• Literatura goiania
    o mundo literário. Em Alagoas teve contato com diversos escritores como Graciliano Ramos e Rachel de Queiroz. Publicou seu primeiro livro em 1932, Meninode engenho, que se tornou grande sucesso, posteriormente publicou Doidinho (1933). Após o sucesso de suas publicações, o editor José Olympio lhe...
    2073 Palavras 9 Páginas
  • Fogo morto - josé lins do rego
    Realismo – Naturalismo do século XIX. O romance focou o regionalismo, principalmente o nordestino, onde problemas como a seca, a migração, os problemas do trabalhador rural, a miséria, a ignorância foram ressaltados. Além do regionalismo, destacaram-se também outras temáticas, surgiu o romance...
    2794 Palavras 12 Páginas
  • Tópicos de Informática
    MACHADO SARA ZAIRA OLIVEIRA SANTOS ANÁLISE DO LIVRO DOIDINHO DE JOSÉ LINS DO REGO APARECIDA DE GOIÂNIA 2011 ANA CAROLINA RODRIGUES CAETANO MACHADO SARA ZAIRA OLIVEIRA SANTOS ANÁLISE DO LIVRO DOIDINHO DE JOSÉ LINS DO REGO Trabalho de Português...
    2869 Palavras 12 Páginas
  • 32.62
    ao conhecido Ciclo da Cana-de-Açúcar com a obra: Menino de Engenho. Além deste livro, este notável escritor escreveu outros livros, como: Doidinho, Banguê, O Moleque Ricardo e Usina. Este último possui narrativa descritiva do meio de vida nos engenhos e nas plantações de cana-de-açúcar do Nordeste.   ...
    2178 Palavras 9 Páginas
  • Literatura - livro o fogo morto
    Publicado em 1943, Fogo Morto é a última obra prima do regionalismo neo-realista surgido no Brasil durante a década de 30. A prosa de ficção dos anos 30 deu continuidade ao projeto dos primeiros modernistas, a chamada fase heróica, de 1922, de aprofundamento nos problemas brasileiros através de...
    976 Palavras 4 Páginas
  • letras
    Brasileira: Regionalismo QUESTÕES SOBRE MENINO DE ENGENHO 1- Um aspecto da obra de José Lins é o seu biografismo. Memória e ficção seriam pólos que se disputariam. A ficção seria mais “romanesca” e, implicitamente, mais artística. O que podemos dizer sobre esse assunto, considerando Menino de engenho...
    1270 Palavras 6 Páginas
  • a era vargas
    Regionalismo BRUNA MAYRLA A literatura regionalista, intencionalmente ou não, traduz peculiaridades locais, expressando os traços do momento histórico e da realidade social; nela, o local é abordado com amplitude, podendo-se falar tanto de um regionalismo urbano quanto de um regionalismo rural. A...
    1661 Palavras 7 Páginas
  • José Lins do Rego
    evidentes em suas obras literárias. Ele deu início ao conhecido Ciclo da Cana-de-Açúcar com a obra: Menino de Engenho. Além deste livro escreveu Usina, uma narrativa descritiva do meio de vida nos engenhos e nas plantações de cana-de-açúcar do Nordeste.   Em sua segunda fase, José Lins do Rego escreveu...
    724 Palavras 3 Páginas
  • Jose lins do rego e jose americo vida e obra
    ......................08 CICLO DA CANA-DE-AÇÚCAR...............................................................................09 ANÁLISE: Menino de engenho....................................................................................10 ANÁLISE: Banguê..........................................
    4103 Palavras 17 Páginas
  • Romance de 30
    desigualdades e injustiças sociais. 2. O NORDESTE NO ROMANCE DE 30 A principal expressão do romance de 30 encontra-se no regionalismo nordestino representado por Graciliano Ramos, José Lins e Jorge Amado, abordando temas como a seca, o coronelismo, o cangaço, a disputa por terras...
