Aprendizagem humana

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 35 (8632 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Índice

1. Introdução…………………………………………………………….…………….2

2. Reflexões………………………………………………………….………………... 6

2.1. Educabilidade do ser humano……………………………………...……….6

2.2. Aprendizagem por imitação…………………………….…………………...8

2.3. Intenção pedagógica do ensino…………………………...………………...9

2.4. Aprendizagem através do reconhecimento da ignorância………………...10

2.5. Processoeducativo………………………………………………………...11

2.6. Aprendizagem do Homem com o Homem…………………………..……...12

2.7. Cultura e educação………………………………………………………...13

2.8. Processo de socialização…………………………………………...……...14

3. Bibliografia…………………………………………………….…………….…….16

4. Anexos………………………………………………………………………....…...17

1. INTRODUÇÃO

“O ser humano quando nasce é já um serhumano, mas só o será, completamente, depois.” Ser humano não é condição unicamente biológica como o é em todos os outros seres vivos que nascem já como sempre serão, o ser humano para se tornar completamente humano precisa de contactar com o resto da humanidade, precisa de aprender a ser humano.
Assim, comparando um bebé macaco com um bebé humano, é notória a extrema rapidez com que o macacocresce e desenvolve as suas capacidades de sobrevivência enquanto que o bebé humano demora anos até se tornar adulto. No entanto, enquanto que o macaco se desenvolve e aprende num curto espaço de tempo e não demora muito a aprender tudo o que precisa, o humano no seu lento desenvolvimento vai multiplicando os seus conhecimentos e recursos exponencialmente e a sua capacidade de aprendizagem nuncaestagnará.
Ao longo da sua vida, o humano permanece aberto a novos saberes sendo este um processo a que os antropólogos chamam neotenia. Neotenia significa pois “plasticidade ou disponibilidade juvenil” (que na opinião dos pedagogos se designa por educabilidade), não descurando a vital importância do contacto com outros seres humanos. O humano passa por duas gestações: a vida intra-uterinasegundo determinismos biológicos e a segunda na matriz social em que é criado, submetido a determinações simbólicas como a linguagem e a “usos rituais e técnicos” da sua cultura. Ou seja, “a possibilidade de ser humano só se realiza efectivamente através dos outros, dos semelhantes”.
O ser humano ao longo do crescimento tem uma predisposição para se assemelhar em atitudes e comportamentosaos seus semelhantes e consegue-o através da imitação. Esta é uma das formas de aprendizagem mais importantes dado que, é através dela que os seres humanos se tornam efectivamente humanos. Uma das características específicas da sociedade humana é que os seus membros se tornam modelos para os mais jovens não de uma maneira acidental mas de forma intencional. “Praticamente tudo numa sociedade tem umaintenção decididamente pedagógica”. Comparando os animais com os homens, Alfred L. Kroeber disse que “a distinção que conta entre o animal e o Homem não é mais a que se dá entre o físico e o mental, que é apenas o grau relativo, mas a que existe entre o orgânico e o social”. Existe, também, outra diferença importante entre a imitação ocasional, a que se verifica nos antropóides, e a imitaçãoforçosa, a que os humanos se vêem socialmente compelidos. A diferença está em algo que apenas existe no ser humano, a constatação da ignorância. Os membros de uma qualquer espécie animal não têm esta percepção, pelo que não existe um esforço pedagógico por parte dos membros mais velhos em corrigir essa deficiência nos mais novos como Jerome Bruner, psicólogo americano, assinala. Assim, o ensinovoluntário não teve origem na constatação de conhecimentos compartilhados mas sim na constatação de que há semelhantes que ainda não os partilham. Faz parte do ser humano esta partilha de conhecimentos entre os mais velhos e os recém-chegados ao grupo para que se possam integrar socialmente.
Este processo educativo que vigora entre os seres humanos pode ser informal, através de qualquer pessoa...
tracking img