A glia de muller como fonte de fatores troficos para neuronios centrais e perifericos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 56 (13759 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

MAURÍCIO E CASTRO CABRAL DA SILVA

“A GLIA DE MÜLLER COMO FONTE DE FATORES TRÓFICOS PARA NEURÔNIOS CENTRAIS E PERIFÉRICOS”

TESE SUBMETIDA À UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO VISANDO A OBTENÇÃO DO GRAU DE DOUTOR EM CIÊNCIAS

Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho RIO DEJANEIRO, 11 DE ABRIL DE 2007

ii

CABRAL-DA-SILVA, Maurício e Castro. A Glia de Müller Como Fonte de Fatores Tróficos Para Neurônios Centrais e Periféricos Orientador: Ricardo Augusto de Melo Reis Rio de Janeiro, UFRJ/IBCCF, 2007. X, 159 52f. 2t. Tese: Doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica). Universidade do Brasil UFRJ/IBCCF - Programa de Neurobiologia, Laboratório de neuroquímica. 1.Glia de Müller; 2. Fatores Tróficos; 3. Neurônios Simpáticos de embrião de pinto; 4. Células Ganglionares da Retina; 5. Sobrevivência Neuronal In vitro.

iii

Esta dissertação foi elaborada durante a vigência de auxílio financeiro do Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPq), da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), da Coordenação de Aperfeiçoamento dePessoal de Nível Superior (CAPES) e do Wellcome Trust (Reino Unido).

iv

DEDICATÓRIA

Ao Leandro, Meu irmão, amigo e compadre. 6 de Abril de 1978 - †18 de Janeiro de 2007 Você faz falta...

v

AGRADECIMENTOS A todos que de alguma forma contribuíram com a conclusão desta dissertação... A minha esposa que foi capaz de compreender que, durante o período em trabalhei nesta dissertação,ficou em segundo plano. A minha esposa novamente por, mesmo em segundo plano, ter me ajudado a formatar a dissertação …

...Obrigado!

vi

EPÍGRAFE

“É tão estranho, os bons morrem jovens. Assim parece ser quando me lembro de você. Que acabou indo embora, cedo demais... ... Eu continuo aqui, meu trabalho e meus amigos E me lembro de você em dias assim dia de chuva, dia de sol E o quesinto eu não sei dizer... ...Só que este ano o verão acabou Cedo demais...”
Renato Russo Love in the afternoon Álbum: O Descobrimento do Brasil, 1993

vii

SUMÁRIO Resumo Abstract Lista de figuras e tabelas Lista de abreviaturas 1.Introdução 1.1 Fatores Neurotróficos 1.1.2 Receptores para fatores tróficos 1.2 Tipos de morte celular_________________________ ______________ 1.2.1 Regulação daapoptose 1.2.2 Apoptose em neurônios simpáticos_ 1.3 Estrutura da retina_______________________ ________________ 1.3.1 Células ganglionares da retina _______________________________ 1.3.2 Fatores tróficos retinianos_____ ______________________ _______ 2. Objetivos_______ __________________________________________________ 3. Materiais e métodos____ _____________________________ ______________ 3.1Materiais e reagentes_____________________ _____________________ 3.2 Soluções______ _________________________________________________ 3.3 Preparação das placas de cultura_____________________ _________ 3.4 Obtenção e cultura dos neurônios periféricos____ _______________ 3.5 Contagem de células___________________________________ 3.6 Meio condicionado por explantes de retina____________ ________ 3.7Meio condicionado por glia de Müller de camundongo neonato 3.8 Meio condicionado por glia de Müller de embriões de galinha___ 3.9 Meio condicionado radioativo______________________________ 3.10 Imunopurificação de CGR de camundongo___________________ 3.11 Fracionamento do meio condicionado por glia de Müller em coluna de heparina 3.12 Ensaio de regeneração in vivo________________ 3.13Imunocitoquímica________ 3.14 Imunodetecção de proteínas (western blot) 3.15 Análise estatística____________ 4. Resultados_______________________________________________ 4.1 RCM tem efeito trófico em neurônios simpáticos 4.1.2 A secreção do fator retiniano não é dependente do desenvolvimento nem de excitabilidade elétrica do tecido 4.1.3 O efeito trófico promovido por RCM não é devido à ação individual de...
tracking img