O imperialismo ianque

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1273 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Nasce o imperialismo Ianque Através do comércio, os EUA adquiriram posições definitivas na América do Sul. OS americanos não perderam tempo em lamúrias nem em obras sentimentais de caridade.
Há outra América: é aquela que começou invadindo as terras dos outros, a América ianque, que tem uma história realmente estranha. Na ilha de Hispanias. Isto aconteceu antes do ano de 1500,isto é, um século antes da fundação da primeira colônia inglesa na costa atlântica da América do Norte. Em 1607,quando John Smith fixou sua morada em Jamestown, na Virgínia, os espanhóis já possuíam mais de 250 pequenas cidades em toda a América Latina. Muitas dessas cidades latino-americanas prosperaram etornaram-se importantes pela indústria, artesanal, pelo comércio, pelas obras de arte barroca como que foram embelezadas, muito antes de qualquer realização norte-americana. No começo do século XIX a população da América Latina era de 19 milhões, enquanto a população dos Estados Unidos não chegava a cinco milhões. Era evidente que a América Latina tinha uma grande vantagemsobre os EUA; e, no entanto, lá pela metade do século XIX os EUA acordaram e iniciaram um caminho que em breve os tornaria mais poderosa do planeta. Por quê? Alguns pensam que se tratam das promessas feitas por Yahvéh a Abraão e aos seus descendentes. Estes descendentes de Abraão, além dos atuais judeus “Sefardim” (os judeus “askhenazi” não são descendentes de Abraão, incluem núcleos de israelitaslevados para a Assíria e Média que nunca voltaram para a Judeia). Mas foram para a Seita. De lá, dividiram–se em três grupos: aqueles que foram para a Escandinávia e aqueles que foram para a Inglaterra e da Inglaterra para os Estados Unidos, em 1607. Há um opúsculo interessante intitulado “Os angiosaxões nas profecias bíblicas (World- wide Church ofGod; Passadena; CA, 91123; 1982). Esse livreto quer mostrar as bênçãos de Yahvéh anunciadas no Gênesis 12,1-3 e 17,1-5 se realizaram nos norte-americanos.... Por quanto estranha apareça esta concepção, a grande maioria dos norte-americanos a aceitam plenamente. Outros historiadores, mais ligadosaos fenômenos geopolíticos, dão outras explicações. No começo do século XIX os EUA não conheciam nada da América do Sul, aliás, tinham verdadeira antipatia gerada pela “black legend” que lhes dava, nos confrontos com o sul, um complexo de superioridade (além da ignorância e desprezo). Por um momento pareceu aos Latinos que os Estados Unidos estavam aproximando-se delesquebrando a barreira artificial que durava desde o fim do século XVI. Isto aconteceu quando os sul-americanos tomaram conhecimento da declaração de Monroe, declaração que se tornou sempre mais marcante, a partir de 1823.

“Depois de serem os melhores compradores, os Estados Unidos tornaram-se os melhores vendedores e os maiores banqueiros daAmérica Latina”. “Com isto, têm quase direito de considerar a América Latina como se fosse o seu quintal”.
Quando de 1797 a 1808 o monopólio ibérico acabou, os Estados Unidos tinha com a América do Sul uma relação comercial de U$ 30milhões. A situação mudou a favor da Inglaterra somete a partir de 1822, quando a mesma Inglaterra na vanguarda da revolução industrial e os Estados Unidos ficaramtotalmente absorvidos na conquista do “Far West”. Conquista americana do oeste foi prejudicial aos latino-americanos. Em 1803, os Estados Unidos adquiriram a Luisiana. Em 1819, adquiriram a Flórida. A partir daí os colonos norte-americanos invadiram o Texas que, em 1836, foi anexo aos Estados Unidos e também à metade do território mexicano. Depois disso, prosseguiu a conquista. Então, a partir de...
tracking img