Resenha Carta Do Restauro artigos e trabalhos de pesquisa

  • RESENHA RESTAURO

    FIAMFAAM – CENTRO UNIVERSITÁRIO RESENHA TEXTO “BREVE HISTÓRIA DA TEORIA DA CONSERVAÇÃO E DO RESTAURO” O texto original: Eduarda Luso, Paulo B. Lourenço e Manuela Almeida Publicado: Portal do Repositórium da Universidade do Minho. Ano: 2004 Gabriela Mota R.A. 6105049 6º Semestre Turma A108 “O que é Patrimônio Histórico” é o título da obra de Carlos Alberto Cerqueira Lemos, publicado pela editora Brasiliense, de São Paulo, 1981. Esse texto nos traz reflexões sobre o Surgimento...

    2320  Palavras | 10  Páginas

  • Carta de Atenas

    FRANCISCANOS Curto: Arquitetura e Urbanismo CARTA DE ATENAS Acadêmicas: Ariane Pereira Luana Mezzomo Marieli Rossato Marília Grutzmann Nicole Sansonowicz Santa Maria 05 de junho de 2013 INTRODUÇÃO   O objetivo principal deste trabalho, desenvolvido na disciplina de Técnicas de Restauro referente ao sétimo semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário franciscano tem o intuito de estudar a postura teórica da Carta de Restauro de Atenas, deixando em evidência seus...

    2191  Palavras | 9  Páginas

  • Resenha Pal Cio Anchieta

    UNIVERSIDADE DE VILA VELHA ARQUITETURA E URBANISMO CAMILA RÉBOLI LUISA GUZZO RESENHA CRÍTICA SOBRE ANÁLISE DOS PRINCÍPIOS BASILARES DA RESTAURAÇÃO ATRAVÉS DO PALÁCIO ANCHIETA, ELENCADA NA CARTA DE VENEZA VILA VELHA 2014 ANÁLISE DOS PRINCÍPIOS BASILARES DA RESTAURAÇÃO ATRAVÉS DO PALÁCIO ANCHIETA, ELENCADA NA CARTA DE VENEZA O Livro "Palácio Anchieta - Patrimônio Capixaba", publicado pelo Governo do Estado do Espírito Santo, escrito pelo autor José Antônio Martinuzzo é...

    2349  Palavras | 10  Páginas

  • PATRIMONIO E RESTAURO ARQUITETONICO

    e Urbanismo – 7º Semestre ELIFELETE FERREIRA DA SILVA - RGM: 194751 PATRIMÔNIO E RESTAURO ARQUITETÔNICO São Paulo – SP 2013 ELIFELETE FERREIRA DA SILVA – RGM: 194751 PATRIMÔNIO E RESTAURO ARQUITETÔNICO Trabalho apresentado a Unicsul, tendo como requisito uma resenha crítica do livro “O que é Patrimônio Histórico”, de Carlos A. C. Lemos, sob a orientação da Professora...

    1687  Palavras | 7  Páginas

  • Resenha: Do contraste analogia Ignasi Sola- Morales Rubió

    UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO RESENHA TEXTO: -“Uma nova agenda para a Arquitetura”-Cap. “Do contraste á analogia: novos desdobramentos do conceito de intervenção arquitetônica” RUBIÓ, IGNASI DE SOLÀ-MORALES. AUTH 402 – Prof.ª Eneida ALUNAS Aline Mendes Bruna Goulart Viviane Leone 4AARM Maio/2015 RUBIÓ, IGNASI DE SOLÀ-MORALES-“Uma nova agenda para a Arquitetura”-Cap. “Do contraste á analogia: novos desdobramentos do conceito de intervenção arquitetônica”-...

    893  Palavras | 4  Páginas

  • Resenha Solá-Moralles Rubiò

    Universidade São Judas Tadeu AUTH – 402 – Técnicas Retrospectivas Diferença e Similaridade Resenha do texto: Do Contraste à Analogia: Novos Desdobramentos do Conceito de Intervenção Arquitetônica. Ignasi de Solà – Morales Rubió Bibliografia: SOLÀ-MORALES RUBIÓ, Ignasi. Do Contraste à Analogia: Novos Desdobramentos do Conceito de Intervenção Arquitetônica. In: NESBIT, Kate. Uma Nova Agenda Para Arquitetura: Antologia Teórica (19651995). São Paulo, 2º edição. Cosac Naify, 2013. Toda intervenção...

