Cartilha de acessibilidade caixa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 31 (7506 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CARTILHA DE ACESSIBILIDADE
A EDIFICAÇÕES, ESPAÇOS
E EQUIPAMENTOS URBANOS

APRESENTAÇÃO
O presente documento objetiva estabelecer critérios e parâmetros técnicos a serem utilizados
para elaboração dos projetos e para execução de Empreendimentos Habitacionais com a
participação da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL.
EQUIPE
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Presidente

Jorge Fontes Hereda

VIGOV –Vice-Presidência de Governo

José Urbano Duarte

SUDES – Superintendência Nacional de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável
Superintendente Nacional
José Carlos Medaglia Filho
GEPAD – Gerência Nacional Gestão Padronização e Normas Técnicas
Gerente Nacional
Clóvis Marcelo Dias Bueno
Coordenação:
Gerente Executiva

Anna Paula Cunha

Arquiteto
Engenheiro
Arquiteto
ArquitetoEngenheiro
Arquiteto
Arquiteto

André Pietsch da Fonseca Silva
Antônio de Carvalho Brandão Júnior
Hércules Lamy Júnior
Luís Cláudio de Souza Bueno
Luiz Alberto Nozaki Sugahara
Maik Igoan Tigrinho
Milton Anauate

Agradecemos a Superintendência Nacional de Suprimento e Infra-estrutura (SUINF), a
Gerência Nacional de Infra-estrutura e Patrimônio Próprio (GEINF) e a Gerencia Operacional
deModelos e Processos da Rede de Canais Físicos pelo trabalho iniciado com a elaboração
do Caderno de Acessibilidade para adequação das Unidades da CAIXA ECONÔMICA
FEDERAL, que serviu de referência para o desenvolvimento deste documento.
Versões:
• CADERNO_v001JUN2010
Atualizações:
• Versão inicial.

2

2

ÍNDICE
APRESENTAÇÃO
ÍNDICE
ÍNDICE DE FIGURAS
INTRODUÇÃO
OBJETIVOS EMETODOLOGIA
CAPÍTULO 1
1.1
DEFINIÇÕES
1.2.
PARÂMETROS ANTROPOMÉTRICOS
1.2.1
Pessoas em pé
1.2.2
Pessoas em cadeiras de rodas (PCR)
1.2.2.1
Cadeiras de rodas
1.2.2.2
Módulo de referência (MR)
1.2.3
Área de circulação
1.2.3.1
Largura para deslocamento em linha reta de pessoas em cadeira de rodas
1.2.3.2
Largura para transposição de obstáculos isolados
1.2.3.3
Área para manobra decadeiras de rodas sem deslocamento
1.2.3.4
Manobra de cadeiras de rodas com deslocamento
1.2.4
Área de transferência
1.2.5
Área de aproximação
1.2.6
Alcance manual
1.2.6.1
Dimensões referenciais para alcance manual
1.2.6.2
Aplicação das dimensões referenciais para alcance lateral de PCR
1.2.6.3
Superfície de trabalho
1.2.6.4
Ângulos para execução de forças de tração e compressão1.2.6.5
Empunhadura
1.2.6.6
Controles (dispositivos de comando ou acionamento)
1.2.6.7
Altura para comandos e controles
1.2.7
Parâmetros visuais
1.2.7.1
Ângulos de alcance visual
1.2.7.2
Aplicação dos ângulos de alcance visual
1.2.8
Alcance auditivo

2
3
5
6
7
9
10
15
15
16
16
16
17
17
18
19
19
20
20
21
21
23
23
24
24
25
25
26
26
27
29

CAPÍTULO 2Intervenções em áreas de uso comum.
INTRODUÇÃO
2.1.
ESTACIONAMENTO / ÁREA PARA EMBARQUE E DESEMBARQUE
2.1.1
Local para embarque e desembarque
2.1.2
Vagas reservadas às pessoas com deficiência
2.1.3
Vagas destinadas a idosos
2.1.4
Localização
2.1.5
Características das vagas

30
30
31
32
32
32
32
32
32

2

3

ÍNDICE
2.1.6
2.1.7
2.2.
2.3
2.3.1
2.3.1.1
2.3.2
2.3.2.12.3.2.2
2.3.2.3
2.3.2.4
2.3.2.5
2.3.2.5.1
2.3.2.6
2.3.2.7
2.3.2.8
2.3.3
2.3.3.1
2.3.3.2
2.3.4
2.3.5
2.3.5.1
2.3.5.1.1
2.3.5.1.2
2.3.5.1.3
2.3.5.1.4

Sinalização horizontal (piso) para vagas destinadas às pessoas com deficiência
Sinalização vertical (placa)
DESNÍVEIS
ACESSOS E CIRCULAÇÕES QUE COMPÕEM A ROTA ACESSÍVEL
ACESSOS
Condições gerais
CIRCULAÇÕES QUE COMPÕE A ROTAACESSÍVEL
Condições gerais
Grelhas e juntas de dilatação
Tampas de caixas de inspeção e de visita
Áreas de descanso
Circulações internas
Rotas de Fuga
Circulações externas
Rebaixamento das calçadas:
Faixa elevada:
PORTAS
Condições gerais
Transposição de portas
JANELAS
PISO
Piso Tátil
Considerações gerais
Piso tátil direcional
Piso tátil de alerta
Composição de piso tátil de alerta...
tracking img