Badarosices

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5295 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SEMESTRE DE VERÃO 2011/2012
TRABALHO 2 DE FÍSICA DAS CONSTRUÇÕES
FASE 3

GRUPO Nº 21
David Leonardo 27304
João Fernandes 35078
Vítor Alves 35282

Índice
1 – Introdução 3
2 – Localização 4
3 – Descrição da fracção autónoma 4
4 – Caracterização dos elementos da Envolvente 6
5 – Caracterização dos elementos horizontais da Envolvente 15
6 – Perdas térmicas associadas àenvolvente 20
7 – Inércia térmica 21
8– Quantificação das Pontes Térmicas Lineares 22
9 – Cálculo do Rph 23
10 – Quantificação dos factores solares e de obstrução de envidraçados 24
11 – Quantificação das áreas efectivas 25
12 – Quantificação dos ganhos solares brutos 25
13 – Necessidades nominais de energia de aquecimento 27
14 – Quantificação das cargas térmicas pela envolvente opaca28
15 – Quantificação dos factores solares e de obstrução de envidraçados 29
16 – Quantificação dos ganhos pelos vãos envidraçados 31
17 – Quantificação das perdas pela renovação do ar 33
18 – Factor de sobreaquecimento 34
19 - Quantificação das necessidades nominais de energia de arrefecimento e respectivo valor limite 35
20-Definição dos equipamentos (AQS) 37
21-Quantificação dasnecessidades de AQS 37
22 - Quantificação das necessidades nominais de energia útil e respectivo valor limite 40
Bibliografia 41
Anexos 42
Anexo 1 – Cálculo do coeficiente de transmissão térmica do envidraçado 43
Anexo 2– Catálogo da caixa de estores utilizada 44
Anexo 3 – Catálogo da caixilharia utilizada 45
Anexo 4 – Catálogo dos envidraçados 46
Anexo 5 – Folhas de cálculo 49

1– Introdução
Nesta primeira fase do trabalho de verificação de conforto térmico da fracção autónoma 1A de um edifício de habitação multifamiliar, localizado no Porto, foi necessário verificar o zonamento climático onde o edifício se insere, assim como caracterizar a envolvente do edifício, e apresentar pormenores construtivos dos principais elementos, através da aplicação do Regulamento dasCaracterísticas do Comportamento Térmico dos Edifícios (RCCTE), constante do Decreto-Lei nº 80/2006 de 4 de Abril.

2 – Localização
A fracção autónoma em estudo, está localizada no concelho do Porto, a uma altitude de 45m em relação ao nível do mar e a uma distância de 8,9km da costa.

3 – Descrição da fracção autónoma
A fracção autónoma faz parte de um edifício de habitação multifamiliar,localizado no Porto, de tipologia T3 com uma área útil de pavimento de 102,50m2 (não entrando as paredes de alvenaria) e um pé direito de 2,70m.

Zonamento Climático
Segundo o Quadro III.1 do Anexo III, para o concelho do Porto configura uma zona climática de inverno I2 e uma zona climática de Verão V1 (região Norte).
Figura 1 – Quadro III.1 do Anexo III.

Do referido quadro, são ainda retirados osseguintes valores:
* GD – Número de graus-dias (oC.dias): 1610
* Duração da estação de aquecimento (meses): 6,7
* Temperatura externa do projecto (oC): 30
* Amplitude térmica (oC): 9

Região, Rugosidade e Exposição
Segundo o RCCTE, a F.A. enquadra-se na Região A visto que não se encontra numa faixa de 5km de largura junto à costa, e também não está situado numa zona comaltitude superior a 600m.
Relativamente à Rugosidade, de acordo com o RCCTE e visto que se considera que a F.A. se localiza numa zona urbana, admite-se uma Rugosidade I.
No que diz respeito à exposição ao vento, recorrendo ao Quadro IV.2, e tendo em conta que a fachadas localizam-se a uma altura inferior a 10m, se localiza na Região A e possui uma Rugosidade I, conclui-se que esta apresenta uma classede exposição ao vento de 1.

Figura 2– Quadro IV.2, do Anexo IV.
Ganhos internos médios (qi)
De acordo com o quadro IV.3, o valor dos ganhos internos médios por unidade de área útil de pavimento utilizado é qi=4 (W/m2), pois se trata de uma fracção autónoma com uso residencial.

Figura 3 – Quadro IV.3, do Anexo IV.
4 – Caracterização dos elementos da Envolvente
Para a caracterização...
tracking img