    737  Palavras | 3  Páginas

  • Cartas de Atenas - Cartas Patrimoniais

    RAFAELL CASTANHEIRA SOARES 1. CARTAS PATRIMONIAIS Trabalho apresentado à disciplina Museologia e Preservação I, obrigatória do currículo do curso de Museologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, para a obtenção da segunda nota da disciplina, sob a instrução da Prof. May Paiva. Rio de Janeiro 2014 Resumo: Esse trabalho busca apresentar um estudo acerca das Cartas de Atenas, as duas primeiras Cartas Patrimoniais que foram realizadas em dois congressos...

    2285  Palavras | 10  Páginas

  • Resenha Alegoria do Patrimônio

    Resenha Crítica: "Françoise Choay, A Alegoria do Patrimônio." Tradução: Teresa Castro, Lisboa: Edições 70, Julho de 2000. Não há hoje quem não tenha ouvido falar sobre patrimônio. Patrimônio cultural, bem entendido, pois, a denominação adquiriu múltiplos significados, dependente do adjetivo que a qualifica. Poderíamos por exemplo, entre inúmeras possibilidades, falar de patrimônio genético de seres vivos... Pois bem, ainda que admitindo seja o nome corrente e que o patrimônio cultural se tenha...

    3644  Palavras | 15  Páginas

  • Resenha

    Quatreremère de Quincy= O gótico é excepcional na sua estrutura, mas horrível no acabamento. • Iluministas= Levam em consideração tanto a arte quanto a sensibilidade estética e o valor material. Séc. XVII –XVIII Inicia-se uma onda de restauros com a substituição de peças antigas por novas que parecem antigas (Wyatt). Críticas. Poucos são os que conservam a arte in loco. A arquitetura é levada em pedaços a galpões que seguem para coleções particulares. • Pierre Patt= Arquiteto de Luis...

    4579  Palavras | 19  Páginas

  • resenha do livro o que patrimonio

    Universidade Nilton Lins Arquitetura e Urbanismo Resenha crítica do livro “O que é Patrimônio Cultural” de Carlos Lemos. Manaus 2015 Nilzilane Cordeiro Machado Resenha crítica do livro “O que é Patrimônio Cultural” de Carlos Lemos. Trabalho apresentado a Professora Taise Costa de Farias, para obtenção de nota parcial na disciplina Técnicas Retrospectivas e Patrimônio Cultural, na Universidade Nilton Lins. Manaus 2015 Resenha Dificilmente tenha alguém hoje que não tenha ouvido...

    2174  Palavras | 9  Páginas

  • Resenha: patrimônio cultural: consciência e preservação

    RESENHA: PATRIMÔNIO CULTURAL: CONSCIENCIA E PRESERVAÇÃO PELEGRINI, Sandra C.A, Patrimônio Cultural: consciência e preservação, São Paulo, Editora Brasiliense, 135 p., 2009. (*) O livro “Patrimônio Cultural: consciência e preservação” escrito por Sandra Pelegrini vem bem de encontra a preocupação atual de levar aos bancos escolares as ferramentas necessárias ao conhecimento da necessidade de preservação do patrimônio cultural. Discorrendo e discutindo detalhadamente as propostas...

    1178  Palavras | 5  Páginas

  • RESENHA PATRIMÔNIO MATERIAL E IMATERIAL

    Nome: Maria Riverlande . Matéria: Técnicas Retrospectivas / Restauro Livro - O que é Patrimônio Material e Imaterial. O autor inicia, dando uma breve tratativa do que é cultura, o que é antropologia, e da diversidade cultural, bem o como a relação e interligação desses conceitos, para nos fazer entender melhor, a cultura material e imaterial. Para não perder o raciocínio, darei uma breve ênfase a cada assunto, pois achei de suma importância.  O que...

    1914  Palavras | 8  Páginas

  • RESENHA – A CONSAGRAÇÃO DO MONUMENTO HISTÓRICO (Françoise Choay)

    RESENHA – A CONSAGRAÇÃO DO MONUMENTO HISTÓRICO (Françoise Choay) CHOAY, Françoise. A alegoria do Patrimônio. In: A consagração do monumento histórico. Tradução e Luciano Vieira Machado, 3ª edição. São Paulo: Estação Liberdade, 2006. Neste capítulo de Alegoria do Patrimônio, Françoise Choay relata que Nordier é um dos primeiros a pressentir que o século XIX atribuirá uma nova importância às antiguidades. Assim a autora afirma que o monumento histórico entra em fase de consagração (data como 1820)...

    1709  Palavras | 7  Páginas

  • Cartas de restauro

    CARTA DE VENEZA Pág. 1 de5 CARTA INTERNACIONAL SOBRE A CONSERVAÇÃO E O RESTAURO DOS MONUMENTOS E DOS SÍTIOS Carta de Veneza – 1964 Adoptada pelo ICOMOS em 1965 Tradução por António de Borja Araújo, Engenheiro Civil IST Janeiro de 2007 CARTA DE VENEZA Pág. 2 de5 Impregnados com uma mensagem proveniente do passado, os monumentos históricos das muitas gerações de pessoas permanecem até à actualidade como testemunhas vivas das suas antigas tradições. As pessoas estão a ficar cada...

