facu

Páginas: 2 (263 palavras) Publicado: 27 de outubro de 2014
Imaginemos uma comunidadeindígena que ainda não teve contato com o homem dito “civilizado”, mas, digamos que, sua cultura é semelhante aos demais povos indígenas conhecidos.Podemos aplicar as teorias antropológicas para melhorcompreendermos suas manifestações culturais.
Aplicando as teorias estudadas, teremos os seguintes cenários:
1. SistemasAdaptativos — pode-se concluir que esta comunidade indígena possui umapadronização de comportamentos que a permite adaptar-se ao modo de vida da floresta, tal como à caça, à pesca e suascrenças religiosas, que geralmente são deuses ligados a elementos da natureza, como porexemplo: o sol.
2. Teorias idealistas
2.1. Sistema cognitivo — pode-se dizer que cadaindivíduo desta comunidade possui um conjunto de conhecimento que o adapta para o convívio com os demais membrosdesta comunidade.
2.2. Sistemas estruturais — pode-se dizer que estepovo desenvolveu um sistema de símbolos que atribui sentidos e significados às suas ações e os resultados, por exemplo, o ato decaçar, um dos símbolos deste ato seria um arco eflecha, que pode matar um animal e como resultado o indivíduo teria sua refeição.
3. Evolucionismo — tomando minha cultura como parâmetro, isto é,partindo do etnocentrismo,pode-se dizer que a cultura da comunidade indígena em estudo, está em um estágio menos evoluído.
4. Difusionismo — pode-se dizer que a cultura desse povo indígena é resultadodadifusão de características provenientes de um único centro.
5. Funcionalismo — por este ponto de vista, é necessário compreender todo complexo desta comunidade, incluindo suaconstituição cultural,identificar suas partes componentes significativas e estudá-las isoladamente, para em seguida serem articuladas, constituindo-se a compreensão sobre o todo.
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • facu
  • Facu
  • facu
  • Facu
  • facu
  • Facu
  • facu
  • Facu

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!