Chave

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6798 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Acta bot. bras. 18(2): 225-240. 2004

Chave de identificação para as espécies de Dicotiledôneas arbóreas da Reserva Biológica do Tinguá, RJ, com base em caracteres vegetativos1
Denise Monte Braz2, Maria Verônica Leite Pereira Moura2 e Maria Mercedes Teixeira da Rosa2 Recebido em 23/04/2003. Aceito em 15/08/2003
RESUMO – (Chave de identificação para as espécies de Dicotiledôneas arbóreas daReserva Biológica do Tinguá, RJ, com base em caracteres vegetativos). A Reserva Biológica do Tinguá abrange parte dos municípios de Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Miguel Pereira e Petrópolis, localizados na região centro-oeste do Estado do Rio de Janeiro, apresentando vegetação predominantemente florestal que integra o complexo vegetacional Mata Atlântica. Embora situada próxima à área urbana, aReserva do Tinguá apresenta desmatamento quase nulo e grande riqueza florística. Dentre os projetos realizados como parte do programa Linhas de Pesquisa em Mata Atlântica CNPq, desenvolvida pelo Departamento de Botânica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, foi elaborada a chave para a identificação das espécies arbóreas, tendo como base características morfológicas vegetativas, tais como afilotaxia e forma das folhas, presença ou ausência de estípulas, exsudado, lenticelas, indumento e glândulas. A chave apresentada consta de 109 espécies, distribuídas em 35 famílias botânicas. Palavras-chave: Mata Atlântica, chave de identificação, florística ABSTRACT – (Identification key of the most common woody Dicotyledons from the Tinguá Biological Reserve (State of Rio de Janeiro, Brazil)based on vegetative characters). The Tinguá Biological Reserve is located within the boundaries of the municipalities of Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Miguel Pereira, and Petrópolis, in the central-western region of Rio de Janeiro State, Brazil. Its vegetation is mainly formed by forests belonging to the Atlantic Rain Forest Complex. Although located close to urban areas, the Tinguá Reserve hassuffered little deforestation which is assured by its species richness. As one of the several projects for the Reserve, developed by the Botany Department of the Federal University of Rio de Janeiro, an identification key of the woody Dicotyledons is presented, using morphological vegetative characters such as phyllotaxy, leaf shape, stipules, exsudates, lenticells, indument, and glands. A total of109 species can be identified, belonging to 35 families. Key words: Atlantic rain forest, identification key, floristics

Introdução
A Reserva Biológica do Tinguá (REBIO do Tinguá) é uma das maiores Unidades de Conservação da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro. Foi criada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (IBAMA) através do Decreto Federal n. 97.780, de23/maio/1989. Localizada entre a Serra do Mar e a Baixada Fluminense, constitui importante remanescente de floresta contínua, ilhada pelo crescimento dos municípios de Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Miguel Pereira e Petrópolis (Rodrigues 1996). Segundo Vaz (1984), a serra do Tinguá, apesar da colonização a que foi submetida no passado, constitui refúgio natural, cuja riqueza da flora e da faunatornam-na uma das mais importantes áreas

de vida selvagem do centro-sul do Estado. Trata-se de um ecossistema ainda pouco explorado cientificamente e, embora situado próximo a área com alta densidade populacional, sua cobertura nativa apresenta-se praticamente intacta. Estudos envolvendo a utilização de frutos como recurso alimentar (Santos 1994), a florística e fitossociologia (Rodrigues 1996),entre outros, foram realizados na REBIO do Tinguá por pesquisadores e estagiários do Departamento de Botânica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), entre os anos de 1991 e 1996. A elaboração de chaves para identificação, tendo como base características morfológicas vegetativas, tem sido preocupação de diversos autores (Veloso 1946; Mantovani et al. 1985; Gentry, 1993; Lima et al....
tracking img