    1363  Palavras | 6  Páginas

  • Restauro resumo cartas

    visão do mandatário e do arquiteto, muitas vezes em detrimento do próprio bem. Esses atos não poderiam ser classificados como restauração. As intervenções em edificações de épocas precedentes, mesmo as que pela sua natureza podiam ser consideradas restauro foram feitas por razão práticas. Tratava-se de correções ou adaptações, não comportando a carga de valor cultural dada hoje para o tema. ▪ Foi apenas no Renascimento que se passou a fazer o levantamento e estudar em profundidade as edificações...

    4370  Palavras | 18  Páginas

  • Parthenon Restauro

    PARTHENON – Restauro de 1975 PARTHENON – Localização Atenas – Grécia Fonte: http://patrimoniocultural11.wikispaces.com/Lucas+Otero+Blanco PARTHENON – Localização Acrópole (santuário grego) Fonte: http://www.sailingissues.com/yachting-guide/acropolis-map.jpg PARTHENON – Localização Fonte: http://www.programadevora.com.br/lugares-famosos-junto-ao-seu-verdadeiro-entorno/ PARTHENON – História Atenas – Grécia Acrópole (santuário grego) Antigo templo, incendiado pelos persas Fonte: http://www...

    1669  Palavras | 7  Páginas

  • Fichamento Texto Breve Historia Da Teoria Da Conservacao E Do Restauro

    conservação e do restauro Nome: Hugo Da Silva RA: 5693455 Segundo os autores do texto, as atividades de restauro tem início entre os séculos XVIII e XIX na Itália, com o Restauro Arqueológico, que é caracterizado pelo estudo arqueológico dos monumentos, buscando sua forma original, descartando acréscimos que não fazem parte do projeto original. O restauro do Coliseu em Roma feito por Raffael Stern e Giuseppe Valadier é um exemplo dessa tendência. Outro representante do restauro arqueológico foi...

    723  Palavras | 3  Páginas

  • carta de restauro de 1972

    Augusto CARTA DO RESTAURO 1972 Com a circular n. 117 de 6 de Abril de 1972, o Ministério da Instrução Pública divulgou a Carta de Restauração de 1972 a todos os Superintendentes e Chefes de Institutos autónomos, com a disposição de cumprir escrupulosa e obrigatoriamente, para todas as intervenções de restauro em qualquer obra de arte, as normas contidas na mesma Carta e nas instruções anexas, que aqui são publicadas na íntegra. Anotação à Carta de Restauro A consciência de que as obras...

    7852  Palavras | 32  Páginas

  • teoria da conserva o e do restauro

    DA TEORIA DA CONSERVAÇÃO E DO RESTAURO Eduarda Luso Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Instituto Politécnico de Bragança, Portugal. Paulo B. Lourenço Manuela Almeida Universidade do Minho, Guimarães, Portugal. 2004. Bruno Giovani Savoia R.A 6104378 6º Semestre A08 – Noturno RESUMO Os autores iniciam seu pensamento fazendo um apanhado sobre como o aspecto natural e social contribuem para a consequência de transformações do patrimônio. O ato de “restauro” apesar de, superficialmente...

    1624  Palavras | 7  Páginas

  • TRABALHO CARTAS DE RESTAURO

    RESTROSPECTIVAS I Dalmeire Andrade Érica Ávila Mariana Teixeira Volta Redonda, 21/03/2015. CARTAS PATRIMONIAIS As Cartas Patrimoniais têm como intuito uniformizar os discursos do cuidado ao bem cultural. Entretanto, ao serem formuladas por grupos de interesses diversos, não se atende tal perspectiva. Existem, muitas vezes, ideias que competem, em suas lógicas, com os princípios de autenticidade, de restauro do objeto, de inventário, de hierarquia, de valores artísticos. Questão que tem influenciado...

    3084  Palavras | 13  Páginas

  • Resenha Breve História do da Teoria e Conservação do Restauro

    novas técnicas de construção e fundamentalmente novas correntes artísticas e arquitetônicas, o restauro também sofreu mutações, com mais intensidade a partir do século XIX, como vimos no texto “Conceitos Básicos do Patrimônio Cultural”. A ideia de patrimônio envolve hoje pequenos edifícios, espaços envolventes, construções rurais e centros urbanos históricos de cidades e vilas. Os primeiros restauros Sempre, na história da humanidade, houve-se necessidade de se fazer perdurar no tempo tudo que...

