Baianita superior

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2789 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1 – Introdução 3
Capitulo 2 – Definições 4
2.1 - Definição de Bainita 5
2.1.1 - Bainita Superior 5
2.1.2 - Bainita Inferior 5
2.1.3 - Bainita Isenta de Carbonetos 6
Capítulo 3 - Meios de arrefecimento na austêmpera 7
3.1 - Banhos de sais para austêmpera 7
3.2 – Chumbo derretido 7
3.3 - Banho de óleo 7
Capítulo 4 - Propriedades 8
Capítulo 5 - Aços para Austemperização 9
Capítulo 6 -Controle das varáveis do processo 11
Capítulo 7 - Controle dimensional 12
Capítulo 8 – Aplicação 13
Capítulo 9 - Vantagens e Desvantagens 15
Capítulo 10 – Conclusão 16
Capítulo 11 – Bibliografia 17
ÍNDICE DE FIGURAS
Figura 2.1 – Aquecimento o material e temperatura de austenitização 4
Figura 2.2 – Formação da microestrutura metalográfica bainita. 4
Figura 2.3 – Bainita superior emdiferentes concentrações de carbonos. 5
Figura 2.4 – Bainita inferior em diferentes concentrações de carbonetos. 6
Figura 3.1 – Características físicas dos banhos usados em austempera 7
Figura 5.1 – Diagramas TTT dos aços 1080 9
Figura 5.2 – Diagramas TTT dos aços 4340 e 5140 10
Figura 8.1 - Fitas de aço 13
Figura 8.2 - Anéis elásticos 13
Figura 8.3 - Broca para madeira 14
Figura 8.4 – Molas 14Capítulo 1 – INTRODUÇÃO
Existem vários métodos de tratamentos térmicos, cuja finalidade é alterar as propriedades e conseguir as características desejadas.
Tendo esse conceito em mente, fica muito mais fácil compreender o tratamento térmico isotérmico de austêmpera, pois este é aplicado no aço quando se objetiva tenacidade, ductilidade e resistência mecânica.
Portanto, esse trabalho tem porobjetivo mostrar o que acontece no aço quando este é submetido ao tratamento de austêmpera, tendo em vista que essa estrutura que se forma é a bainita; esta por sua vez, vai substituir a martensita revenida, pois o tratamento da austêmpera dispensa o revenido posterior. Além disso, será realizada uma abordagem dos principais aços indicados para a operação de austêmpera, analisando através degráficos para cada tipo de aço, e também os meios de resfriamento que estes serões submetidos.
Esse trabalho também mostra alguns exemplos de aplicação dos aços, e em seguida apresenta as vantagens e desvantagens para os aços que são austêmperados.
Capitulo 2 - DEFINIÇÕES
Austêmpera é um processo de tratamento isotérmico dos aços, cujo objetivo é a obtenção de peças com alta tenacidade eresistência à fadiga, onde este se caracteriza pela formação de uma microestrutura metalográfica constituída por bainita. A velocidade de resfriamento deve ser tal que se impeça a transformação de qualquer quantidade de austenita em outro produto e o tempo de permanência no banho deve ser suficiente para que toda a austenita se transforme em bainita.
O processo é realizado da seguinte maneira:
1 –Aquece-se o material até a uma temperatura dentro do domínio austenítico (760ºC – 870ºC).

Figura 2.1 – Aquecimento o material e temperatura de austenitização
2 – Arrefecimento rápido até uma temperatura entre 260ºC a 400ºC
3 – Estágio em banho isotérmico até se conseguir a transformação em bainita.
4 – Arrefecimento em câmara de temperatura, geralmente em ambiente controlado.

Figura 2.2 –Formação da microestrutura metalográfica bainita.
2.1 – Definição de Bainita
Bainita é um constituinte metalográfico formado por ferrita e carbonetos, resultante da decomposição da austenita super-resfriada a temperaturas inferiores àquelas onde a reação perlítica torna-se mais lenta.
A bainita pode apresentar-se na forma de agulhas semelhantes às de martensita, resultante dos tratamentos térmicosde austêmpera, em transformação isotérmica. Além disso a bainita agulhada pode ser classificada em três grupos:
2.1.1 – Bainita Superior
A bainita superior forma-se no campo médio de transformação bainitíca. A característica principal da bainita superior e a presença de placas longas de ferrita, paralelas a carbonetos alongados que somente são visíveis através de microscopia eletrônica.
A...
tracking img