descartes

Páginas: 2 (287 palavras) Publicado: 15 de maio de 2014
De acordo com Hume, todas as ideias que possuímos tiveram origem na experiência, mais precisamente em impressões. Ideias como a de dor, alegria, frio, calor,extraterrestre, anjo, triângulo… resultam da recordação de certas impressões (sensações externas ou internas experienciadas pelo sujeito), consideradas isoladamenteou, então, combinadas entre si com a ajuda da imaginação (por exemplo: a ideia de anjo resulta da junção das impressões de homem e pássaro).
Tal como o filósofoempirista Locke, Hume defende a origem a posteriori das ideias. Tudo o que podemos pensar e imaginar, em última análise, provém do contacto com as coisas do mundo.
E aideia de Deus? Como se explica a sua formação?
Diz Hume: “ (…) ao analisarmos os nossos pensamentos ou ideias, por mais compostos e sublimes que sejam, sempredescobrimos que elas se resolvem em ideias tão simples como se fossem copiadas de uma sensação ou sentimento precedente. Mesmo as ideias que, à primeira vista, parecemafastadas desta origem, descobre-se, após um escrutínio mais minucioso, serem delas derivadas. A ideia de Deus, enquanto significa um Ser infinitamenteinteligente, sábio e bom, promana [procede] da reflexão sobre as operações da nossa própria mente, e eleva sem limite essas qualidades da bondade e da sabedoria. Podemosprosseguir esta inquirição até ao ponto que nos agradar, onde sempre descobriremos que toda a ideia que examinamos é copiada de uma impressão similar.”como descartesrefuta o empirismo usando como argumento a ideia de deus e da alma ?
identifique a posição de cada um desses três filósofos no que se refere a origem do conhecimento.
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Descartes
  • Descartes
  • descartes
  • Descartes
  • Descartes
  • descartes
  • descartes
  • Descartes

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!