    2904  Palavras | 12  Páginas

  • Restauro

    preservação de monumentos históricos e que, em muitos casos, são ignoradas ou mal-compreendidas. Não se trata de defender a adoção de um endereço teórico específico, mas de enfatizar a necessidade da reflexão teórica como parte intrínseca do fazer restauro, que não pode ser reduzido à ação de natureza unicamente técnica e não primeiramente um problema de natureza histórico-crítica a ser resolvido. ABSTRACT The reflections presented in this paper treat the preservation of buildingsurban area with...

    9627  Palavras | 39  Páginas

  • resumo carta de veneza

    RESUMO CARTA DE VENEZA 1. O papel das cartas patrimoniais nas organizações internacionais de preservação - as cartas internacionasi não podem ter caráter normativo, só indicativo. São síntese das discussões realizadas em determinado período e espera-se que seus dados sejam utilizados na constituição da legislação nacional de preservaçã ode modo que todas elas possa situar-se sob o mesmo prisma critico cientifico. - a carta contém diretrizes e não regras. - carta de Veneza influencia na...

    1940  Palavras | 8  Páginas

  • fundamentos do restauro

    CARTAS DO RESTAURO pág. 1 - 52 Fundamentação teórica do Restauro CARTAS DO RESTAURO pág. 2 - 52 Traduzido do original em italiano, em «http://maxpages.com/achille32», por António de Borja Araújo, eng.º civil, IST 15 de Março de 2003 CARTAS DO RESTAURO pág. 3 - 52 Teoria e soluções para o restauro da pedra, dos monumentos e arqueológico A obra de arte é um produto especial da actividade humana, e é assim por um reconhecimento individual que provém da consciência, e...

    20170  Palavras | 81  Páginas

  • restauro

    justificativas. 7º-Colocar lápide com inscrições para apontar a data e as obras de restauro realizadas. Procurou separar os conceitos de conservação e restauração, considerando a primeira como a única coisa a se fazer, uma obrigação indispensável à sobrevivência do bem. Já para segunda, reservou um princípio distinto indispensável, algumas vezes contrário à conservação. TEXTO 02 Aspectos históricos da conservação e restauro de objetos de caráter cultural a partir do séculoXIX ...

    11681  Palavras | 47  Páginas

  • Carta de Veneza

    Tecnologias Comparação entre a Carta de Veneza de 1964 e Carta de Cracóvia de 26 de Outubro de 2000 3ºAno Docente: Docente: Aluno n Ano Letivo 2 A Carta de Atenas, de 1931, foi a primeira carta que anuncio ou proclamou principios que por sua vez contribui para o desenvolvimento de elaboração de varios documentos nacionais, na atividade do ICOM e da UNESCO, e que por sua vez a criação de um centro internacional para o estudo da preservação e do restauro do patrimonio cultural. Com...

    1042  Palavras | 5  Páginas

  • RESTAURO CRÍTICO - Pane e Bonelli

    O RESTAURO CRÍTICO As contribuições de Pane e Bonelli O ARCO DE TITO - ROMA A complexidade dos problemas a serem afrontados na área da restauração forçou o abandono do empirismo, preterido em função de uma aproximação aos monumentos mais consistentemente embasada, seja teórica, seja metodologicamente. PÓS GUERRA A necessidade de reconstrução em massa colocou novos problemas, de ordem prática e metodológica: Como intervir em áreas de grande valor histórico e simbólico? Quais...

    967  Palavras | 4  Páginas

  • Carta de Veneza

    conservacão e restauração Notas sobre a Carta de Veneza Beatriz Mugayar Kühl1 RESUMO: Este artigo propõe uma leitura crítica da Carta de Veneza, documento‑base do Icomos, fruto de congresso realizado em 1964. No Brasil, a Carta é citada com muita frequência, mas não entendida na mesma medida. As chamadas cartas patrimoniais são documentos – em especial aquelas derivadas de organismos internacionais – cujo caráter é indicativo ou, no máximo, prescritivo. Constituem base deontológica...

    23647  Palavras | 95  Páginas

  • Cartas Patrimoniais

    CONCEITUAÇÃO DE CARTA PATRIMONIAL Medidas administrativas foram adotadas há bastante tempo em antigos impérios e reinos para a proteção de edificações importantes para suas sociedades. A partir do século XIX um pensamento mais estruturado sobre a proteção do patrimônio cultural começa a ser organizado. Mas somente no início do século XX que posturas, legislações e atitudes mais abrangentes e concretas são postas em prática. Em 1931, surge a Carta de Atenas, que discute a racionalização...

