Aids

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4227 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O que é a AIDS:
AIDS é a sigla em inglês para Acquired Immunodeficiency Syndrome ou, para nós, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Recebeu o nome AIDS, imunodeficiência adquirida, para diferenciá-la de imunodeficiências de outras origens. É definida como síndrome pois não tem uma manifestação única, caracteriza-se pelo aparecimento de várias doenças sucessivas e/ou simultâneas, devido aoenfraquecimento das defesas do organismo. Estas doenças que surgem em decorrência da deficiência imunitária do indivíduo são chamadas doenças oportunistas e representam a principal causa de óbito em aidéticos.

É esta fase do espectro da infecção pelo HIV em que se instalam as doenças oportunistas caracteriza clinicamente a AIDS.

As doenças oportunistas que se desenvolvem na AIDS são geralmentede origem infecciosa, porém várias neoplasias também são consideradas oportunistas.

Infecções oportunistas podem ser causadas por microrganismos não patogênicos, ou seja que usualmente não são capazes de desencadear doença em pessoas com sistema imune normal. Os microrganismos sabidamente patogênicos também produzem infecções oportunistas. Porém, nesta situação, as infecções assumem um caráterde mais grave ou agressivo que o habitual em pessoas imunocompetentes. As doenças oportunistas associadas à AIDS são várias, podendo ser causadas por vírus, bactérias, protozoários, fungos e certas neoplasias. As mais comuns são:

· Vírus: Citomegalovirose, Herpes simples, Leucoencafalopatia Multifocal Progressiva;
· Bactérias: Micobacterioses (tuberculosee complexo Mycobacterium avium-intracellulare), Pneumonias, Salmonelose;
· Fungos: Pneumocistose, Candidíase, Criptococose, Histoplasmose;
· Protozoários: Toxoplasmose, Criptosporidiose, Isosporíase;
· Neoplasias: sarcoma de Kaposi, linfomas não-Hodgkin, neoplasias intra-epitelial anal e cervical. É importante assinalar que o câncer decolo do útero compõe o elenco de doenças que pontuam a definição de caso de AIDS em mulher.
Entre outros transtornos a AIDS traz graves problemas psicológicos e sociais. Seu controle e tratamento envolvem a ingesta de 20 a 30 comprimidos por dia em horários diversos, consomem altas somas em dinheiro e produz um desgaste humano muito grande no indivíduo doente e sua família.

História da AIDS

ASíndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) foi reconhecida em meados de 1981, nos EUA, a partir da identificação de um número elevado de pacientes adultos jovens, do sexo masculino, homossexuais, moradores de São Francisco e Nova York, que apresentavam Sarcoma de Kaposi, pneumonia por Pneumocystis carinii e comprometimento do sistema imune. Estas características levaram à conclusão de que setratava de uma doença até então desconhecida e ainda não classificada, de etiologia provavelmente infecciosa e transmissível. Posteriormente alguns casos ocorridos nos últimos anos da década dos 70, foram identificados como tendo sido AIDS.

No Brasil, a AIDS foi diagnosticada pela primeira vez em 1982, em sete pacientes homo ou bissexuais. Um caso foi reconhecido retrospectivamente, no estado deSão Paulo, como tendo ocorrido em 1980.

Perfil epidemiológico da AIDS

Nos últimos anos, vêm ocorrendo importantes mudanças no perfil epidemiológico da AIDS. A epidemia que, em sua primeira fase (1980 a 1986), caracterizava-se pela preponderância da transmissão em homens homo e bissexuais, de escolaridade elevada. A segunda fase da infecção pelo HIV (1987 a 1991), caracterizou-se pelatransmissão sanguínea, particularmente na subcategoria de usuários de drogas injetáveis (UDI), iniciando um processo simultâneo de pauperização e interiorização da epidemia, ou seja, mais pessoas com baixa escolaridade e de cidades do interior se infectaram. Finalmente, em sua terceira fase (1992 até nossos dias), houve uma explosão no número de casos decorrentes da exposição heterossexual. Isto se...
tracking img