    1241 Palavras 5 Páginas
  • Literatura goiana
    o mundo literário. Em Alagoas teve contato com diversos escritores como Graciliano Ramos e Rachel de Queiroz.  Publicou seu primeiro livro em 1932, Menino de engenho, que se tornou grande sucesso, posteriormente publicou Doidinho (1933).  Após o sucesso de suas publicações, o editor José Olympio lhe...
    661 Palavras 3 Páginas
  • Supervisão
    A prosa da 2ª fase modernista caracteriza-se pelo regionalismo, pela relação do homem com o meio em que vive. A Literatura Brasileira já apresentava uma tendência regionalista. Desde o Romantismo, a busca de traços particulares da realidade brasileira já estava presente em algumas obras, entretanto...
    1429 Palavras 6 Páginas
  • josé lins do rego
    José Lins do Rego Cavalcanti nasceu no dia 3 de julho de 1901, no Engenho Corredor em Pilar, PB, faleceu em 12 de setembro de 1957 no Rio de Janeiro, RJ. Filho de João do Rego Cavalcanti e Amélia Lins Cavalcanti, foi criado no engenho Corredor, de propriedade do avô materno, esse o criara devido à morte...
    685 Palavras 3 Páginas
  • José Lins do Rego
    Cavalcanti nasceu no dia 03 de Junho de 1901, na cidade de Pilar na Paraíba. Veio de uma família de antigos “Senhores de Engenho”, e passou toda a sua infância em meio à realidade dos engenhos de cana-de-açúcar. Este contato que teve com a realidade do Nordeste lhe autorizou a escrever sobre esta realidade...
    695 Palavras 3 Páginas
  • bababa
    Universidade do Distrito Federal e os estudos universitários passariam a influenciar e redefinir a pesquisa e a critica literária. MENINO DE ENGENHO: Publicado em 1932, "Menino de engenho" foi a primeira obra do "ciclo da cana de açúcar" e do autor José Lins do Rego.Na fase de amadurecimento da literatura brasileira...
    365 Palavras 2 Páginas
  • O mundo de sofia
    de setembro de1957 (56 anos) Rio de Janeiro, Brasil | Nacionalidade |  Brasileiro | Ocupação | Escritor e jornalista | Gênero literário | Regionalismo | Movimento literário | Modernismo (Segunda Geração) | Magnum opus | Fogo Morto | | | José Lins do Rego Cavalcanti (Pilar, 3 de junho de 1901 — Rio...
    2294 Palavras 10 Páginas
  • Portugues
    1934, lá permanecendo até 1939. Já escritora consagrada, muda-se para o Rio de Janeiro. No mesmo ano foi agraciada com o Prêmio Felipe d'Oliveira pelo livro As Três Marias. Escreveu ainda João Miguel (1932), Caminhos de Pedras(1937) e O Galo de Ouro (1950).3 Foi presa em 1937, em Fortaleza, acusada de ser...
    6665 Palavras 27 Páginas
  • José Lins do Rego Cavalcanti
    Cavalcanti nasceu no dia 03 de Junho de 1901, na cidade de Pilar na Paraíba. Veio de uma família de antigos “Senhores de Engenho”, e passou toda a sua infância em meio à realidade dos engenhos de cana-de-açúcar. Este contato que teve com a realidade do Nordeste lhe autorizou a escrever sobre esta realidade...
    448 Palavras 2 Páginas
  • O romance de 1930
    eles explora o contraste humano e sociais entre os trabalhadores do engenho de cana de açúcar e os habitantes do sertão. O livro tem um tom critico, onde valoriza a honra do sertanejo e denuncia desumanidade dos senhores do engenho. * Assim as obras desse período apresentam uma visão critica da realidade...
    2460 Palavras 10 Páginas
  • poetas
    MARCEL, IGOR E RODRIGO – 3° LIVRO USINA DISCIPLINA: Projeto Literário PROFESSOR: Rosangela LUIS EDUARDO MAGALHÃES 2014 BIOGRAFIA DO AUTOR Nascido no Engenho Corredor, município paraibano de Pilar, filho de João do...
    1374 Palavras 6 Páginas