    591  Palavras | 3  Páginas

  • Carta de Cracóvia 2000

    CARTA DE CRACÓVIA 2000 PRINCÍPIOS PARA A CONSERVAÇÃO E O RESTAURO DO PATRIMÓNIO CONSTRUÍDO Cracóvia (Polónia), 26 de Outubro de 2000 Reconhecendo o contributo dos indivíduos e das instituições que, ao longo de três anos, participaram na preparação da Conferência Internacional sobre Conservação “Cracóvia 2000” e na sua Sessão Plenária com o título “o património cultural como fundamento do desenvolvimento da civilização”, os signatários, participantes na Conferência Internacional sobre Conservação...

    2953  Palavras | 12  Páginas

  • Proposta de Restauro do Palacete Lara

    maior relevância foi o chamado “Restauro crítico”. Foram importantes e continuam sendo válidos textos escritos desde os anos 40, como por exemplo os de Cesare Brandi, Roberto Pane e Renato Bonelli. O relativo consenso a respeito da conservação e restauração de monumentos veio no congresso Internacional de Arquitetos e Técnicos dos Monumentos Históricos do ICOMOS, em 1964, onde se formulou a famosa “Carta de Veneza”. Tendências atuais europeias para o restauro ainda bebem desta fonte, tendo ...

    8287  Palavras | 34  Páginas

  • CARTA DE BURRA

    CARTA DE BURRA Australia ICOMOS Burra Charter, 1980 Por: Carla Gracielli, Carolina Gabriela, Fabiana Ribeiro, Jhennefer Hisen, Karolline Oliveira, kayo Gomes, Lucas Rodrigues A Carta de Burra, início A Carta de Burra foi criada pelo ICOMOS em sua conferência de 1979 em Burra na Austrália, daí veio o nome Carta de Burra. Para dar início á carta, o ICOMOS, buscou trabalhar numa versão local da Carta de Veneza de 1964, e também levou Logomarca Icomos – fonte ; website/Australia ICOMOS em consideração...

    936  Palavras | 4  Páginas

  • Cartas Patrimoniais

    Curso de Introdução à Conservação e Restauro de Acervos Documentais - CICRAD Copyright © 2011 AERPA Editora Convênio AERPA - Ministério da Justiça - no 748319/2010 M2A2 - MÓDULO 2 - AULA 2 CARTAS PATRIMONIAIS Malthus Oliveira de Queiroz; Plínio Santos-Filho; Carla Andrade Reis; Demilson Malta Vigiano Andréa Mota Silveira; Pedro Campelo Cavalcanti; Antônio dos Santos Filho; Euma Décia Leônidas Laboratório Escola CERPO Papel - Agência de Estudos e Restauro do Patrimônio - AERPA Introdução ...

    2316  Palavras | 10  Páginas

  • Cesare Brandi e a Carta de Veneza

    Cesare Brandi e Carta de Veneza (1964)  Cesare Brandi Considerado uma referencia para contribuição em reflexões patão ramo da restauração, Cesare Brandi atribui princípios de Alois Riegl. Cerare Brandi fez parte do Instituto Central de Restauração (ICR) o de pode expor suas idéias e reflexões sobre patrimônio cujas quais são utilizadas nos dias de hoje. Brandi via os objetos em geral como obras de arte, logo o que seria restaurado também passar a ser visto como tal. Considerado como "juízo...

    800  Palavras | 4  Páginas

  • carta de veneza

    CARTA DE VENEZA O conceito de monumento histórico engloba, não só as criações arquitetônicas isoladamente, mas também os sítios, urbanos ou rurais, nos quais sejam patentes os testemunhos de uma civilização particular, de uma fase significativa da evolução ou do progresso, ou algum acontecimento histórico. Este conceito é aplicável, quer às grandes criações, quer às realizações mais modestas que tenham adquirido significado cultural como passar do tempo. A conservação e o restauro dos...

    2639  Palavras | 11  Páginas

  • CARTAS DE VENEZA

     CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO SEMINÁRIO CARTA DE VENEZA DECLARAÇÃO DE AMSTERDÃ CARTA DE LAUSANNE CARTA BRASILIA CARTA DE VENEZA A carta de Veneza foi escrita entre 25 e 31de maio de 1964 em Veneza, a partir do II Congresso Internacional de Arquitetos e Técnicos dos Monumentos Históricos. Sobre conservação e restauração de monumentos e sítios. Contudo o texto refere-se a importância da consciência da unidade de valores humanos, e os considera...

    2413  Palavras | 10  Páginas

  • restauro

    primeiras ações detectadas como voltadas a um patrimônio em formação no século XVIII, passando pela elaboração de uma teoria do patrimônio ao longo do século XIX com a sua respectiva consagração (3), até a moderna abordagem em escala mundial, com Cartas Patrimoniais no século XX. Para definir-se o que é reconstrução, devem ser estabelecidos os critérios e valores que levam ao que ela em essência é: a superação da idéia da morte de um monumento, com a sua rematerialização em um novo contexto histórico...

