-8784

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4782 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DE FORTALEZA
Centro de Ciências Tecnológicas
Arquitetura e Urbanismo














NOTAS DE AULA DE INTRODUÇÃO A ARQUITETURA E URBANISMO
PARTE 2 - URBANISMO








PROF.: EDILSON ARAGÃO










FORTALEZA, OUTUBRO DE 2008


1 – A HISTÓRIA DAS CIDADES

Segundo algunshistoriadores, a cidade é a maior invenção da humanidade. Ela é fruto da mistura de fatores históricos, geográficos econômicos e sociais. Como fator social, a cidade aparece com o fim da pré-história, há aproximadamente 6.000 anos. Se considerarmos que a aventura do homem no planeta Terra tem aproximadamente 1 milhão de anos, podemos afirmar que o fenômeno urbano é relativamente novo.


2 – AREVOLUÇÃO AGRÍCOLA

No Paleolítico e no Mesolítico o homem vive da caça e da pesca e da coleta de alimentos in natura. Por conta disso o homem é nômade. Extraídos todos os alimentos de uma região, os grupos migram a procura de outras terras mais generosas. No Neolítico o homem passa a cultivar o solo, selecionar sementes, conhecer as estações, domesticar os animais. Dominando a natureza, o homemdeixa de ser nômade, se sedentariza e constrói os primeiros núcleos humanos. Com o passar dos tempos, o homem produz mais do que suas necessidades e dos seus, passando a acumular excedentes agrícolas. Surge assim a possibilidade da troca dos excedentes.


3 – A REVOLUÇÃO URBANA, DUAS TEORIAS.

a) PONTO DE TROCAS

As atividades agrícolas tornaram-se incompatíveis com a criação de gado namesma área. Surge a separação entre a agricultura e o pastoreio, aparecendo assim a primeira divisão social do trabalho: o agricultor e o pastor. Assim, a sociedade de classes precedeu pois a origem da cidade. Das necessidades mútuas entre os agricultores e os pastores, surgem as necessidades de trocas de seus excedentes, e seus lugares de encontros. Aqui, nos pontos de trocas, surgem outrasatividades de apoio, como os prestadores de serviços, a segurança do bando, a alimentação das tropas, etc, . Para facilitar as trocas, surgiu um padrão de comparação, a moeda. Para os registros destas negociações, surgiu a escrita. Assim, com a especialização profissional, surge o agrupamento urbano.

b) INVASÃO DAS HORDAS GUERREIRAS

A agricultura se desenvolveu nas planícies dos grandes rios. Já opastoreio, tinha lugar nas colinas. Os pastores acabaram dominando os metais, tornando-se mais preparados para a guerra. Assim, ao necessitar de alimentação para seu rebanho, invade a planície, dominando os agricultores, que para sobreviverem, pagarão tributos aos primeiros, que em troca os protegerão de outros invasores. Aqui também nota-se a divisão do trabalho. Na verdade, é possível averacidade das duas teorias, pois cidades se originaram a partir do lugar dos encontros, bem como, é possível que cidades tenham surgido a partir das invasões, o que daria uma conotação militar a este surgimento.


4 – A CIDADE NA HISTÓRIA

A cidade é a pedra fundamental do Estado. Antes da cidade, predominava a ordem moral, os costumes do núcleo primário. Com a cidade e sua heterogeneidade étnica,profissional, de crenças e culturas, a ordem moral se enfraquece, dando lugar a ordem técnica.
As primeiras civilizações desenvolveram-se nos vales dos rios, em virtude da fertilidade do solo, da facilidade de irrigação e de transportes. São eles: Nilo no Egito, Tigre e Eufrates na Mesopotâmia, Indus no Paquistão e rios Amarelo e Yang-Tse-Kiang na China. A cidade de Ombos, no Egito, (4.000 a.C)é tida por vários autores como a mais antiga cidade do mundo. Outras cidades no Vale do Nilo são: Tebas e Mênfis; na Mesopotâmia: Lagash, Ur e Babilônia; na região da Palestina: Jericó, Biblos e Jerusalém; na China, Pequim, com o nome de Ki, surge em 1.600 A.C. Ur e Babilônia foram contemporânea de Tebas e Mênfis, no Egito e quando da fundação de Pequim, Tebas já contava com 250.000 habitantes....
tracking img