidade de criar uma lei que todo mundo é obrigado a cumpri-la.
Exclusividade – O monopólio da força e a capacidade de julgar.
Inclusividade – A capacidade de distribuir as riquezas segundo o seu critério e tomar decisões que afectem os destinos danação.

Essas características são únicas e exclusivas do poder político, o que faz dele o poder supremo, acima de quaisquer outros poderes.

Acção política – Todas aquelas acções que concorram para influenciar a manutenção ou a aquisição e tomada do poder político.

Fenómenos políticos – Os resultados da acção política.

A POLÍTICA COMO RELAÇÃO AMIGO INIMIGO

SegundoCarles Schimitt, é o resultado das relações contraditórias entre adversários que atingem uma intensidade tal que justifique a política como relação amigo - inimigo, ou seja, acabe em guerra entre ambos os lados, onde uma delas tem de ser necessariamente neutralizada.

A teoria de Schimitt peca por mostrar apenas o lado mais intenso da política, em que uma das partes tem de ser aniquilada,ignorando a política da convivência mútua, em que adversários possam viver em harmonia, resolvendo as suas divergências através do diálogo.

O Político Social

Os fenómenos políticos fazem parte dos fenómenos sociais, mas nem todos os fenómenos sociais fazem parte da política, pois abrangem outros campos.
Os fenómenos políticos fazem parte dos fenómenos sociais, porque a políticaé um fenómeno social, mas os fenómenos sociais não fazem parte dos fenómenos políticos porque eles limitam-se apenas àquelas acções que concorram para a manutenção ou aquisição do poder político.
Hegel traz-nos uma distinção: Sociedade civil e o Estado não se misturam.
Hobbes traz-nos a seguinte divisão:

Potester – Político
Religio – Religião
Libertar –Liberdade

Ele quer com isso mostrar-nos que cada um tem a sua característica e a política deve limitar-se às suas acções.

POLÍTICA E MORAL

Tanto a política como a moral percorrem o mesmo caminho: a acção humana, daí as constantes preocupações.
A moral não serve para julgar o político

Elas diferem-se em 2 aspectos fundamentais:

1º- Critério ou princípio dejustificação
2º- Critério ou princípio de avaliação das acções ou respectivas acções

Critério ou princípio da justificação

Politicamente o modo de justificar e diferente
Moralmente a forma de justificar e diferente
Ética do individual

Critério ou princípio de avaliação das acções ou respectivas acções

Politicamente avaliar e diferente...
tracking img