    6345  Palavras | 26  Páginas

  • Projeto de restauro em edifício tombado. teatro são joão de sobral.

    Universidade Federal do Ceará Instituto de Tecnologia Departamento de Arquitetura e Urbanismo Patrimônio Cultural e Ambiental Projeto de restauro em edifício tombado Professor: Romeu Duarte Aluna: Raiza Andrade Benevides Índice: Resumo.............................................................................................................02 Apresentação.....................................................................................................03 Conteúdo..................

    1736  Palavras | 7  Páginas

  • A Carta de Atenas

    A Carta de Atenas é o manifesto datado de 1933, redigido e assinado por grandes arquitetos e urbanistas internacionais do início do século XX. Resultou do IV Congresso Internacional de Arquitetura Moderna (CIAM) e foi realizado em Atenas, na Grécia, em outubro 1933. A Carta, que trata da chamada Cidade Funcional, prega a separação das áreas residenciais, de lazer e de trabalho, e propõe substituir as áreas de adensamento tradicionais pela Cidade Jardim, na qual os edifícios se localizam em áreas...

    1672  Palavras | 7  Páginas

  • carta de atenas

    2 Os anos 1930: as Cartas de Atenas e a contraposição entre conservação e inovação Arquitetura, invenção e memória “Na verdade, os ambientes construídos pelos homens guardam, através da sua materialidade, a memória tanto das idéias referentes ao grupo social, como do sistema de representações ao nível do indivíduo. Em outros termos é através da matéria, nas suas diversas formas, que os indivíduos, pertencentes a grupos sociais, expressam sua visão de mundo, suas...

    9814  Palavras | 40  Páginas

  • Restauro

    Ruskin 8 Síntese das Idéias 8.1 John Ruskin 8.2 Camillo Boito 8.3 Eugène Emmanuel Viollet-le-Duc 9 Aulas Expositivas 10 Conclusão 11 Referências 1 Introdução Neste trabalho, procuramos entender o conceito de restauro e preservação através da análise do documentário “Meu Tempo é Hoje”, de Paulinho da Viola, comparando nosso objeto de estudo diário, a arquitetura, com a música, criando uma ponte entre elas e entendendo que tanto uma como outra precisam do conhecimento...

    11942  Palavras | 48  Páginas

  • carta de burra

    Pra que serve a carta? A Carta consigna uma norma de prática para quem proporciona aconselhamento, toma decisões ou executa obras em sítios com significado cultural, incluindo os proprietários, os gestores e as custódias. Utilização da Carta A Carta deve ser lida como um todo. Muitos dos seus artigos são interdependentes. Os artigos na secção sobre Princípios da Conservação são, quase sempre, mais desenvolvidos nas secções sobre Processos de Conservação e Práticas de Conservação. Foram incluídos...

    854  Palavras | 4  Páginas

  • Carta de Atenas 1931

    Congresso Internacional de Arquitectos e Técnicos em Monumentos, a Carta de Atenas. Este congresso contou com a presença de 120 peritos de 24 países, e tendo como temática a longevidade dos monumentos históricos susceptíveis de ameaça externa, aqui se constituiu o primeiro acto normativo internacional exclusivamente dedicado ao património e incidindo sobre a problemática do restauro de monumentos. Enquadrando a elaboração desta carta no período que caracterizou a Primeira Guerra Mundial e inserindo-a...

    1229  Palavras | 5  Páginas

  • Artigo realibilatação e restauro igreja são joaquim de garopaba

    REABILITAÇÃO E RESTAURO IGREJA SÃO JOAQUIM DE GAROPABA Flávia Machado Teixeira RESUMO Os monumentos antigos que chegaram até nós íntegros foram aqueles que mantiveram uma função social continuada. Assim, quando um edifício, tal qual uma igreja, fecha suas portas para o público pode-se considerar que está prestes a se transformar em ruína, caso providências de reabilitação e restauro não sejam adequadamente encaminhadas. Trata-se no presente artigo do levantamento, análise de dados e partido...

    6112  Palavras | 25  Páginas

  • relatorio tecnico cientifico de visita a obra de restauro

    UNIVERSIDADE NILTON LINS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO TECNICAS CONSTRUTIVAS RELATORIO TECNICO CIENTIFICO: Visita a obra de restauro do Mercado Adolpho Lisboa MANAUS, Setembro – 2013 EMMA PAULA CHAVEZ DINIZ RELATORIO TECNICO CIENTIFICO: Visita a obra de restauro do Mercado Adolpho Lisboa Trabalho solicitado pela Pr. Dra. Valdete para obtenção de nota para disciplina Técnicas Construtivas I, pela aluna Emma Diniz. MANAUS...

