121 274 1 PB

Páginas: 21 (5217 palavras) Publicado: 2 de junho de 2015
Mauro Maia LARUCCIA*

Resumo
Este trabalho tem por finalidade abordar a teoria semiótica, incluindo um pequeno esboço sobre signo, objeto e interpretante na Semiótica de
Charles Sanders Peirce.

Abstract
The objectzve of tlus paper is to describe the senuotzcs
themy by includmg a short destgn about sign, ob;ect and
interjJreting in the Charle<~ Sanders Peirce's Semiotics.

Introdução
CharlesSanders Peirce (1839-1914), de
origem americana, possuía uma formação especializada e diversificada: matemático, astrónomo,
químico, topógrafo, especialista em metrologia e
espectrografia, engenheiro, inventor, psicólogo,
filósofo, lexicógrafo, historiador da ciência, físico,
economista, estudante de medicina durante toda
a sua vida, crítico literário, dramaturgo, ator, escritor de contos,fenomenólogo, semiótica, lógico, retórico e metafísico.
Essas especialidades, tão díspares, atribuídas
para uma só pessoa, foram mencionadas por Max
H. Fisch, biógrafo e pesquisador das obras e principalmente dos manuscritos inéditos de Charles
Sanders Peirce.
Com um interesse em tantas áreas do conhecimento, Peirce só poderia ter um propósito que
era distinguir os tipos de semiosis 1 e a partir delaselaborar um estudo, o mais aprofundado possível,
de argumentaçÓ~s em particular e de suas funções
na matemática e nas ciências.

Noth afirma que o termo semiose foi adaptado por Peirce de um tratado do filósofo epicurista
Filodemo. Para Peirce, "semeiosis significa a ação de
quase qualquer signo, e a minha definição dá o nome
de signo a qualquer coisa que assim age." (CP, 5.484
in NÓTH, 1995:66).
Esseobjetivo foi alcançado, conforme afirma
Santaella (1995:10):

O enorme valor dessa obra na contribuição que
pode prestar à compreensão de todos os processos de
comunicação de qualquer tipo, ordem ou espécie,
tanto no universo bio-sociológico das humanidades,
quanto dos animais e também no mundo das
máquinas inteligentes, até em qualquer outro mundo
que possamos imaginar no qual ocorram processoscomunicativos.
No final de sua vida, nem a doença, a miséria,
o isolamento da comunidade científica, a recusa
dos editores, impediu-o de continuar trabalhando nesse projeto grandioso.
Para a construção de sua Lógica ou Semiótica,
Peirce parte da Fenomenologia até chegar à classificação dos signos. Esses estudos começam por
volta de 1867, quando escreveu On a New List of
Categories, nova em relação àsde Aristóteles,
Kant e Hegel, com o propósito de obter categorias
mais universais e gerais dos fenômenos. Peirce escreveu: "Há apenas três formas elementares de predicação ou significação, que inicialmente chamei de
qualidades, relações e representações". (CP 1.516).
De acordo com Noth (1995), vários filósofos
buscaram encontrar um número limitado de categorias como modelo para entender umamultipli-

* Doutor em Comunicação e Semiótica- PUC/SP. Mestre em Administração -

PUC/SP. Professor dos cursos de Administração
das Faculdades São Luiz, Universidade Paulista e "Campos Salles". Professor e coordenador do curso de Comércio Exterior
das Faculdades Integradas "Campos Salles".
1
O termo semiosis, de origem grega semeiosis (semeio significa signo e o sufixo sis significa ato, ação,atividade ou processo),
tem para Peirce o significado de funcionamento do signo, ou seja, a ação do signo.

Augusto Guzzo Rev sta Acadêmica

cidade dos fenômenos do mundo. "Espaço e tem-

po, por exemplo, são dois tipos de fenômenos que
foram considerados como categorias, por serem irredutíveis a outros fenômenos na nossa experiência.
Aristóteles conseguiu classificar dez categorias; Kant
elaborou 12,todas com base no seu sistema filosófi(NÓTH, 1995:63).
Após esses conceitos delineados em 1867,
Peirce, em 1904, organizou uma Fenomenologia
muito especial, em que fenômeno é "qualquer coisa

co."

que aparece à mente, seja ela meramente sonhada,
imaginada, concebida, vislumbrada, alucinada [... 1
Um devaneio, um cheiro, uma idéia geral e abstrata da
ciência [... 1Enfim, qualquer coisa."...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • 24 121 1 PB
  • 121 123 1 PB
  • 121 437 1 PB
  • pag. 274 1-6
  • 121 167 1 SM 1
  • 11 54 1 PB 1
  • 1580 5487 1 PB 1
  • 344 2996 1 PB 1

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!