Artigo um caso de intertextualidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4425 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ARTIGO


Um caso de intertextualidade


RESUMO


O presente artigo refere-se ao estudo da intertextualidade, que aproxima diferentes contextos, estabelece um diálogo e permite nova leitura de ambientes e textos, com o surgimento de vozes ocultas, revelando sentidos inesperados. Esse fenômeno se estabelece na literatura com a criatividade e necessidade de expressão depoetas e prosadores, comprovando que os textos não se isolam no seu sentido inicial. O objetivo aqui proposto é destacar exemplos de intertextualidade, estabelecida sob a forma de paráfrase e paródia, tendo como texto matriz o clássico poema, o mais parafraseado da literatura brasileira: a “Canção do Exílio” de Gonçalves Dias.


Palavras-Chave: intertextualidade, paráfrase, paródia,Canção do Exílio.


ABSTRACT


This article refers to the study of intertextuality that links different contexts, establishing a dialogue and allows for new environments and reading texts, with the emergence of hidden voices, revealing unexpected directions. This phenomenon is established in the literature with the need for creativity and expression of poets and prose writers, provingthat the texts do not go off in their original direction. The goal here is to highlight examples of intertextuality, established in the form of paraphrase and parody, with the text matrix classic poem, as paraphrased in Brazilian literature: The “Song of the Exile” of Gonçalves Dias.

Keywords: intertextuality, paraphrase, parody, Song of the Exile.




No presente artigo,propõe-se desenvolver aspectos da intertextualidade, que marca a literatura brasileira com paráfrases e paródias. Buscando tal objetivo, na “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias, de muitos ângulos já abordados, mas novo e atual depois de muito mais de um século de aniversários.
Muita ajuda será necessária e sem cerimônia buscada nos estudiosos do tema, para suprir conhecimentos e habilidadesque não existem no neófito que se atreve em terreno tão amplo e acidentado como é a rica literatura brasileira. Essa atitude se justifica e se ampara no que diz Sant’Anna (2003, p.26) sobre a compreensão do processo de intertextualidade: “depende do receptor. (...) são recursos percebidos por um leitor mais informado. É preciso um repertório ou memória cultural e literária para decodificar ostextos superpostos”.
Paulino et al (1995) considera toda produção humana como textos a serem lidos, “como uma rede intertextual em constante movimento”. Aceitando a intertextualidade como característica da cultura, onde uma invenção se projeta na seguinte e uma descoberta se baseia na anterior, a literatura compreende, hoje, que um texto não se esgota em si mesmo. Um texto invade outros e sedeixa invadir por muitos, criando uma configuração nova bem próxima de um mosaico de citações que vai “desde a simples vinculação a um gênero, até a retomada explicita de um determinado texto” (PAULINO et al, 1995, p. 22).
O artigo que se espera realizar tem sua base na visão veiculada por Carvalhal (2006) sobre a intertextualidade. Nesse caso, propõe-se descobrir os procedimentos quecaracterizam as relações entre a “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias e as outras canções, cantadas por outros poetas. Assim, não se há de ficar parada na simples identificação das relações existentes, mas há de se buscar os motivos que geraram tais relações e examinar os procedimentos efetuados para chegar à nova forma e onde se coloca essa nova forma. Convém saber, ainda, por que aquele poetacantou outro exílio, justamente naquele momento e lugar e descobrir (ou procurar) as razões que moveram “este” autor, que sentimentos o animavam ao se lembrar do jovem romântico do século XIX para, então, dar seu próprio sentido cantantes versos antigos. Na verdade não se espera apenas aproximar canções, mas sentir a sonoridade do diálogo de duas vozes em diferentes tons.
O conceito de...
tracking img