    2694  Palavras | 11  Páginas

  • Carta De Washington

    CARTA DE WASHINGTON CARTA INTERNACIONAL PARA A SALVAGUARDA DAS CIDADES HISTÓRICAS ICOMOS; 1987 Professora: Eliane Veras da Veiga Acadêmicas: Anna Paula Missora Hoatsu Janaína Pereira de Souza Definições  “Salvaguarda das cidades históricas” = medidas necessárias à proteção, conservação e restauro das cidades, assim como seu desenvolvimento e adaptação à vida contemporânea.  Todas as cidades do mundo são a expressão material da diversidade das sociedades através da história, sendo assim, históricas...

    804  Palavras | 4  Páginas

  • Carta Atenas 1931

    RESUMO 1: Carta criada para a restauração de monumentos históricos, conhecida como carta do restauro. 1 Congresso internacional de arquitetos e técnicos de monumentos históricos. Data 21 a 30 de outubro de 1931 Doutrinas: Não se procura reconstituir todo o monumento e sim manter uma manutenção deste e quando necessário à restauração respeita-se o histórico e artístico de sua época. Administração e legislação dos monumentos históricos: o proprietário de um bem privado de respeitar as leis caso esse...

    566  Palavras | 3  Páginas

  • Os Restauradores X Carta de Atenas

    OS RESTAURADORES Ora, que séculos souberam amar e entender as belezas do passado? E nós, hoje, em que medida sabemos amá-las e entendê-las?.” (Pág. 31_ Os Restauradores, Camillo Boito) X CARTA DE ATENAS “Na situação em que um restauro surja como indispensável, como consequência de degradação ou de destruição, recomenda o respeito pela obra histórica e artistica do passado sem banir o estilo de nenhuma época.” (Pág.01_Carta de Atenas Sorocaba Março 2013 ...

    1267  Palavras | 6  Páginas

  • carta de burra

    CARTA DE BURRA Pág. 1 de 18 A CARTA DE BURRA http://www.icomos.org/australia/burra.html Tradução para a língua portuguesa por António de Borja Araújo, Eng.º Civil I.S.T. Dezembro de 2006 CARTA DE BURRA Pág. 2 de 18 REVISÃO Antecedentes O ICOMOS da Austrália deseja esclarecer que só existe uma Carta de Burra, nomeadamente a versão adoptada em 1999 e assim identificada. As três versões anteriores são, actualmente, documentos de arquivo e não estão autorizados pelo ICOMOS da Austrália...

    5045  Palavras | 21  Páginas

  • cartas

    espaço mundial aspectos concernentes à definição e à gestão do patrimônio, assim como à atuação dos diferentes atores envolvidos.Esses debates originaram as Cartas Patrimoniais, que são os instrumentos teóricos referentes à atuação de profissionais e instituições da área de conservação e preservação do patrimônio. Cartas Patrimoniais As Cartas Patrimoniais, como instrumento teórico, não têm a função de legislar sobre o Patrimônio, mas fornecer embasamento filosófico para que os órgãos competentes...

    724  Palavras | 3  Páginas

  • restauro

    Introdução Este trabalho visa o melhor entendimento das Cartas de Veneza e Restauro, através da análise de três edifícios importantes em seus respectivos países. Dois exemplos sofreram modificações em seus projetos e arquitetura originais e o terceiro trouxe mudanças e contraste para a área que foi implantado. Palacete Das Artes Rodin Bahia – Brasil Fonte: http://viajamos.com.br/photo/palacete-das-artes-rodin-bahia Dados Técnicos: ...

    2194  Palavras | 9  Páginas

  • CRONOLOGIA DAS CARTAS

    ‘’CRONOLOGIA DAS CARTAS’’ Aluna: Bruna Gussella Massaneiro Turma: AUR181 PERÍODO TIPOLOGIA 30-40 Carta de Atenas (31) 40-50 50-60 Convenção Cultural Européia (54) Pacto de Roerich (35) 60-70 Carta de Veneza (64) Normas de Quito (67) PATRIMONIO HISTÓRICO 70-80 80-90 90-00 Conv. p/ Patrimonio Cultural e Natural Mundial (72) Carta de Burra (81) Carta de Nova Orleansi (92) Recomendações p/ Patrimonio Cultural e Natural Nacionais (72) Declaração de Roma (83) Carta Cidades Históricas...

    2071  Palavras | 9  Páginas

  • Cartas patrimoniais

    As Cartas Patrimoniais Cartas Patrimoniais são uma série de documentos instituídos a fim de estabelecer os conceitos, as técnicas e todo o aprendizado a respeito de toda e qualquer menção do patrimônio histórico e cultural mundial. Paralelamente representam o amadurecimento do ideário e principalmente das ações preservacionistas desenvolvidas no decorrer da história. Além disso, elas refletem o conhecimento absorvido pelos responsáveis em documentar os métodos de conservação dos patrimônios tombados...

