Aula de direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (325 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Fórum de discussão
A partir da leitura do texto "Que tal desligar a TV" (disponível na Unidade 2 do livro didático e também na midiateca da disciplina) faça associações com seus conhecimentosprévios e tente definir um posicionamento crítico. Você pode pensar na relação existente entre algumas temáticas: TV e violência, TV e interesses econômicos, TV e aquisição de cultura. Discuta otema com seus colegas na ferramenta Fórum.

Que tal desligar a TV?
Brasília – Na minha infância, tínhamos apenas uma televisão em casa. Quando estragava, o jeito era esperar peloconserto.Mas não fazia muita falta. Moleque, gostava mesmo era das brincadeiras de rua. Também a programação não ajudava muito. Hoje, com a violência nas ruas, trânsito infernal, drogas, as crianças acabamficando mais dentro de casa. Com isso, a TV ganhou um papel importante no nosso cotidiano. Ainda bem que agora temos programas educativos e infantis de qualidade. Mas às vezes dá vontade dedesligar o aparelho de TV. Foi a sensação que tive ao assistir a um comercial de uma montadora de automóveis dirigido ao público jovem. Um adolescente chega em casa irritado, num estilo rebelde,jogando os tênis no meio do quarto. Amuado e desolado, senta na cama, pensativo. Lembra-se de seus amigos na escola. A maioria com seus belos carros. Ele não. Só fica satisfeito quando descobre,sobre a cama, uma caixinha. Dentro, as chaves de um carro novinho em folha. Maravilha de exemplo esse dado comercial. Fico pensando nos adolescentes que não têm carro. Todos devem começar a sesentir no direito de se transformar no mesmo rebelde do comercial. Quem sabe eles não acabam conseguindo faturar um carro zerinho? Não fossem os bons programas educativos e infantis, além de umbom futebolzinho, dá até vontade de seguir o conselho de um velho amigo. O melhor é não ter televisão dentro de casa. Sobra mais tempo para ler e conversar. (Folha de S. Paulo, 3/06/1999)

tracking img