Castro alves - o navio negreiro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (433 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
- Biografia

Antonio de Castro Alves (1847-1871)
Autor de uma das obras mais importantes do nosso Romantismo, Castro Alves tornou-se também um dos mais populares e dos mais queridos poetas doBrasil.
Castro Alves publica em 1863, seu primeiro poema contra a escravidão "A Primavera"
Sua vida foi tão efêmera quanto intensa e brilhante. Nasceu na Bahia e estudou direito em Recife e SãoPaulo. Já era famoso quando, aos 22 anos (1869) teve que amputar um pé, em conseqüência de um acidente de caça. Em 1871 voltou à Bahia, onde morreu vitimado pela tuberculose.
Suas poesias maisconhecidas são marcadas pelo combate à escravidão, motivo pelo qual é conhecido como "Poeta dos Escravos"
Castro Alves é o patrono da cadeira nº 7 da Academia Brasileira de Letras.

-Principais ObrasSuas principais obras são: "Espumas Flutuantes", "A Cachoeira de Paulo Afonso" e o drama já mencionado "Gonzaga ou a Revolução de Minas". Ao livro "Os Escravos" pertencem "Vozes d'África" e "ONavio Negreiro", considerados os dois poemas mais representativos de sua obra.

-Resumo da Obra ‘O navio negreiro’

“O navio negreiro – Tragédia no mar” é o exemplo mais vibrante da poesiacondoreira. Escrito em abril de 1868, esse poemeto épico refere-se a uma situação anterior a 1850, ano em que o tráfico negreiro foi proibido. Apesar do anacronismo, o poeta tornou-se o mais forte grito deindignação utilizado pela campanha abolicionista.
O Poeta descreve a imensidão do mar, e muitos perigos que os viajantes passam. Os marinheiros de todas as nações amam o seu trabalho, pois todoscantam enquanto cruzam os mares.
Entretanto, uma música fúnebre surpreende o Poeta. Eis que se apresenta uma cena terrível: inúmeros negros gemem e dançam no convés de um navio. São escravos; homens,mulheres e crianças, de todas as idades, acorrentados e sangrando, sob os açoites da cruel tripulação, que os obriga a dançar para sua diversão. O Poeta clama aos céus para acabar com este horror....
tracking img