A hidroterapia no tratamento de pacientes com doença de parkinson

A Doença de Parkinson é uma patologia crônica neurodegenerativa progressiva caracterizada por tremores, rigidez muscular, bradicinesia, micrografia, “face de máscara”, perda de equilíbrio, alteraçãopostural, déficit na marcha e conseqüente perda funcional. Esta doença acomete 20% da população mundial sendo a incidência distribuída igualmente entre homens e mulheres, tendo início entre 35 a 60anos de idade, sendo sua incidência aumentada com o envelhecimento da população mundial, (Melnick, 1994).
A patologia da Doença de Parkinson consiste na degeneração de neurônios dopaminérgicos dasubstância negra, ocasionando uma redução das reservas de dopamina desta. A etiologia desta doença na maioria dos casos é idiopática; supõem-se que ela ocorra devido a um processo viral lento ou aosefeitos a longo prazo de um processo infeccioso anterior, outros possíveis causas são a intoxicação, tumores, arterioesclerose toxinas ambientais, e déficit metabólico, (Melnick, 1994; Rosa, 2002).
ADoença de Parkinson pode ser dividida em Parkinsonismo primário (idiopático) e Parkinsonismo secundário induzido pelo uso de medicamentos tais como (cinarizina, lítio, metoclopramina, antipsicóticos),por intoxicação (metanol, cianeto, Mn, CO), ou por infecções no SNC (SIDA).
O Mal de Parkinson tem como conseqüência à perda de neurônios dopaminérgicos, a diminuição progressiva de função e AVD’S.Em pessoas “normais” esses neurônios tendem a sofrer uma diminuição lenta e progressiva com o envelhecimento, geralmente inicia-se aos 20 anos de vida, mas não acarreta nenhuma disfunção neurológica enem motora. Portanto o Mal de Parkinson é descrito como uma aceleração anormal do processo de envelhecimento, (Melnick, 1994).

Sinais e sintomas

Tremores
É uma das características maisconhecida e facilmente identificável dos sinais da doença. Sendo em 70% a 75% dos casos a primeira manifestação motora do paciente, (Rosa, 2002). O tremor é descrito como sendo de repouso, podendo se...