Bourdieu

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2083 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Análise dos conceitos de Violência Simbólica e Capital Cultural de Bourdieu e sua aplicação no âmbito escolar e a influência na formação do indivíduo
Autor alinhado à direita(














RESUMO
Este trabalho tem como objetivo realizar uma análise teórica dos conceitos de Violência Simbólica e Capital Cultural demonstrados pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu, e relacioná-losao ambiente escolar, bem como trazer a luz a sua influência na formação do indivíduo.

Palavras-chave: Violência simbólica. Capital cultural. Formação do indivíduo. Bullying








1 INTRODUÇÃO

Nascido no ano de 1930, na Vila de Denguin, Distrito de Pyrènees, o pensador e sociólogo francês, Pierre Bourdieu, tornou-se catedrático no Colége de France. Suas pesquisas e estudosfizeram com que exercesse grande influência na área de sociologia e educação em todo o mundo.
As relações sociais e as diversas formas de dominação exercidas por elas são o escopo de seus estudos. Bourdieu, com seu rigor intelectual, suscitou diversas questões sociais, por meio das quais surgiram as suas teorias e conceitos. Dentre os seus conceitos, pode-se destacar o conceito da Violência Simbólicae o conceito de Capital Cultural.
A partir da análise desses conceitos, este artigo tem como objetivo definí-los e verificar os efeitos de sua aplicação na formação do indivíduo no contexto educacional do Brasil.

2 DEFINIÇÕES DOS CONCEITOS DE BOURDIEU

Antes de dar início a análise, se faz necessário definir os conceitos de Violência Simbólica e Capital Cultural, de acordo com opensamento de Pierre Bourdieu.

2.1 Violência simbólica

Bourdieu descreve que a violência simbólica é o processo pelo qual a classe social que domina economicamente impõe sua cultura aos dominados (classe social menos provida ou desprovida economicamente). O sistema simbólico de uma determinada cultura é uma criação social imposta pelo discurso da classe dominante. Este sistema contribuipara que a sociedade em que se insere se mantenha.
Para perpetuação do sistema simbólico, é fundamental que todos os membros da sociedade imprimam e interiorizem a cultura imposta pela classe dominante.
A partir da impressão do sistema simbólico, no qual a violência simbólica se fundamenta, inicia-se a fabricação contínua de crenças no processo de socialização, que induzem o indivíduo ase posicionar na sociedade seguindo critérios e padrões do discurso da classe dominante.
A violência simbólica materializa-se na imposição "legítima" e dissimulada, com a interiorização da cultura dominante, que se reflete nas relações de trabalho, familiares e escolares do indivíduo dominado. O indivíduo dominado não se opõe ao seu opressor, tendo em vista que não se define comovítima deste processo; ao contrário, considera a situação natural e inevitável.

2.2 Capital cultural

Para Bourdieu (1979), a noção de capital cultural surgiu da necessidade de se compreender as desigualdades na aprendizagem e no desempenho escolar dos indivíduos vindos de diferentes grupos sociais. Para explicar as desigualdades escolares, em seu estudo, Bourdieu demonstra que hádiminuição do peso do fator econômico, se comparado com o peso do fator cultural.
No seu entendimento, o capital cultural pode existir sob três formas: na forma incorporada, objetivada e institucionalizada.
Na forma incorporada, concretiza-se por meio de disposições duráveis do indivíduo, e os principais elementos que a constituem são os gostos, o domínio da língua culta e dasinformações adquiridas na escola. A acumulação desta forma de capital cultural demanda que sua incorporação seja feita mediante um trabalho de impressão e assimilação, que demanda tempo e deve ser realizado pelo próprio indivíduo.
Sendo assim, no seu estado incorporado, o capital cultural se constitui por meio do background familiar que contribui para a definição do futuro escolar dos...
tracking img