diretrizes curriculares

Páginas: 8 (1890 palavras) Publicado: 27 de novembro de 2014
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI – UESPI
JARDIANE SOARES DE OLIVEIRA

DIRETRIZES CURRICULARES PARA O CURSO DE PEDAGOGIA:
TRAJETÓRIA LONGA E INCONCLUSA
LEDA SCHEIBETERESINA/ 2014.1

DIRETRIZES CURRICULARES PARA O CURSO DE PEDAGOGIA:
TRAJETÓRIA LONGA E INCONCLUSA
LEDA SCHEIBE
Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina
Curso de Mestrado da Universidadedo Oeste de Santa Catarina – Campus Joaçaba
lscheibe@uol.com.br

O Curso de Pedagogia destina-se, na sua atual formulação legal, à formação de professores para a educação infantil e os anos iniciais do ensino fundamental. Complementarmente, também ao desenvolvimento de competências para o ensino nos cursos de nível médio, na modalidade normal; ao ensino na educação profissional na área deserviços e apoio escolar; às atividades de organização e gestão educacionais; e às atividades de produção e difusão do conhecimento científico-tecnológico do campo educacional.
Na transição para o novo modelo dos cursos, as instituições de ensino deverão extinguir as habilitações até então em vigor a partir do período letivo seguinte àquele em que for publicada a resolução. O projeto pedagógico deve serprotocolado nos sistemas de ensino dentro de um ano e alcançar todos os alunos que iniciarem o curso no próximo período letivo. Essas mudanças curriculares para o Curso de Pedagogia fazem parte de uma ampla, longa e discutida reforma na organização dos cursos de graduação e na formação dos profissionais da educação no Brasil
Após a promulgação da nova Lei de Diretrizes e Bases da EducaçãoNacional – LDB – em dezembro de 1996, a Secretaria de Ensino Superior do Ministério de Educação – Sesu/MEC –, por meio do Edital n.4, de 4 de dezembro de 1997, iniciou o processo de mudança curricular solicitando às instituições de ensino superior – IES –que enviassem propostas para a elaboração das diretrizes curriculares para os cursos de graduação. Segundo o edital:


As Diretrizes Curricularestêm por objetivo servir de referência para as IES na organização de seus programas de formação, permitindo uma flexibilidade na construção dos currículos plenos e privilegiando a indicação de áreas do conhecimento a serem consideradas, ao invés de estabelecer disciplinas e cargas horárias definidas. As Diretrizes Curriculares devem contemplar ainda a denominação de diferentes formações ehabilitações para cada área do conhecimento, explicitando os objetivos e demandas existentes na sociedade.
No contexto dessas orientações, as Comissões de Especialistas de Ensino – Coesp – institucionalizadas na Sesu/MEC em uma coordenação específica, dedicadas à tarefa de elaborar padrões de qualidade para os cursos de graduação e contribuir para a execução e os procedimentos de avaliação de cursos einstituições de ensino superior, receberam também a incumbência de organizar as diretrizes gerais de currículos para os respectivos cursos, a serem submetidas depois ao CNE, para sua aprovação.
A LDB/96, contrariando o que vinha ocorrendo desde 1980 no interior de amplo movimento pela reformulação dos Cursos de Pedagogia e licenciatura, no qual se estabeleceu o princípio da “docência como a base daidentidade profissional de todos os profissionais da educação” (Silva, 2003, p.68), determinou a criação dos Institutos Superiores de Educação, ao dispor no artigo 63:
Os Institutos Superiores de Educação manterão:
I – cursos formadores de profissionais para a educação básica, inclusive o curso normal superior, destinado à formação de docentes para a educação infantil e para as primeiras...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • diretrizes curriculares
  • diretrizes curriculares
  • diretrizes curriculares
  • Diretrizes curriculares
  • Diretrizes curriculares
  • diretrizes curriculares
  • Diretrizes Curriculares
  • Diretrizes Curriculares

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!