    1694  Palavras | 7  Páginas

  • Cartas patrimoniais

    Notas sobre as cartas patrimoniais Analisar as chamadas cartas patrimoniais de maneira fundamentada, para que se tenha um entendimento mais pleno de suas formulações, é atividade essencial para quem trabalha com a preservação, sobretudo por serem textos concisos, que têm, em geral, caráter indicativo e não se constituem num receituário a ser aplicado diretamente na prática. As cartas patrimoniais em geral, e a de Veneza, em particular, têm dado origem, recentemente, a interpretações apressadas...

    17555  Palavras | 71  Páginas

  • Resumo Cartas Iphan

    DECLARAÇÃO DE AMSTERDÃ. Esta carta relata a comunição do Congresso de Amsterdã perante à Carta Européia do Patrimônio Arquitetônico, onde diz que reconhece a arquitetura da Europa como patrimônio cultural, e com devido reconhecimento mundial. Discorre-se também, sobre a importância dos europeus conhecerem o valor das obras de importância cultural, tomadas como importância vital. Não compreendem somente construções locais (famosas construções europeias), mas também vilela e aldeias, das quais...

    2506  Palavras | 11  Páginas

  • Resenha Cr Tica

    Resenha Crítica: "Françoise Choay, A Alegoria do Patrimônio."  Tradução: Teresa Castro, Lisboa: Edições 70,Julho de 2000. Haroldo L. Camargo  2   Não há hoje quem não tenha ouvido falar sobre patrimônio. Patrimônio cultural, bem entendido, pois, adenominação adquiriu múltiplos significados, dependente do adjetivo que a qualifica. Poderíamos porexemplo, entre inúmeras possibilidades, falar de patrimônio genético de seres vivos... Pois bem, ainda queadmitindo seja o nome corrente e que o patrimônio...

    640  Palavras | 3  Páginas

  • carta do restauro 1972

     titulo CARTA DO RESTAURO 1972 Abertura museologia I Aluno : Whiteney Teles Professor : Rildo Bento CARTA DO RESTAURO 1972 MINISTÉRIO DE INSTRUÇÃO PÚBLICA GOVERNO DA ITÁLIA CIRCULAR Nº 117 DE 6 DE ABRIL DE 1972 Artigo 1º - Todas as obras de arte de qualquer época, na acepção mais ampla, que compreende desde os monumentos arquitetônicos até as de pintura e escultura, inclusive fragmentados, e desde o período paleolítico até as expressões figurativas das culturas populares...

    650  Palavras | 3  Páginas

  • cartas Patrimoniais - Declaração do México (1985); Carta de Washington (1987); Carta de Petrópolis (1987); Documento de Nara (1994)

    + Cartas: Declaração do México (1985) Carta de Washington (1987) Carta de Petrópolis (1987) Documento de Nara (1994) + Princípios Dominantes na Época: !  Teoria da Restauração: Os princípios de restauração que regem essa época é o de Cesare Brandi. Ele afirmava que os valores artísticos prevaleciam sobre os históricos, sendo conhecido como Restaurador Critico. O restauro era praticado buscando não imitar o verdadeiro, ou seja sem cometer uma falsificação histórica e nem artística...

    1234  Palavras | 5  Páginas

  • EL ATENEO - INTERVENÇÕES, TEORIAS DE RESTAURO E CARTAS PATRIMONIAIS

    agrega grande valor a obra, e por este motivo justifica o valor desta obra para a história e cultura local, e é por isso que acreditamos o quão é necessária sua proteção e conservação. ANÁLISE DAS INTERVENÇÕES DE ACORDO COM AS TEORIAS DE RESTAURO E CARTAS PATRIMONIAIS A transformação e a mudança de função do antigo Cine Theatro Grand Splendid assim como a repercussão e a reação a esse acontecimento ajudou em parte a pensar que acontecimentos como esses, de alguma forma ameaçam a continuidade...

    1191  Palavras | 5  Páginas

  • RESTAURO

    A ideia de restauro, ou de preservação, pressupõe, num sentido mais amplo, o ato de re-haver o domínio ou a forma de alguma coisa que se encontra arruinada ou não se perdeu de todo: envolve assim algo que já existia, que sofreu danos ou perdas e que se quer recuperar para prolongar a sua existência. O restauro é, assim uma forma pela qual se consegue viabilizar a preservação de algo. Entretanto, nem sempre a preservação implica o restauro. É preciso, portanto, primeiro compreender o significado...

    3174  Palavras | 13  Páginas

tracking img