casa grande e senzala

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1127 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de outubro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
 RESUMO CRÍTICO (prefácio e cap.1)
" CASA GRANDE E SENZALA"
(GILBERTO FREYRE)
PREFÁCIO:
O prefácio de “Casa Grande e Senzala”, já demonstra o pensamento inovador da obra ,pois se trata da década de 30. Gilberto Freyre nãohierarquizou as raças e nem atribui os problemas existentes no Brasil como causados pelos negros e os índios, o que demonstra uma quebra de padrão. Assim, a partir deste momento as teorias baseadas na Raça vão perdendo espaço em favor de teorias culturais ou sociais.
Penso que, Gilberto Freyre, ao produzir a obra, analiza a sociedade brasileira com uma visão mais sociológica da história, e nãoracialista, como era a predominante da época. Ele trata a monocultura latifundiária escravagista como razão principal das características e dos problemas do país, ressaltando o senhor de engenho, o escravo que podemos comparar hoje pelos donos de fábricas e usinas e pelo proletariado. Isso faz de “Casa Grande e Senzala” uma obra atual que trata de assuntos do passado histórico do Brasil,que influenciouo país não apenas do ponto de vista político-econômico, mas no quadro de pensamento coletivo.
No início do prefácio, Gilberto Freyre menciona Franz Boas, responsável por mudar sua visão sobre a antropologia. A partir daí, Gilberto percebe que não é a raça que define o modo de viver e pensar de diferentes grupos, mas sim o contexto sócio-econômico em que eles vivem. Na verdade, Gilberto entendeuque a origem dos problemas não estava relacionado à raça ser inferior, mas à cultura de latifúndios criada pelos brancos, deixando sociedade muito desigual.
A Casa Grande e a Senzala formam um sistema econômico, social e político . Gilberto trata de todos esses assuntos descrevendo a arquitetura e a planta da Casa Grande. Pode-se dizer que era um sistema feudal vivido na colônia, mascompletamente diferente do sistema feudal europeu pois não havia possibilidade de guerra. Assim,o senhor de engenho detinha sua estabilidade econômica, política e social vinda do escravo e da monocultura cultivada no latifúndio.
Um outro ponto peculiar da obra de Gilberto Freyre é a diversidade de fontes históricas nas quais ele se baseou.buscou informações sobre a vida das pessoas no passado emromances, inventários, cartas de sesmarias, testamentos, relatos de viajantes. Enfim, variadas possibilidades que o permitiu de descrever a vida da época em detalhes.
Gilberto Freyre trata da história da Casa Grande e da Senzala como a história social do Brasil.
CAPÍTULO 1
Gilberto Freyre,no primeiro capítulo de seu livro"Casa grande e senzala",tenta fazer uma análise dos fatores que possibilitaram a fixação e colonização portuguesa no Brasil.
As principais idéias presentes neste capítulo são:As características do português que viabilizaram a colonização do Brasil: os contatos culturais e até mesmo sexuais,entre os portugueses e os mouros durante a idade média,foram fundamentais para que os portugueses pudessemrealizar bem a empreitada da colonização. Através de lutas com os mouros,os portugueses assimilaram algumas de suas características culturais,como se vê na observação de Freyre:”a singular predisposição do português para a colonização híbrida e escravocrata dos trópicos,explica-a em grande parte o seu passado étnico,ou antes,cultural,de povo indefinido entre a Europa e África”.Isso permitiu que osportugues conseguissem se adaptar relativamente bem ao Brasil,mesmo com todas as suas adversidades,pois o clima de Portugal era equivalente ao da África,que por sua vez tinha semelhanças com clima do Brasil colônia.Apesar dos fatores positivos,os europeus que aqui se instalaram,não deixaram de ter suas dificuldades.Enchentes e secas;solo desfavorável ao plantio;insetos e vermes nocivos ao...
tracking img