Cedo demais para pear demais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3978 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto


































ARTIGO ORIGINAL












































































Acta Med Port 2010; 23: 371-378

OBESIDADE EM IDADE PRÉ-ESCOLAR
Cedo Demais Para Pesar Demais!
SusanaGOMES, Rosa ESPANCA, Ana GATO, Cristina MIRANDA
RESUMO

Portugal ocupa a segunda posição na lista de prevalência de obesidade infantil na Europa, na idade dos sete aos nove anos. Existem poucos estudos nacionais sobre o excesso
de peso nas crianças com idade pré-escolar, mas estudos internacionais apontam para um
aumento da prevalência de excesso de peso neste grupo etário, com início daobesidade
infantil desde os três anos de idade. O conhecimento dos factores de risco associados à
obesidade é essencial para melhorar estratégias preventivas.
Objectivos: Identificar a prevalência de excesso de peso e obesidade nas crianças que
frequentam os jardins-de-infância públicos do Concelho de Évora e os factores de risco
associados. Avaliar a percepção parental da obesidade infantil.Métodos: Questionário escrito preenchido pelos pais e medição de dados antropométricos
das crianças.
Resultados: Participaram no estudo 313 crianças (176%, 137&), das quais 275 foram avaliadas do ponto de vista antropométrico. A mediana da idade foi de 4,83 anos (mínimo 2,2 e
máximo 6,8).
Identificou-se excesso de peso em 25,4% e obesidade em 11,6% das crianças, com predomínio do sexo feminino. Oexcesso de peso aos três anos atingiu 33,3%, sendo o grupo
etário com maior prevalência.
Constituíram factor de risco para a ocorrência de excesso de peso o género feminino
(odds ratio 1,8) e a prematuridade (odds ratio 4,8). Não se verificou diferença com significado estatístico relativamente ao peso ao nascer, aumento ponderal durante a gravidez,
duração do aleitamento materno, idade doinício da diversificação alimentar, dieta actual,
hábitos de actividade física e sedentarismo entre as crianças com peso normal e excesso
de peso.
O excesso de peso de pelo menos um dos progenitores foi registado em 65,4% da amostra,
sem relação com o estado nutricional dos filhos. Oitenta e sete por cento dos pais de
crianças com excesso de peso identificam-nas como tendo peso igual ou inferior àmédia
para a idade, quando confrontados com escala de silhuetas.
Conclusões: A prevalência de excesso de peso e obesidade encontrada neste estudo é
superior à relatada para a maioria dos países, apenas superada pela América do Norte. A
elevada taxa de obesidade parental, associada à ausência de percepção sobre o estado
nutricional das crianças, poderá contribuir para a baixa adesão aestratégias preventivas.
Desta forma, sugere-se o reforço das medidas comunitárias já implementadas visando o
esclarecimento e a adopção de hábitos saudáveis.

S.G.: Serviço de Pediatria. Hospital Espírito Santo de Évora.
Évora
R.E.: Centro de Saúde de Évora,
Valência de Pediatria Comunitária. Évora
A.G., C.M.: Núcleo Regional
de Pediatria Comunitária. Centro de Saúde de Évora. Évora
© 2010CELOM

S U M MARY

OBESITY IN PRESCHOOL AGE
Too Early to Be Too Heavy!
Portugal is at the second position of childhood obesity prevalence, among the 7-9-yearold children. There are few national studies about obesity in pre-school age, although
international data point to the increase of overweigh in this age, and the beginning of
Recebido em: 27 de Outubro de 2008
Aceite em: 5 de Fevereiro de2009

371

www.actamedicaportuguesa.com

Susana GOMES et al, Obesidade em idade pré-escolar – cedo demais para pesar demais! Acta Med Port. 2010; 23(3):371-378

obesity by the age of 3 years. The knowledge of risk factors is determinant to establish
preventive measures.
Objectives: To identify the prevalence of overweight and obesity among pre-schoolers
attending Évora’s public...
tracking img