Abandono infantil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2301 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO



Tenho por objetivo demonstrar o crescente estado de miséria, as disparidades sociais, a extrema concentração de renda, os salários baixos, o desemprego, o abandono infantil, a marginalidade e a violência, que são expressões do grau a que chegaram as desigualdades sociais no Brasil.
A desigualdade social não é acidental, e sim produzida por um conjunto de relações que abrangemas esferas da vida social. Na economia existem relações que levam a exploração do trabalho e a concentração de riqueza nas mãos de poucos, na política a população é excluída das decisões governamentais.
Até 1930, a produção brasileira era predominante agrária, que coexistia com o esquema agrário – exportado, sendo o Brasil exportador de matéria-prima, as indústrias eram pouquíssimas, mesmo tendoocorrido, neste período, um verdadeiro “surto industrial”. A industrialização no Brasil, a partir da década de 30, criou condições para a acumulação capitalista, evidenciando não só pela redefinição do papel estatal quanto a interferência na economia, mas também pela implantação de indústrias voltadas para a produção de máquinas, equipamentos, etc.
A política econômica, estando em prática, nãose voltava para a criação, e sim para o desenvolvimento dos setores de produção que economizam mão-de-obra, resultando o desemprego.
DESENVOLVIMENTO


O vídeo sobre Bilú e João, mostra um dia de luta pela sobrevivência de duas crianças excluídas dentro de um grande centro capitalista.
O abandono infantil sempre foi um problema enfrentado pela sociedade por diversos motivos,e até hoje se faz presente em nossas vidas. Precisamos encontrar de maneira efetiva, a solução para essa questão, pois os anos passam e não temos melhorias nos índices de abandonos, muito pelo contrário, percebemos um aumento desses, será por causa da deficiência de ordenamento, ou realmente só depende da sociedade? Pois precisamos refletir, discutir e chegar a uma solução sobre esse assunto,pois é algo de extrema importância, que traz angústia para a sociedade e sofrimento para as crianças que são vítimas de abandono estas que são privadas do convívio familiar saudável, da educação, do lazer, garantias que são dadas as crianças e aos adolescentes, dentro do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O ECA, foi instituído no dia 13 de julho de 1990, e é onde está regulamentado osdireitos das criança e do adolescente inspirado pelas diretrizes fornecidas pela Constituição Federal de 1988. O estatuto divide-se em dois livros: o primeiro se refere a proteção dos direitos fundamentais a pessoa em desenvolvimento e o segundo se refere aos órgãos e procedimentos protetivos, podemos encontrar também os procedimentos para efetivar uma adoção, aplicação de medidas sócio- educativas doconselho tutelar e também dos crimes cometidos contra a criança e adolescente. O primeiro tema abordado pelo estatuto sobre a VIDA, onde o estatuto garante todas as condições para que as crianças tenham um nascimento e desenvolvimento sadios, a criança deve ser a primeira a receber socorro, o estatuto prevê que toda a criança e adolescente têm direito a liberdade, de ir e vir, mas não devem sairpor aí sozinhos, tem que pedir autorização judicial, fora esses casos a liberdade deve ser respeitada, toda criança tem o direito de escolher sua religião, direito a lazer como brincar, praticar esportes e se divertir.
Sabemos que a luta para que as crianças sejam devidamente respeitadas é diária, mas acredito que aos poucos podemos fazer uma diferença e mudar o rumo da nossa história, poispercebemos que a desigualdade é enorme e poucos tem forças para aguentar seguir um caminho correto, que requer muita
paciência.
Falta coragem para alguns setores da sociedade tomarem as decisões políticas que se fazem necessárias, tais como o apoio estatal à família, planejamento familiar e atendimento público de saúde para mulheres que não deveriam mais engravidar.
A infância brasileira nos...
tracking img