Fisiologia dos estomatos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4052 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FISIOLOGIA DOS ESTÔMATOS

Prof.Dr. Roberto Cezar Lobo da Costa


As trocas como o gás carbônico, o oxigênio e o vapor de água, entre os tecidos vegetais e a atmosfera ocorrem principalmente através dos estômatos. O mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos está diretamente ligado aos processos de transpiração, fotossíntese e respiração, pois a intensidade desses processosdepende, principalmente, do grau de abertura dos estômatos.

a) Estrutura, tamanho e distribuição dos estômatos.


Estômatos são pequenas estruturas epidérmicas existentes principalmente nas folhas, mas podem ser encontradas em frutos, flores e caules jovens, formadas por duas células estomáticas (células guardas), que delimitam uma fenda (ostíolo), duas ou mais células anexas(acessórias ou subsidiárias) adjacentes e uma câmara sub-estomática, a qual está em conexão com os espaços intercelulares (Figura 25). Através dos estômatos há uma comunicação direta do interior da planta com o ambiente.
Figura 25. Desenho esquemático de um estômato, indicando todas as suas estruturas.





As células estomáticas, ao contrário do que normalmente acontece com as outras célulasepidérmicas, possuem cloroplastos sendo capazes de fazer fotossíntese. Outras peculiaridades das células guardas são a ausência de plamodesmatas, e a falta de uma cutícula espessada. Finalmente, as células guardas possuem a parede celular mais espessada em pontos estratégicos e as microfibrilas de celulose são dispostas no sentido radial em relação ao ostíolo. Essas características, como se veráadiante, são importantes no funcionamento dos estômatos.
As células guardas possuem uma grande diversidade, mas nós podemos distinguir dois tipos principais: a) as células guardas típicas de gramíneas e algumas poucas monocotiledôneas como as palmeiras e b) as células guardas típicas de dicotiledôneas e muitas monocotiledôneas, assim como gimnospermas; pteridófitas e musgos. (Figura 26).As células guardas das gramíneas possuem forma de halteres com terminações bulbosas. Essas células são sempre acompanhadas por células epidérmicas diferenciadas chamadas de células subsidiárias, as quais ajudam as células guardas a controlar a abertura estomática. O conjunto formado pelas células guardas, as subsidiárias e o poro (ostíolo) é denominado complexo estomático. As células guardas dedicotiledôneas e monocotiledôneas não gramíneas possuem formato de rim. Nesse tipo de células é mais rara a presença de células subsidiárias.


| |
|FIGURA 26. Representação de estômatos típico de dicotiledôneas e algumas mono (A) e de gramíneas (B). |
|No caso de dicotiledôneas há umaanalogia utilizando tubos de borracha com paredes mais espessas nos |
|lados em que se tocam. Colocando-se água sob pressão, os tubos se afastam. Nas monocotiledôneas a |
|turgescência nas extremidades permite a abertura dos ostíolos. Adaptado de Binet (1968). |


O número de estômatos nas folhas varia entre 1000 e 100.000 por centímetro quadrado (em cactáceas e emalgumas plantas decíduas, respectivamente). O tamanho médio dos estômatos varia de 3 a 12 mm de largura por 7 a 40 mm de comprimento e quando abertos 100 mm quadrados de área. Os estômatos ocupam em uma folha cerca de 1 a 2% da área foliar total.
A localização dos estômatos nas duas faces das folhas (superior e inferior) pode variar dependendo da espécie. Assim, nas folhas anfiestomáticas elesocorrem em ambas epidermes (em espécies de regiões mais áridas), nas folhas hipoestomáticas ocorrem principalmente na face inferior (em espécies de regiões úmidas), e nas folhas epiestomáticas aparecem mais na epiderme superior (em folhas flutuantes de espécies aquáticas).
Os movimentos estomáticos são devidos, em última análise, às variações de turgescência ((p) sofridas pelas células...
tracking img